Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > PROFISSÃO PERIGO

Assassinos de repórter condenados na Costa Rica

25/12/2007 na edição 465

Uma corte da Costa Rica condenou o empresário Omar Chaves a 35 anos de prisão pelo assassinato do jornalista colombiano Parmenio Medina, ocorrido em 2001. O padre Minor de Jesus Calvo foi considerado inocente pelo crime. Chaves teria pago um matador profissional para atirar em Medina – que denunciou fraudes na estação de rádio religiosa Rádio Maria. O matador, Luis Alberto Aguirre, recebeu a mesma sentença.

Chaves administrava a Rádio Maria junto com o padre Calvo, que foi inocentado pelo assassinato, porém considerado culpado de fraude e condenado a 15 anos de prisão. Pelo crime de fraude, o empresário foi condenado a 12 anos de prisão. Acredita-se que as reportagens de Medina sobre o mau uso das doações solicitadas pela emissora de Calvo tenham motivado o crime.

Chaves e Calvo desviaram milhões de dólares de doações feitas à rádio, em vez de usar o dinheiro em trabalhos de caridade, conforme prometido. A conduta de Calvo foi classificada pela corte como ‘especialmente repulsiva, por ele ser um padre católico’. A estação foi fechada em 2001 devido a suas dívidas crescentes. Informações da AP [19/12/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem