Domingo, 25 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

FEITOS & DESFEITAS > JORNALISMO LITERÁRIO

Alternativas para a imprensa escrita

02/10/2007 na edição 453

A Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) e o portal TextoVivo, com patrocínio da Petrobrás, apoio da Associação Nacional de Jornais (ANJ), TAM e Travel Ace, realizam dias 22 e 23 de outubro, no Novotel Jaraguá, em São Paulo, o ‘Seminário Brasileiro de Jornalismo Literário’. Primeiro do gênero no Brasil, o evento reunirá palestrantes brasileiros e estrangeiros – entre eles, o jornalista Caco Barcellos e o norte-americano Mark Kramer – para refletir sobre ética, métodos e técnicas da reportagem narrativa nos diversos meios de comunicação.

O seminário – que receberá 300 inscrições, no total – está inserido em um contexto de importantes mudanças jornalísticas. A chamada ‘crise da imprensa escrita’, evidenciada por diminuições nos números de assinantes, anunciantes e vendas em banca, é explicada, em parte, pelo baixo investimento em reportagens mais aprofundadas.

As empresas jornalísticas têm-se deparado com pesquisas que colocam por terra o argumento evasivo de que ‘as pessoas não gostam e não têm tempo de ler’. Levantamentos feitos nos Estados Unidos, Canadá e mesmo no Brasil revelam que muitos jornais e revistas estão conseguindo se recuperar com reportagens que se dedicam a temas sociais relevantes, com apuração sólida e texto criativo.

O ressurgimento do jornalismo literário no Brasil, reforçado no fim dos anos 1990, é parte de um amplo cenário favorável. Sinais dele são evidentes: lançamentos de antologias e livros-reportagem do gênero, o crescimento do cinema documental, as reformas editoriais realizadas em jornais diários e revistas, o surgimento de publicações novas que procuram resgatar a tradição do bom texto de reportagem, prêmios jornalísticos importantes que estão preferindo privilegiar matérias humanizadas, a oferta crescente de cursos de extensão, disciplinas em faculdades de comunicação e projetos experimentais avançados, como os que a ABJL formula sob a orientação dos professores Edvaldo Pereira Lima, Celso Falaschi e Sergio Vilas Boas.

Diante desse cenário, o ‘Seminário Brasileiro de Jornalismo Literário’ proporcionará a jornalistas, escritores, cineastas, editores de livros, pesquisadores, professores e outros profissionais interessados no que também se conhece como ‘Literatura da Realidade’, a oportunidade de debater a essência do jornalismo literário, que é definido pela ABJL como ‘reportagem ou ensaio em profundidade nos quais se utilizam recursos de observação e redação originários da (ou inspirados pela) literatura’. Traços marcantes desse tipo de produção: humanização, imersão, exatidão, autoria, estilo e criatividade.

As peculiaridades que diferenciam essa modalidade narrativa estarão no centro do diálogo com os especialistas durante o seminário. Além de apresentar o que de mais avançado vem sendo feito no campo das narrativas de não-ficção no Brasil e no exterior, os convidados pretendem apresentar alternativas para a crise de conteúdo e forma que hoje afeta os meios de comunicação impressos e eletrônicos.

Livro

Durante o seminário será lançado o livro Jornalistas Literários – narrativas da vida real por novos autores brasileiros, da Summus Editorial, organizado pelo jornalista, escritor e professor Sergio Vilas Boas. A obra reúne textos de alunos de pós-graduação lato sensu em Jornalismo Literário da ABJL, turmas de 2005 e 2006 nas cidades de São Paulo, Campinas, Brasília e Porto Alegre. São 16 narrativas (11 temáticas e 5 biográficas) desenvolvidas com a filosofia, a metodologia e as técnicas do jornalismo literário: muito trabalho de campo, pesquisa intensiva, detalhamento, expressão apurada e preocupação com o refinamento do texto. Um dos objetivos desse livro é valorizar a produção de jornalistas e não-jornalistas conscientemente capacitados para a prática da reportagem criativa em profundidade.

ABJL e TextoVivo

A Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) é uma entidade sem fins lucrativos focada no desenvolvimento de métodos e técnicas que contribuam para a melhoria da qualidade da reportagem e para o estabelecimento do ensaio-pessoal no Brasil, através da formação de autores de narrativas de não-ficção. Uma das atividades mais importantes – e pioneira da ABJL – é seu Curso de Pós-Graduação em Jornalismo Literário, um programa lato sensu (nível de especialização) conduzido em parceria com instituições de ensino superior.

Já o TextoVivo – é um acervo de narrativas escritas com o ‘espírito do JL’, além de artigos conceituais a respeito. Ativo desde setembro de 2003, o portal dá acesso gratuito a ensaios e histórias reais produzidas por alunos da ABJL ou colaboradores espontâneos. A criação da ABJL e do portal TextoVivo foi iniciativa dos jornalistas-professores Edvaldo Pereira Lima, Sergio Vilas Boas, Celso Falaschi e Rodrigo Stucchi, que há anos estudam, praticam e ensinam Jornalismo Literário no Brasil.

Interessados na especialização em jornalismo literário poderão se inscrever para o curso de pós da ABJL durante o seminário, dias 22 e 23 de outubro, no Novotel Jaraguá, no estande da ABJL-TextoVivo.

Serviço

Evento: Seminário Brasileiro de Jornalismo Literário

Local: Novotel Jaraguá São Paulo Conventions

Endereço: Rua Martins Fontes, 71 – São Paulo – SP

Data: 22 e 23 de outubro

Inscrições, programação e detalhes aqui

Telefones: (11) 3129-8320 / (19) 3231-8162

E-mails: abjl-sp@textovivo.com.br e secretaria@textovivo.com.br

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem