Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

FEITOS & DESFEITAS > MÍDIA & MERCADO

Anatel dá autorização para Soros investir em TV paga

Por Rafael Bitencourt em 05/06/2012 na edição 697
Reproduzido do Valor Econômico, 1/6/2012; intertítulo do OI

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou ontem o Soros Fund, fundo de investimento do megainvestidor George Soros, a assumir o controle da Sunrise Telecomunicações, empresa do ramo de TV por assinatura que atua no interior de São Paulo. O controle da prestadora será exercido no Brasil por meio da holding Quattro. O relator do processo, conselheiro Jarbas Valente, disse durante a reunião do conselho diretor, ontem (31/5), que a decisão não contraria a legislação do setor, pois a maioria das ações com direito a voto permanece com uma empresa brasileira com sede no Brasil.

A Sunrise alegou, em seu pedido, que a transferência de controle não prejudicará a oferta de serviço e nem a competição no setor. “Soros, com a capacidade financeira internacionalmente reconhecida, pretende agregar recursos de maneira ampliar a oferta e qualidade de serviços a toda a população”, disse Valente ao mencionar os argumentos das empresas.

A decisão atende aos anseios do bilionário no setor de telecomunicações brasileiro. Recentemente, representantes do grupo disseram ao governo que têm interesse de participar do leilão da quarta geração da telefonia celular (4G), marcado para o dia 12. Na licitação serão ofertadas frequências na faixa de 2,5 Gigahertz (GHz), já usada pela Sunrise para oferecer serviço de TV por assinatura com a tecnologia MMDS (transmissão por micro-ondas).

Pacotes de TV por assinatura e internet

O relator do processo na Anatel informou que a Sunrise já possui outorga para prestar serviço de internet no âmbito nacional. Na terça-feira, a agência adequou as licenças da prestadora às novas regras do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC).

Está programado para o dia 5 a entrega dos documentos de habilitação e dos lances pelas empresas que vão participar do leilão. Um dos interesses das operadoras de MMDS na licitação é viabilizar a oferta pacotes de TV por assinatura associados aos planos de serviço com internet. Em situação semelhante estão empresas como a Sky e a Telefônica, que também têm operações com a tecnologia de MMDS. No entanto, essas empresas exploram o serviço de TV paga via satélite.

***

[Rafael Bitencourt, do Valor Econômico]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem