Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 30 E 31/8

Folha de S. Paulo

02/09/2008 na edição 501

ABSURDOS DO REAL
Ruy Castro

Do noticiário

‘RIO DE JANEIRO – Em junho último, um morador da cidade de Darwin, na Austrália, percebeu um corpo estranho em seu vaso sanitário. Levantou-se às pressas e deu com uma cobra -uma píton de cabeça negra-, de 1,8 metro, saindo dele. Segurando as calças pelos suspensórios, foi acudido por um vizinho, que o acalmou garantindo que a píton não era venenosa. O cidadão mora num 10º andar, seu banheiro não tem janelas, e a cobra só pode ter subido pelo encanamento.

Na Itália, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi está gravando um CD de canções de amor. Já o imaginava cantando ‘Parlame di Amore’, ‘Mariù’, ‘Champagne’, ‘Io Che Non Vivo Senza Te’, ‘Nel Blu Dipinto di Blu’ e outros clássicos à beira da piscina quando fui informado de que as canções serão de sua lavra.

Nesta segunda-feira, durante um vôo Budapeste-Dublin, um vazamento de sopa de cogumelo sobre um passageiro da empresa aérea irlandesa Ryanair provocou uma reação alérgica tão forte no dito cujo que obrigou o avião a um pouso de emergência em Frankfurt, para que ele fosse socorrido. A sopa, pingando de um compartimento sobre a cabeça do homem, desencadeou um inchaço instantâneo em seu pescoço, impedindo-o de respirar.

E, na terça-feira, uma criança de um ano e meio caiu, não se sabe como, de uma janela do terceiro andar de um prédio no bairro de Boa Viagem, no Recife. Mas não morreu, porque a fralda descartável que ela usava ficou enroscada num pedaço de ferro pontiagudo em cima de um muro, impedindo que fosse ao chão.

O que essas notícias têm em comum? Não faço idéia. Mas há ocasiões em que o mundo fica parecido, respectivamente, com uma revista da praça Tiradentes, um programa de calouros do Silvio Santos, uma chanchada da Atlântida e um desenho animado do Údi-Údi.’

 

 

CAMPANHA
Andreza Matais

TSE estuda mudar campanha em rádio e TV após reclamações

‘O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) estuda mudanças na veiculação da campanha de rádio e televisão por um voto consciente que mostra as dificuldades em se viver com um problema durante quatro anos. Por sugestão de eleitores e até de candidatos, o tribunal decidiu, por exemplo, restringir o horário de veiculação de uma das peças.

Depois de ser alertado por mães de que crianças estavam tentando copiar um dos personagens que vive atormentado com uma abelha dentro do ouvido, o tribunal determinou que esse esquete seja veiculado apenas à noite. Por e-mail, uma mãe alertou que o filho de dois anos tentava colocar mel dentro do ouvido, assim como o personagem que tenta ‘alimentar’ o inseto que há quatro anos o acompanha. Como esse é um dos esquetes que faz mais sucesso, o tribunal optou por não tirá-lo do ar.

Outra alteração que vem sendo estudada é não veicular em Porto Alegre (RS) a campanha que mostra uma mulher andando em círculos toda vez que ela está com pressa. Um dos cenários que aparecem é a escadaria da prefeitura da capital gaúcha.

O prefeito José Fogaça (PMDB), candidato à reeleição, encaminhou ao TSE uma reclamação formal para que a propaganda não seja veiculada no município porque pode prejudicá-lo eleitoralmente. O TSE concordou com a reclamação, mas ainda estuda como retirar a peça do ar só no município.

Há ainda o caso de um candidato homônimo a um dos personagens que disse estar sendo prejudicado porque seu adversário o está vinculando à peça. Nesse caso, entretanto, o tribunal entendeu que não há razão para mudar a propaganda.

Para o TSE, o fato de a campanha ter dado tanta repercussão é positivo porque demonstra que ela está chamando a atenção. Segundo a W/Brasil, que fez a campanha, houve ‘uma ou duas reclamações em uma propaganda vista por milhões de pessoas diariamente’.’

 

 

CUBA
Reuters

Cantor punk anti-regime escapa da cadeia em Cuba

‘O cantor Gorki Águila, 39, da banda de punk-rock cubana Pornô para Ricardo, foi absolvido ontem da acusação de ‘periculosidade social pré-delitiva’ e acabou multado por ‘desordem pública’. Preso na segunda-feira, ele poderia ter sido condenado a quatro anos de prisão, mas saiu do tribunal após pagar 600 pesos cubanos (US$ 28) por tocar em alto volume durante um ensaio, segundo relatou seu pai. As músicas da banda criticam o governo, inclusive Fidel e Raúl Castro. Os CDs do grupo são proibidos na ilha, mas circulam clandestinamente. ‘Estou orgulhoso das pessoas que me apoiaram, e sinto ainda mais ódio desta tirania’, disse Gorki.’

 

 

TELECOMUNICAÇÕES
Julio Wiziack e Lorenna Rodrigues

Teles aderem a ‘plano B’ para portabilidade

‘A partir de segunda-feira, a operadora que tiver problemas ao fazer a portabilidade -que permitirá trocar de companhia levando o número do telefone, fixo ou móvel- poderá ser multada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que fixou em R$ 4 a taxa pelo serviço para o consumidor.

A agência afirma que 12 das 18 operadoras que participaram da fase de testes decidiram adquirir um ‘sistema de contingência’. Entre elas estão CTBC, Intelig, Oi, Sercomtel, Brasil Telecom, Telefônica e TIM. O sistema servirá de ‘estepe’ em casos de falhas.

Pelas regras da Anatel, a empresa terá prazo de até cinco dias para efetuar a portabilidade, com carência de duas horas após o horário definido como limite para o cliente. O índice mensal de sucesso terá de ser de 95%. Até ontem, os testes indicavam 87% de sucesso. Caso contrário, a agência abrirá um processo administrativo.

A multa mínima é de R$ 3 milhões. Caso o atraso passe de sete dias, o processo é aberto automaticamente mediante reclamação do cliente à agência.

Quatro operadoras anunciaram isenção da taxa de R$ 4 cobrada pela portabilidade: Vivo, Claro, Oi e Telefônica.

Inicialmente, o serviço será oferecido para 17,5 milhões de clientes. Eles se concentram no interior de São Paulo, nas áreas de DDDs 14 e 17, Espírito Santo (DDD 27), Minas Gerais (DDD 37), Paraná (DDD 43), Goiás (DDD 62), Mato Grosso do Sul (DDD 67) e Piauí (DDD 86).

São Paulo (DDD 11) e Rio de Janeiro (DDD 21), onde estão as maiores concentrações de linhas, só entrarão em 2009.

A previsão da Anatel é que 11,3 milhões de clientes solicitem a portabilidade até agosto de 2009, quando o sistema estará operando em escala nacional. Na média, seriam 941 mil pedidos de portabilidade por mês. Espera-se que, na fase inicial, os pedidos não passem de 300 mil a cada mês.

Fidelidade

Para ter acesso à portabilidade, o consumidor não precisará sequer falar com sua operadora atual. Ele deverá procurar a companhia para onde quer migrar. A regra vale mesmo para os consumidores que tenham contrato de fidelidade por um ano com a operadora atual.

A nova empresa entrará em contato com a operadora antiga e o consumidor receberá, na sua casa, uma conta com as ligações que ainda não foram pagas e, caso esteja previsto em contrato, o valor da multa pela quebra da fidelidade.

Para evitar surpresas nessa hora, recomenda-se negociar antes com a operadora antiga o pagamento das penalidades, especialmente se o cliente ainda estiver pagando as prestações dos telefones subsidiados.

Para a telefonia celular, o consumidor poderá pedir a portabilidade dentro da área com o mesmo DDD -o serviço ainda não será possível fora dessa área. O consumidor pode ainda mudar de pré-pago para pós-pago ou vice-versa e manter o número.

Na telefonia fixa, o consumidor só poderá manter o número se for dentro da mesma cidade ou da mesma localidade -região em que é possível fazer ligação local (mesmo DDD). Também será possível mudar de endereço sem trocar de operadora, mantendo o número.

Outra precaução deve ser o pedido de desbloqueio do aparelho na hora da portabilidade. Como a maior parte das teles móveis vendem aparelhos bloqueados (porque concedem subsídios), pode ser que um não funcione na rede da outra. Esse serviço deve ser prestado gratuitamente ao cliente.

A portabilidade não valerá entre telefones fixos e móveis. No futuro, a expectativa é que se possa fazer a portabilidade completa, entre todos os Estados e tipos de telefone.’

 

 

Elvira Lobato

Relator vê manobra para atrasar lei de TV paga

‘O deputado federal Jorge Bittar (PT-RJ), relator do projeto de lei que prevê a entrada das teles no mercado de TV a cabo, qualificou de ‘manobra protelatória’ o requerimento para aprovação prévia do projeto pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara.

‘É escancaradamente protelatória. Ainda não sei quem foi o autor da idéia, mas tenho minhas suspeitas’, afirmou Bittar à Folha, ontem à noite, ao fim de palestra sobre o projeto na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

A mesa diretora da Câmara aprovou, anteontem, requerimento do deputado Cezar Silvestri (PPS-PR) determinando que o projeto passe à Comissão de Defesa do Consumidor antes de ser votado na Comissão de Ciência e Tecnologia, onde está há mais de um ano.

Ao criar um sistema de cotas de conteúdo nacional para a TV paga, o relatório de Bittar criou uma queda-de-braço entre os grupos Abril, Bandeirantes, Record e SBT contra a Globo. Eles divergem sobre a composição do pacote de canais nacionais obrigatórios e, ainda, sobre o percentual de publicidade na TV paga.

Juntem-se a isso as reclamações dos programadores estrangeiros e das operadoras de televisão por assinatura, que também protestam contra a obrigatoriedade de inclusão de conteúdo nacional nos canais estrangeiros. Há resistência ainda à entrada das teles no mercado de TV a cabo.

Segundo Bittar, se o PL 29 for para a Comissão de Defesa do Consumidor, não será votado antes de meados do ano que vem. Ele pretendia a aprovação do texto até o fim deste ano.

O deputado Cezar Silvestri disse que apresentou o requerimento a pedido da assessoria da Comissão de Defesa do Consumidor e que não conhece o relatório de Bittar.

Supresa

O requerimento apanhou de surpresa tanto os integrantes da Comissão de Ciência e Tecnologia quanto alguns grupos de mídia que participam das discussões. André Mantovani, diretor-geral dos Canais Abril, disse que parecia que se caminhava para um entendimento. Agora se postergou a discussão.

Na terça-feira, segundo Bittar, coordenadores da Comissão de Ciência e Tecnologia vão se reunir para tentar um acordo para que o projeto tramite em regime de urgência.’

 

 

CINEMA
Folha de S. Paulo

Cineasta pioneiro dá aula em feira de rua em SP

‘Dez dias atrás, um velhinho vestindo camisa de mangas compridas abotoadas no pulso, calça social de cintura alta e boné dos ‘New York Yankees’ fazia gestos de diretor de cinema no meio de uma feira de rua na Barra Funda, bairro de classe média baixa de São Paulo.

Quem ‘enquadrava’ com as mãos carrinhos e sacolas de compras era George Stoney, 92, professor de cinema da NYU (Universidade de Nova York), pioneiro do documentário norte-americano e ativista político a favor das TVs comunitárias.

Stoney passou duas semanas no país, a convite do Instituto Criar, ONG fundada pelo apresentador de TV Luciano Huck que dá cursos gratuitos de técnicas de audiovisual para jovens de baixa renda. Naquela quinta-feira, conduzia uma turma de 30 alunos e ensinava técnicas de filmagem e ‘faro’ para reconhecer boas histórias.

‘O problema aqui é o contraste entre luz e sombra, que é muito grande’, traduzia a intérprete, enquanto ele se protegia do sol sob uma barraca de frutas. Conversa com o vendedor. ‘Nós desafiamos os alunos a encontrarem histórias interessantes. Esse rapaz acabou de me dizer que quer aparecer no filme, para que sua namorada o reconheça e volte para ele. Você já tem uma história aí.’

Danilo Lourenço Pinto, 19, ‘mas todo mundo me chama de ‘Gostoso’, afirma estar separado de Daiane, de quem ainda gosta. A razão da briga? ‘Por que é que mulher larga homem?’, ele pergunta, de forma retórica. ‘Dinheiro, meu, sempre dinheiro’, explica.

Stoney esteve no Brasil pela primeira vez nos anos 70, e diz ter trabalhado com o diretor de teatro Augusto Boal e com o educador Paulo Freire (1921-1997). Nos EUA, advogou pela criação da lei que garante a existência de TVs comunitárias a partir de taxas pagas pelos canais a cabo.

O diretor, que ministra o curso de ‘produção de documentários socialmente relevantes’ na NYU, diz que seu interesse maior está em formar cidadãos. ‘Quando se envolvem na produção de filmes, os alunos percebem como eles sempre se aproximam da verdade, em vez de alcançar a verdade em si. Isso os torna mais críticos.’’

 

 

TELEVISÃO
Thiago Ney

John Belushi é relembrado pelo ‘SNL’

‘O jornalista Bob Woodward escancarou o escândalo de Watergate em 1972, mas ele também é lembrado por ter escrito ‘Wired: The Short Life and Fast Times of John Belushi’, biografia de Belushi publicada nos EUA em 1984, dois anos depois da morte do comediante. Belushi tornou-se personagem mítico do humor norte-americano. Participou da primeira turma do ‘Saturday Night Live’, em 1975. Ganhou fama com o programa, e ficou ali até 1979. Esses momentos serão lembrados em especial que o canal Sony exibe às 23h de hoje. Belushi tinha um humor físico (bastava erguer uma das sobrancelhas…) e deliciosamente meio estúpido. Saiu do ‘SNL’ para investir na carreira cinematográfica. Ele pode ser visto em ‘Clube dos Cafajestes’ (1978), clássico das comédias universitárias americanas, e no musical-pastelão ‘Os Irmãos Cara de Pau’ (1980), ambos dirigidos por John Landis e disponíveis em locadoras no Brasil. Morreu em março de 1982, por overdose de speedball (mistura de heroína e cocaína), num quarto do Chateau Marmont, em Los Angeles.

SATURDAY NIGHT LIVE – ESPECIAL JOHN BELUSHI

Quando: hoje, às 23h

Onde: Sony

Classificação indicativa: não recomendado para menores de 16 anos’

 

 

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – 1

Folha de S. Paulo – 2

O Estado de S. Paulo – 1

O Estado de S. Paulo – 2

Comunique-se

Carta Capital

Terra Magazine

Agência Carta Maior

Veja

Jornal do Brasil

Tiago Dória Weblog

Direto da Redação

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem