Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

FEITOS & DESFEITAS > MÍDIA & MERCADO

Receita da Globo cresce 17% no trimestre

Por Heloisa Magalhães em 21/08/2012 na edição 708
Reproduzido do Valor Econômico, 20/8/2012; intertítulo do OI

Com aumento de audiência, crescimento dos adeptos à televisão por assinatura e maior participação no mercado de publicidade em TV aberta e paga, a Globo Comunicações e Participações fechou o segundo trimestre com receita líquida de R$ 3,17 bilhões, um aumento de 17% na comparação com igual período de 2011. A companhia tinha em caixa R$ 5,7 bilhões, valor 55% a mais que no segundo trimestre do ano passado.

A dívida do grupo, que era de US$ 595 milhões ao final de março de 2012, passou para US$ 835 milhões em 30 de junho, mas, como o caixa das empresas hoje é muito superior à dívida, caso fosse totalmente paga ainda restariam US$ 2,015 bilhões (caixa líquido). O aumento da receita líquida no segundo trimestre deste ano em relação a igual período de 2011 foi de R$ 468 milhões. Desse valor, R$ 209 milhões vieram do crescimento da publicidade, a partir do incremento das vendas e reajuste de preços. Outros R$ 209 milhões foram gerados com programação e conteúdo, boa parte devido ao aumento de assinantes de TV paga. Por fim, R$ 50 milhões referem-se a receita com programação ao vivo.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações (Ebitda) no segundo trimestre de 2012 alcançou R$ 790 milhões, 2% a mais na comparação com o segundo trimestre de 2011. O lucro foi de R$ 490,4 milhões, inferior aos R$ 765,7 milhões registrados no mesmo período de 2011. As despesas aumentaram. O custo de vendas e serviços, excluindo depreciação, cresceu 29% (R$ 390 milhões) no segundo trimestre, na comparação com igual trimestre de 2011. Desse total, R$ 233 milhões referem-se a maiores custos nos direitos de transmissão e exibição de programas. Além disso, os custos com pessoal aumentaram R$ 83 milhões, enquanto R$ 73 milhões foram gastos com produção e eventos.

Resultados compreendem investimentos em associadas

Segundo dados do Ibope-PNT, a TV Globo mantém liderança de audiência e, nos últimos 12 meses, até junho deste ano, atingiu 54% de participação na audiência das 18 horas à meia-noite, e 46% das 7h à meia-noite.

O mercado publicitário brasileiro movimentou R$ 11,7 bilhões até 31 de maio, 11,6% acima do que no mesmo período do ano passado. A publicidade em televisão aberta e paga cresceu 14% no trimestre, sendo que nos primeiros cinco meses de 2012 esses serviços somaram R$ 8 bilhões, o equivalente a 69% do total de anúncios veiculados no país em diferentes mídias, ante 67% em 2011. A TV aberta aumentou um ponto percentual na participação de receita, para 65%. O número de brasileiros adeptos à televisão paga também vem crescendo de forma acelerada. O serviço alcançou 14,5 milhões de assinantes em junho, um aumento de 31% em relação ao ano anterior.

Os resultados da Globo Comunicação e Participação estão no balanço divulgado pela empresa, que incluem a TV Globo, de televisão aberta, além de empresas de programação, como Endemol (50% de participação), Telecine (50%), NBC (47,5%), PB Brasil Entretenimento (60%), Canal Brasil (50%). Os resultados também compreendem investimentos em associadas, como Net Serviços (6,04%), Sky (7%) e GB Participações (15,15%).

***

[Heloisa Magalhães, do Valor Econômico, 20/8/2012]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem