Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CADERNO DO LEITOR > MARKETING

A propagação da ideia direcionada

Por Virgínia Origuela em 01/12/2009 na edição 566

O que é marketing? marketing tem várias definições, segundo os dicionários: ‘mercadologia’ ou atualmente já modificado o vocabulário apenas marketing. Ele nada mais é que parte de um processo de produção e também de troca, e está relacionado ao fluxo de bens e serviços entre o produtor e consumidor, no caso, emissor e receptor ou público interno e externo, não importa a colocação, importante é a clareza.

‘Philip Kotler tem algumas definições interessantes:

1. O marketing procura o equilíbrio entre a oferta e a demanda.

2. Marketing não é a arte de descobrir maneiras inteligentes de descartar-se do que foi produzido. Marketing é a arte de criar valor genuíno para os clientes. É a arte de ajudar os clientes a tornarem-se ainda melhores.

3. Marketing é a função empresarial que identifica necessidades e desejos insatisfeitos, define e mede sua magnitude e seu potencial de rentabilidade, especifica que mercados-alvo serão mais bem atendidos pela empresa, decide sobre produtos, serviços e programas adequados para servir a esses mercados selecionados e convoca a todos na organização para pensar no cliente e atender ao cliente. ‘Esta definição encontramos no livro Marketing de A a Z‘, Editora Campus, 2003.

Lema é fidelizar clientes

Resumidamente, marketing nada mais é que uma interação entre empresa e cliente, oferta e procura organização, criação, uma socialização, onde a necessidade do cliente é analisada e suprida de acordo com uma analise de perfil.

‘Theodore Levitt, tem uma definição de marketing muito utilizada nos dias de hoje, que seria: Marketing é obter e manter clientes’. ‘A sensação do momento tem sido Philip Kotler, que reconheceu como o objetivo do marketing `o gerenciamento da demanda´ (Marketing para o século XXI), Editora Futura, 1999.’

São inúmeras definições e quase sempre somos levados ao mesmo caminho. Os tipos de marketing variam entre: ‘marketing pessoal, marketing esportivo, marketing direto, marketing político, marketing organizacional e marketing de experiências, entre outros. O marketing esportivo: encontra-se em alta, ele agrega simbolismo e força a marca, ele alia o trabalho em equipe e auxilia na liderança da empresa, dos esportistas e funcionários.

Marketing direto: nada mais é que a caracterização de um novo marketing de relacionamento, ele pode ser mensurável e previsível. Marketing pessoal: tem haver com sua promoção pessoal, profissional, ampliação do seu circulo social, rede de relacionamentos (networking).

Quem investe em marketing, propaganda, publicidade, tem para si um retorno garantido, o qual pode variar entre curto, médio e longo prazo. Toda e qualquer ferramenta de comunicação é válida no marketing, desde uma pesquisa de mercado, um treinamento, um relações públicas, vendas, um merchandising, uma assessoria de imprensa, um logotipo, internet, tudo, realmente tudo é válido. O lema é fidelizar clientes e inovar a comunicação e a maneira com que os profissionais da área trabalham.

Conhecimento humano

Cidades do interior não costumam investir muito nesses serviços, alguns acham desnecessários gastar um pouco a mais com comunicação, porém toda e quaisquer comunicação por menor que seja é capaz de mudar conceitos e quebrar regras, basta para isso saber ouvir, direcionar e querer mudar/inovar. Empresas de pequeno, médio, grande porte deveriam ter pra si um responsável pela comunicação, seja ela interna (entre os funcionários, coordenando, ordenando, e melhorando a qualidade e faturamento da empresa) e externa (contato direto com todas as mídias). Funcionário motivado é certeza de aumento dos lucros e melhora de atendimento. Quem investe na intenção de mudar a forma com que tratam Funcionários X Patrão, é de fato uma mente mais receptiva e aberta, contribui na melhora dos negócios, adapta e moldam uma postura inovadora no mercado de trabalho e certa de obter sucesso pessoal e profissional.

Assim como inclusão social, o meio ambiente, o jornalismo humanizado, o jornalismo social, está em evidencia, o marketing também conquistou seu espaço, ele veio para ficar! Sem que percebamos no nosso dia a dia, fazemos sutilmente nosso marketing, seja por meio de um simples gesto, propagamos nossas idéias entre nossos familiares, amigos, isso pode ser considerado um marketing direto, nos mostrou ser verdadeiramente bom quando o assunto é família, setor afetivo, mas quando tratamos de assuntos como esse, que abrange uma série de pequenas coisas, que modificam toda uma história, ficamos inseguros e com medo de tentar mudar.

A linha de raciocínio tem de ser bem ampla, trabalhada e não deve haver preconceitos, nem medo e muito menos pré-avaliações é preciso antes de tudo, conhecer, testar, investir.

A sociedade tem de se abrir a novas idéias, ouvir mais essa juventude, que as pessoas insistem em criar rótulos e não investir em novos talentos e novos projetos. Quem não se comunica, se complica!

Imagem é ‘Tudo’, mas Imagem Sem Conteúdo, sem investimento, torna-se futuramente em Nada! Tudo isso nada mais é que uma soma de conhecimentos vindos de diversas áreas do conhecimento humano, pois tudo nesse meio se baseia em trocas. Ele é mais que teoria, planejamento, ele é a prática diária e a vontade de aprender a dirigir empresas e direcionar pessoas.

******

Jornalista, pós-graduanda em Comunicação Empresarial

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem