Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

FEITOS & DESFEITAS > DESENHOS ANIMADOS

Impróprios, infantis ou desumanos?

Por Samira Moratti em 11/03/2008 na edição 476

De acordo com informações do site G1, o canal de TV russo 2X2, especializado em animações para adultos, teve que retirar do ar o desenho Happy Tree Friends após reclamação do governo. De acordo com a revista Variety, a animação era imprópria por conter cenas de violência trocadas entre os personagens. No Brasil, a série é transmitida na MTV todas as quartas-feiras, às 23h30.

Apesar do fato, a emissora respondeu que o desenho não era transmitido em um horário no qual crianças pudessem assistir. Além disso, uma mensagem explicitando que o desenho era inapropriado para crianças era divulgada antes de exibi-lo.

A notícia pode – e deve – ser mote para discussões aqui no país. Não, no sentido da atitude do governo, mas sim, do conteúdo dos desenhos animados. Hoje, consideram-se inapropriadas cenas, imagens ou sons que contenham conteúdo apelativo, como pornografia ou palavrões. No entanto, as animações assistidas diariamente por milhares de crianças brasileiras, nos mais variados canais abertos e fechados, utilizam outros artifícios que poderiam ser considerados inapropriados. Muitos deles banalizam a amizade, envolvendo brigas entre amigos. Alguns, considerados inofensivos tais como Tom & Jerry e Coiote e Papa-Léguas, mostram por vezes ambos se agredirem ou se matarem e, logo após o feito, reviverem. De certo modo, uma criança de oito anos sabe que isso é impossível; já uma de dois ou três anos não terá esse mesmo raciocínio.

Mentes críticas e reflexivas

O desenho Itchy & Scratchy (Comichão e Coçadinha), exibido internamente em The Simpsons, também utiliza brigas e agressões variadas para levar Bart, Lisa ou Maggie às gargalhadas. O que parece engraçado é, na verdade, motivo para reflexão sobre até onde é válido usar a banalização excessiva da violência. A mesma análise deve ser feita no jornalismo.

Ora, em meios jornalísticos, se discute há tempos o tabu de divulgar ou não notícias sobre suicídio. Os códigos de ética mencionam evitar a divulgação, exceto nos casos em que o suicida é famoso, além do fato da notícia em questão ter validade para a sociedade, como a morte de um presidente, por exemplo. Porém, é válido divulgar assassinatos, estupros seguidos de morte, ou qualquer outro fato que contenha muito sangue e palavras tanto quanto invasivas. Logo, que critério é esse que valida certas notícias e outras não?

Diz-se que, ao divulgar notícias sobre suicídio, por exemplo, pode-se influenciar esse tipo de comportamento na sociedade. E ao divulgar cenas de violência? Não há influência? E quando o repórter se refere ao corpo da vítima com a expressão ‘… o que sobrou do corpo’, por exemplo? Também não é nocivo, inapropriado?

Assim também o é com desenhos animados. Os mangás, em sua maioria, usam a perspectiva violência = audiência. Mas não é exclusividade deles. Os norte-americanos X-men, Spider Man ou outro qualquer que se valha da narrativa violenta como forma de obter atenção, também devem ser foco de análise. Além de conter violência, muitos deles possuem mensagens subliminares, motivando o consumo entre outras ações, de forma psicológica. É necessária maior atenção ao conteúdo repassado às crianças, assim como no que é recebido através dos noticiários. Dessa forma, serão garantidos subsídios para mentes críticas e reflexivas.

******

Acadêmica de Jornalismo, Florianópolis, SC

Todos os comentários

  1. Comentou em 21/03/2008 Artur de Bem

    Boa garota!
    E sobre os comentários, é a cultura americana ver X-Man. É a cultura japonesa ver mangás. Por mais que haja a globalização, certas coisas não se adaptam na cultura brasileira. Não vai ser o mangá ou o X-Man que vai tornar uma criança violenta.
    Sempre vi Tom & Jerry, ainda vejo, joguei jogos de vídeo-game de briga e não cresci violento.

    Concordo com a Samira sobre esse lançe de mostrar violência nas reportagens. Me lembro do debate com profissionais da área, que ocorreu aqui na faculdade no começo do semestre. Pura hipocrisia.

    Dizer que desenho pode influenciar criança a ser violenta…… duvido.
    Mas já vi muita gente no morro onde eu moro ficar empolgado porque viu um conhecido na televisão ser preso. Creio que o sonho dele era aparecer na tv sendo preso também. E agora? O que influencia quem?

    Axé.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem