Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > CPI DO DEMO

As três Leis da Corrupção

Por Fabio de Oliveira Ribeiro em 08/12/2009 na edição 567

A imprensa tem repercutido intensamente o caso do mensalão do Arruda, como nesta nota do Último Segundo.

As cenas das autoridades recebendo pacotes de dinheiro, rezando ou enfiando-os na cueca e na meia são fantásticas. O automatismo das ações criminosas em Brasília me fez lembrar Isaac Asimov, escritor russo naturalizado norte-americano que criou as três leis da robótica:

1ª lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal..

2ª lei: Um robô deve obedecer às ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei.

3ª lei: Um robô deve proteger sua própria existência desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis.

Meros aprendizes

Sem pedir licença, vou plagiar o Asimov para criar as três Leis da Corrupção no Brasil:

1ª lei: Quem rouba dinheiro público precisa dividir religiosamente com os amigos que o ajudam.

2ª lei: Quem é pego por roubar dinheiro público, nega o fato e fica de boca fechada.

3ª lei: Quem denuncia os comparsas morre (politicamente, socialmente ou… fisicamente).

E já que adentramos no universo literário, outra coisa me ocorreu. No Brasil, nós assistimos filmes sobre mafiosos made in USA e ficamos impressionados. Ainda não nos demos conta de que os mafiosos gringos são apenas aprendizes numa arte que tem sido cinicamente refinada há séculos no Brasil?

******

Advogado, Osasco, SP

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem