Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Dez regras para uma notícia não sexista

Por Elyana Serio em 18/11/2008 na edição 512

A Rede Argentina de Jornalistas Por uma Comunicação Não Sexista (PAR) criou um guia para orientar jornalistas a reportarem um crime sem serem sexistas. O documento já foi debatido em diversos lugares e será lançado oficialmente no dia 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher. Nele, estão presentes 10 regras para reportar uma notícia sem ser sexista.

A matéria, originalmente, está aqui: http://ipsnews.net/news.asp?idnews=44369

Mais sobre a PAR pode ser encontrado aqui:

http://www.mwglobal.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=1228

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2006/11/366920.shtml

As regras foram originalmente publicadas em meu blog:

http://rosaeradical.blogspot.com/2008/10/10-mandamentos-para-uma-notcia-no.html

http://rosaeradical.blogspot.com.br

1. Os seguintes termos são de uso correto: violência contra a mulher, violência sobre gênero e violência sexista.

2. Violência sobre gênero é um crime assim como é um comportamento ilegal que precisa ser prevenido e punido, um problema social, um assalto ao direito de viver, dignidade, e integridade física e psicológica das mulheres e um assunto que diz respeito à defesa dos direitos humanos.

Controle e dominação

3. Nós vamos erradicar de nosso trabalho o termo ‘crime passional’ para se referir a assassinatos de mulheres que são vítimas de violência de gênero. Crimes passionais (ou por paixão) não existem.

4. É de maior importância proteger a identidade da vítima, não a identidade do agressor. Deixe claro quem é o agressor e quem é a vítima e indique quais atitudes e situações podem colocar as mulheres em relacionamentos violentos de risco, para ajudar a aumentar a consciência delas sobre suas situações.

5. Algumas situações podem prejudicar as vítimas e suas famílias. Não é sempre uma boa idéia identificar a vítima. É ofensivo se referir às vítimas por diminutivos, abreviações de nomes próprios, apelidos etc.

6. Nós nunca iremos procurar por justificativas ou ‘motivos’ (álcool, drogas, brigas, ciúmes, a separação do casal, infidelidade etc.) que só distraem a atenção do assunto central: violência. A causa de violência sobre gênero é o controle e dominação que certos homens exercem sobre mulheres.

Ajuda e outras informações

7. É essencial checar os fatos, especialmente de fontes oficiais.

8. Mantenha o assunto em pauta denunciando violência em todas as formas: psicológica, econômica e emocional, sem esperar que uma mulher seja morta. Conte a história levando em conta a particularidade de cada evento, mas também o que tem em comum com outros casos. Isso irá ajudar a prevenir o uso de expressões como ‘mais uma vez’ ou ‘outro caso de’ e prevenir a falta de sensibilização.

9. Seja particularmente cuidadoso com as fotografias e imagens ilustrando o artigo. Respeite a vítima e seus familiares e evite sexismo, sensacionalismo e obscenidade. Nunca roube imagens ou áudio de uma vítima. Quando for usar um fundo musical, não selecione temas que inspiram terror ou letras que falem sobre sofrer por amor ou ciúmes.

10. Nossos artigos sempre irão incluir um número telefônico de discagem gratuita para ajudar as vítimas e outras informações que possam ser úteis para elas.

******

Analista de atendimento, São Paulo, SP

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem