Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > IMPRENSA & SOCIEDADE

Auto-retrato da grande mídia

Por Felipe Dolandeli em 18/12/2007 na edição 464

Como seria a descrição do papel da mídia na sociedade feita pelas editorias da grande mídia? Seria realista, expondo e levantando discussões sobre os problemas e dificuldades da imprensa atual? Ou seria algo caricato?

O economista Carlos Alberto Sardenberg escreveu, em um artigo publicado no jornal O Estado de S.Paulo (19/11) e em seu próprio site, uma crítica ao socialismo na América Latina em geral, que, segundo ele, só é levado a sério por aqui, dizendo ainda que marxismo e socialismo são história morta. Depois, o colunista comenta uma prova do Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), do Ministério da Educação, acusando-a de ter um viés esquerdista. E, para provar a tendência esquerdista do tal exame, cita uma questão sobre o papel da mídia em sociedades democráticas. A questão pede para o estudante desenvolver uma dissertação a partir de três enunciados. Sardenberg cita dois: uma entrevista com Noam Chomsky dizendo que ‘a mídia [assim, no geral] é um instrumento das classes dominantes, do capital, para manter a exploração e bloquear, de modo sutil e subliminar, a circulação de `idéias alternativas e contestadoras´’ e o enunciado a seguir o colunista até classifica de ‘maroto’ por se tratar, segundo ele, de uma caricatura ‘bonitinha’ sobre o papel da mídia.

‘A mídia vem cumprindo seu papel de guardiã da ética, protetora do decoro e do Estado de Direito. Assim, os órgãos midiáticos vêm prestando um grande serviço às sociedades, com neutralidade ideológica, com fidelidade à verdade factual, com espírito crítico e com fiscalização do poder onde quer que ele se manifeste.’

O lado certo

Sem querer aqui discutir se a prova do Enade tem ou não uma tendência esquerdista, esta última definição chamou atenção por haver grande semelhança com o que as editorias dos jornalões nos passam, em seus textos ‘imparciais e comprometidos com a verdade factual’, muitas vezes apontando e dizendo o que é democracia e o que não é democracia.

Recentemente, com o referendo na Venezuela e o processo de mudanças constitucionais na Bolívia, a mídia mainstream passou a fazer dissertações sobre o que é democracia. Os jornalões usaram e abusaram de termos como ‘princípio básico da democracia’, ‘sem isso não há democracia’, ‘isso não é democracia’, ‘para se ter democracia precisa disso…’, beirando muitas vezes a pieguice, como se fossem realmente os ‘guardiões dos princípios democráticos’ da sociedade.

Faltou respeito por parte da grande imprensa, no caso da Venezuela, por nem sequer esperar o resultado do referendo para analisar e discutir a vontade da maioria, pois desde que foi marcado este último referendo, praticamente toda a grande imprensa já tinha decidido qual era o lado certo, o lado da democracia, sem ao menos se levantar um debate sério sobre o assunto.

Alguma semelhança

Os grandes órgãos de mídia estão sempre cobrando ética – principalmente em escândalos envolvendo políticos –, mesmo se eles próprios utilizam métodos como espionagem, omitir fatos que possam desagradar seus anunciantes e até ser beneficiado ao receber exclusividade em coberturas de ações policiais, algo condenável, tanto para a polícia, quanto para um órgão midiático que sempre cobra ética. Infelizmente não fazem autocrítica, talvez por acharem que seja coisa de comunista.

Enfim, a descrição do papel da mídia em sociedades democráticas, posta em exame, se não é exatamente o que ela acha que exerce, pelo menos passa muito perto. Lendo esta definição, acho que a maioria vai perceber alguma semelhança com alguma chamada de qualquer telejornal das grandes emissoras de TV, editorial comemorativo exaltando os serviços prestados à sociedade ou até um comercial de algum dos nossos jornalões. Eis aí um verdadeiro auto-retrato da nossa grande mídia.

******

Técnico em telecomunicações, Queimados, RJ

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/12/2007 Carlos N Mendes

    Socialismo é matéria morta, é ? Senhores reacionários, aguardem. O socialismo foi para o estaleiro consertar erros de projeto, se bem que existe um variante com pedigree que está dando certo – o socialismo nórdico, ‘do berço ao túmulo’, deveria ser modelo para o mundo, mas enfim. Quanto ao capitalismo, já está dando mostras de que pode vir a morrer de autofagia – o JP Morgan acaba de ter seu primeiro prejuízo. Aguardo ansiosamente ouvir o som das primeiras fichas caindo nas cabeças dos imperadores do dinheiro.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem