Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

FEITOS & DESFEITAS > SENSACIONALISMO

Entrevistas com criminosos

Por Marcelo Zwarg em 23/01/2007 na edição 417

De onde os donos de TVs e rádios tiraram a informação de que nós, ouvintes e telespectadores, gostamos de ouvir/ver aberrações da natureza humana? Supõem, talvez, que a maioria, em casa, no carro, se delicie com o comportamento anormal da banda podre da raça humana?

Essas deploráveis notícias transmitem energias negativas, causando mal-estar, desconforto, infelicidade…

A imprensa do Brasil não tem respeito pelos lares, nem escrúpulo ao mostrar/descrever cenas degradantes, cujos protagonistas demonstram total desprezo pela vida dos outros.

Mídia está decadente

A imprensa eletrônica simplesmente não se importa se há crianças assistindo aos canais durante o dia.

Esse execrável sensacionalismo que chamam de jornalismo parece mais apologia do crime, que progride, graças ao desinteresse e à inércia dos políticos, que não endurecem as leis penais, que não assustam os criminosos.

Por que a imprensa eletrônica chegou a nível tão baixo? A tão falada liberdade de imprensa não isenta os meios de comunicação da responsabilidade social.

Por outro lado, o governo federal, para manobrar as massas, só ameaça a liberdade de imprensa quando se sente sob risco, politicamente.

A única saída para nós, ouvintes e telespectadores, é selecionarmos com rigor os canais de rádio e TV, pois a maioria está decadente.

******

Empresário, Franca, SP

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem