Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1051
Menu

ENTRE ASPAS >

Câmeras do Google Street View chegam a São Paulo

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 03/07/2009 na edição 544


Leia abaixo a seleção de sexta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 3 de julho de 2009


 


INTERNET
O Estado de S. Paulo


Serviço de vídeos Joost demite e busca novo caminho


‘O Joost, um dos sites pioneiros na distribuição via internet de programas de TV e filmes populares, está fechando seu serviço ao consumidor e demitindo funcionários. Além disso, o presidente executivo está deixando o posto e a empresa luta para encontrar receita e sobreviver.


A companhia anunciou que está mudando de estratégia e que servirá como plataforma de vídeo genérica para companhias de mídia, tais como operadoras de TV a cabo e via satélite, bem como redes de TV aberta. Isso põe fim à sua condição primordial de serviço ao consumidor.


‘Em um momento econômico difícil como esse, vem sendo cada vez mais desafiador para nós operar como uma plataforma de vídeo online independente e bancada por publicidade’, disse Mike Volpi, que vai deixar o cargo de presidente executivo, mas se manterá como presidente do conselho da Joost.


A empresa tem acordos de programação com CBS, Viacom e Warner Bros, entre outras companhias.


O serviço da Joost foi lançado com muito alarde em 2007, como uma grande empreitada de Janus Friis e Niklas Zennstrom, fundadores do Skype. Mas em lugar de se tornar o site dominante para filmes e programas de TV na web, o Joost perdeu espaço para o Hulu.com, joint venture entre a News Corp., a NBC Universal e a Walt Disney, lançado mais ou menos na mesma época.


A audiência do Hulu cresceu rapidamente e o site se tornou o segundo mais assistido entre os serviços de vídeo online dos Estados Unidos, atrás apenas do YouTube.’


 


 


Lucas Pretti


Internauta vai poder ‘andar’ pelas ruas de SP


‘O Google anunciou ontem o lançamento no Brasil do serviço Google Street View, que permite visualizar ruas como se o usuário estivesse caminhando por elas, com aproximação bem detalhada. A primeira cidade a ser fotografada pelos 30 carros vermelhos da empresa – fruto de parceria com a Fiat – será São Paulo, depois Belo Horizonte e Rio. Ainda não há previsão para os dados entrarem no ar.


Os carros começam a rodar pela capital em cerca de um mês, tempo necessário para os últimos ajustes de infraestrutura. Cada veículo tem nove câmeras instaladas num tripé no capô (oito laterais e uma apontada para cima), de forma que as imagens juntas criem sensação de tridimensionalidade. O passo a passo da captação de imagens poderá ser visto em www.googlestreetviewbyfiat.com.br. Cerca de 150 cidades do Hemisfério Norte já contam com o serviço. No Hemisfério Sul, apenas Sydney, na Austrália, usa o recurso. São Paulo será a primeira da América Latina.


A principal discussão em torno do Street View é privacidade. Há uma infinidade de blogs e sites que exploram ‘flagras’ e possíveis informações confidenciais de segurança publicados na internet. O Google minimiza os problemas, dizendo que retira imagens impróprias e só fotografa locais públicos, ‘que qualquer pessoa poderia ver se estivesse passando pela rua’.


Mas a empresa se cercou de cuidados. Conversou com as três instâncias de governo para chegar a possíveis acordos de uso do Street View por autoridades. Segundo o Google, a recepção foi ótima e trouxe ideias de como usar o serviço na internet para melhorar o acesso a informações públicas. O Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte, por exemplo, teria manifestado interesse em usar o serviço para deixar mais veloz e preciso o trabalho de soldados.


Há a promessa de borrar o rosto de pessoas e as placas de carros. ‘É o serviço com maior interesse público’, afirmou o diretor executivo do Google Brasil, Alex Dias. Por isso, eles prometem retirar do banco de dados qualquer imagem considerada ofensiva por usuários.’


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Abertura de mercado


‘Dezembro marcará o início de uma chacoalhada na venda de canais de filmes na TV paga: chega ao fim a cláusula protecionista que impedia a Net de comercializar os canais HBO sem que o assinante levasse o pacote completo de canais Telecine.


A maior operadora do País tem em vigor com o Telecine, desde os investimentos para a criação do canal, uma determinação protecionista que impede a venda isolada dos canais HBO. Com o fim desse acordo, os assinantes poderão escolher qual pacote de filmes querem levar, abrindo o mercado e acirrando a competição.


Procurada, a rede Telecine, por meio de sua assessoria, informa que acha ótima essa ‘liberdade para o assinante’ e garante que as pesquisas apontam seus canais como os preferidos.


Em razão da competição que vem pela frente, o Telecine está investindo pesado em divulgação. Segundo a rede, 8 das 10 maiores bilheterias no Brasil estarão na sua tela. Entre os títulos, Se Eu Fosse Você 2, Mulher Invisível e O Dia em que A Terra Parou.


A HBO também não tem economizado em campanhas publicitárias, mas, procurada pelo Estado, não se manifestou sobre o assunto.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 3 de julho de 2009


 


PUBLICIDADE
Folha de S. Paulo


Morre premiado diretor de arte Tomás Lorente


‘Morreu na madrugada de ontem em SP o publicitário Tomás Lorente, um dos mais renomados diretores de arte do país, premiado com 15 Leões no Festival Internacional de Publicidade de Cannes.


Ele tinha 47 anos e sofreu um infarto em casa, no bairro de Higienópolis.


Lorente passou pelas principais agências de publicidade do país, como W/GGK, DPZ, DM9, Duda Propaganda e Loducca.


De 1999 a 2001, presidiu o Clube de Criação de SP, cuja direção ainda integrava. Foi também fundador da Age e vice-presidente de criação da Y&R -no período em que exerceu o cargo, a agência adquiriu, como clientes, Goodyear, UOL, Nova Schin, Bradesco Cartões, LG e Amex.


Era sócio no restaurante espanhol Toro, em SP. A cerimonia de cremação foi realizada ontem à tarde, em Itapecerica da Serra.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Ao estilo japonês


‘Nas manchetes de ‘New York Times’, ‘Financial Times’ e outros sites de jornais pelo mundo, cresceu o desemprego nos Estados Unidos, o que ‘frustra as esperanças de recuperação’, num dos enunciados.


As referências globais Mohamed El-Erian, do fundo Pimco, Nouriel Roubini e Paul Krugman postaram quase imediatamente suas análises.


O primeiro destaca que os dados do desemprego americano são ‘piores do que se pensa’ e alerta para uma taxa superior a 10% ‘por um extenso período’.. O segundo comenta que o resultado indica que os decantados ‘brotos verdes’ de recuperação financeira global são, em sua maioria, ‘sementes amarelas que devem virar, por fim, estrume marrom’. O terceiro, que já vinha alertando para o desemprego em sua coluna, acrescentou ontem que os dados apontam para ‘deflação de estilo japonês’.


A CHINA AVANÇA


‘Wall Street Journal’ e outros ressaltaram, em contraste com a crise nos EUA, que a gigante chinesa de petróleo CNPC ‘está de olho’ na YPF, o braço argentino da espanhola Repsol, o que ‘sinaliza que prossegue o interesse de Pequim pelos recursos naturais do mundo.’ Antes da proposta da CNPC pela YPF, a também chinesa Sinopec teria sondado a própria Repsol, mas o negócio esbarrou na resistência do governo espanhol.


Na América do Sul, registra o ‘WSJ’, as companhias chinesas negociam ainda com a francesa Total, para projeto na região do Orinoco na Venezuela, e fecharam acordo com a Petrobras, no Brasil.


OS INTERESSES AVANÇAM


A agência britânica Reuters produziu ontem uma longa reportagem, ouvindo de Delcídio Amaral, ‘senador petista e ex-diretor da Petrobras no governo FHC’, aos deputados Eduardo Cunha (PMDB) e Luiz Paulo Velloso Lucas (PSDB), para registrar suposta ‘resistência’ no Congresso às novas normas de concessão para os campos da camada pré-sal localizada pela Petrobras.


A agência argumenta com a ‘forte crise’ no Senado, a falta de ‘apoio 100% de seus aliados’ e o ‘conflito de interesses’ para dizer que a discussão ‘deve’ ser concluída em 2011, sem Lula como presidente.


O QUE PREOCUPA


Em ‘A ascensão do Oriente’, o ‘WSJ’ resenha as histórias ‘épicas’ de Deng Xiaoping e outros, no livro ‘O Milagre’, e anota que ‘ninguém nos EUA perde o sono por ameaças da Nigéria ou mesmo do Brasil’ e sim pelo ‘sucesso’ asiático.


PELA DEMOCRACIA


Em editorial sobre ‘O golpe em Honduras’, um ‘precedente terrível’, a ‘Economist’ diz que ‘Manuel Zelaya deve ser reinstalado no poder’, mas ‘também deve ser forçado a respeitar a Constituição’. Avalia que ‘a questão mais difícil para a América Latina é como evitar que presidentes poderosos demais minem as próprias instituições democráticas’.


O QUE QUER O PT?


Em texto curto sobre a saída do ‘filósofo interno do governo’, Roberto Mangabeira Unger, de volta a Harvard, a ‘Economist’ concentra a atenção em ‘um dos mistérios de Brasília nestes tempos: no que acredita o PT’. Observa que a retirada de Unger ‘alivia muitos de seus colegas, mas deixa o governo mais chato’. E o governo do PT sem pistas sobre o que quer.


À FRANCESA


No primeiro relatório francês, ‘crítica às autoridades brasileiras’, assinalou o ‘Jornal Nacional’, sobre o acidente com o voo Air France 447.


Destacado nos primeiros dias após a queda, o defeito nos sensores de velocidade do Airbus, companhia sediada em Toulouse, na França, foi ‘um fator, mas não a causa’, como traduziu o UOL. ‘Un élément, mais pas la cause’, sublinhou o francês ‘Le Figaro’.


O relatório, por outro lado, questionou o controle de voo do Brasil, a operação de resgate e até a suposta falta de acesso à necropsia _o que foi negado de imediato pela Polícia Federal, no mesmo ‘Figaro’.


O DESASTRE


Foi a manchete do site Politico o dia inteiro: um folheto do ‘Washington Post’, passado a lobistas e outros, oferecia acesso aos ‘poderosos’, em eventos do jornal, por preços variando de US$ 25 mil a US$ 250 mil. Fim do dia, a home do ‘WP’ destacou o cancelamento dos ‘salões’, chamando também um post no blog do Ombudsman, intitulado ‘Um desastre de relações públicas’.’


 


 


FUTEBOL
Folha de S. Paulo


Neymar deixa entrevista, e Brum acha ‘laranja podre’


‘O dia de ontem foi tenso no Santos. Após o treino, Fabiano Eller, Neymar e Roberto Brum falaram, e a situação saiu de controle.


No primeiro episódio problemático, Fabiano Eller e Neymar tentavam explicar algumas declarações dadas durante a semana. O zagueiro afirmou que os atacantes precisavam marcar mais, e o atacante rebateu dizendo que a culpa não é apenas dos homens de frente.


Durante a explanação, os atletas afirmaram que a imprensa exagera em alguns fatos. Um repórter não gostou e houve uma discussão.


Eller ameaçou abandonar a sala de entrevistas, depois desistiu, mas Neymar não deixou a intimidação barato: levantou, deixou a mesa onde estava e ficou sentado a alguns metros dali, conversando com um assessor do clube.


Alguns minutos depois, o atacante voltou para a mesa de entrevistas e, mais calmo, fez até brincadeiras, sentando-se no colo de Eller.


Assim que o clima melhorou, foi a vez de o volante Roberto Brum voltar a deixar o ambiente tumultuado.


Ao comentar o vazamento para a imprensa de uma discussão entre o goleiro Fábio Costa e o preparador de goleiros Eduardo Bahia, o defensor afirmou: ‘Existe uma laranja podre no grupo, e nós já desconfiamos quem é’.


O jogador não deu nomes, mas deixou claro que o técnico Vagner Mancini cumpriu a promessa de procurar ‘o dedo-duro’ que divulgou o fato, que aconteceu no vestiário da Vila Belmiro.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Vencedor de ‘BBB 10’ poderá ganhar Ferrari e até mansão


‘A Globo aprovou a distribuição de mais de R$ 10 milhões em prêmios para o vencedor da décima edição de ‘Big Brother Brasil’, no ano que vem.


A ideia inicial era pagar R$ 10 milhões em dinheiro. Mas, como no ano seguinte esse prêmio teria de cair para R$ 1 milhão, a emissora optou por uma fórmula diferente.


Em ‘BBB 10’, a Globo manterá o prêmio de R$ 1 milhão em dinheiro e tentará viabilizar a entrega de outros R$ 10 milhões em produtos e bens, como casas em bairros nobres e barras de ouro. A emissora já tenta convencer a Fiat, uma das patrocinadoras do programa, a dar uma Ferrari.


Com a distribuição de R$ 10 milhões em bens e produtos, a Globo não só deixará de desembolsar essa quantia como ainda poderá ganhar com merchandising das empresas que oferecerão os prêmios.


A Globo ‘legalizou’ a situação de ‘No Limite’, que volta ao ar no final do mês ou início de agosto. A emissora comprou os direitos de ‘Survivor’ para o Brasil. Agora poderá usar trilhas musicais, provas e até as bandanas do original.


A Globo estreou ‘No Limite’, em 2000, inspirada em ‘Survivor’, em que participantes disputam provas em ambientes inóspitos. Pressionada pela empresa que detém os direitos do reality show, fez um acordo, pelo qual pagou uma licença, mas sem deter os direitos.


O cuidado da Globo, agora, tem a ver também com a concorrência com a Record -que poderia comprar os direitos de ‘Survivor’ e produzi-lo.


FINO


Final de Inter x Corinthians. O time gaúcho cruza na área.. O goleiro Felipe salta, agarra a bola e cai. O comentarista de arbitragem Oscar Roberto Godoy fuzila, em rede nacional: ‘Vai ficar no chão o filho da puta!’. Procurada pela Folha, a Band disse que considera o episódio um acidente e pede desculpas ao telespectador.


RECORDE


Os 40 pontos da final da Copa do Brasil obtidos pela Globo foram seu maior ibope com futebol desde novembro de 2007.


COMERCIAL


O SporTV exibiu, como se fosse notícia, vídeo que teria sido mostrado por Mano Menezes na preleção do Corinthians. Era publicidade da Nike.


COLA


Ana Hickmann sofreu para gravar o primeiro ‘Tudo É Possível’. Até comentários banais (tipo ‘Nossa, como você está linda hoje!) teve de ler em teleprompter (aparelho que projeta texto à frente de câmera).


O FAVORITO


Vice-presidente comercial da Record, Walter Zagari passará o fim de semana tentando convencer João Doria Jr. a assumir ‘O Aprendiz’, no lugar de Roberto Justus.


EM ALTA


Zagari, aliás, teve seu contrato renovado com a Record por mais oito anos. E, ontem, a emissora confirmou, em nota oficial, a promoção de Douglas Tavolaro de diretor para vice-presidente de jornalismo.’


 


 


LITERATURA
Folha de S. Paulo


EUA proíbem sequência de livro de J.D. Salinger


‘Uma juíza proibiu a publicação nos EUA de uma continuação não autorizada de ‘O Apanhador no Campo de Centeio’. Na sequência, o sueco Fredrik Colting retrata o personagem principal do livro de Salinger 60 anos mais velho. O autor abriu processo contra Colting, a editora e a distribuidora por infringirem os direitos autorais do livro e de seu protagonista.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem