Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

A torcida na imprensa

Por Alberto Dines em 07/02/2008 na edição 471

Quando há eleições no Brasil, raros são os colunistas e comentaristas políticos que declaram o seu voto – preferem buscar a eqüidistância e ganhar credibilidade. Estão certos, certíssimos.


Mas nesta empolgante temporada eleitoral americana, muitos jornalistas brasileiros sentem-se à vontade para manifestar simpatias por este ou aquele candidato dos EUA, mesmo sabendo que a corrida eleitoral mal começou. Acreditam que as manifestações de um jornalista brasileiro jamais poderiam influenciar os eleitores americanos.


Erram duas vezes: primeiro porque a disputa eleitoral americana é tão fascinante justamente porque é equilibrada. Ora, se o jornalista antecipa o seu voto nove meses antes do pleito retira dele todo o seu potencial de suspense, toda a riqueza e o esvazia inapelavelmente.


Por outro lado, mesmo que não estejam influindo diretamente nas eleições americanas mostram aos seus leitores brasileiros que são incapazes de se manter acima das paixões. Isso é ruim para todos, sobretudo para a credibilidade do nosso jornalismo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem