Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > COPA DO MUNDO

As vozes do espetáculo

Por Alberto Dines em 04/07/2014 na edição 805

Editorial do Observatório da Imprensa na TV nº 731, exibido em 1/7/2014

Verdade ou invenção? A história da narrativa futebolística segue as mesmas regras e metas das demais narrativas: a busca da veracidade. Quem não pode assistir a uma partida, quer um testemunho isento. Isto é, igual ao seu.

Nos primeiros tempos do “nobre esporte bretão”, quando os únicos relatos eram impressos, conhecer a verdade exigia a compra de dois diferentes jornais a fim de comparar suas versões.

Quando o rádio entrou em campo, surgiu a necessidade de dramatizar cada minuto e, ao mesmo tempo, verificar se a dramatização não alterava o teor do que acontecera.

A televisão acrescentou outra dimensão: a visual. Então o espectador passou a exigir uma explicação sobre o que assistia. Além dos narradores, vieram os comentaristas e, para evitar estabelecer o contraditório, contrataram-se debatedores. Os árbitros e suas decisões também passaram a ser examinados em detalhe. A introdução do radinho transistor permitiu ver o jogo em duas dimensões – a do espectador e a do locutor.

As novas tecnologias trouxeram ao relato informações complementares, extra-gramado. Mas, qualquer que seja a plataforma utilizada, nossa memória futebolística associa-se à presença de um narrador. O Observatório da Imprensa apresenta agora uma galeria dos imortais.

A homenagem aos grandes locutores e comentaristas que fizeram a história do jornalismo esportivo conta com a valiosa participação dos apresentadores esportivos Vanessa Riche e Marcelo Barreto, do Sportv; e José Ilan, da Fox Sports.

 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem