Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

FEITOS & DESFEITAS > PROPAGANDA AMERICANA

Investimentos e cortes em radiodifusão estatal

08/02/2007 na edição 419

A administração Bush tem novos planos para os programas de rádio e televisão patrocinados pelo governo e transmitidos no exterior, noticia P. Parameswaran [AFP, 5/2/07]. Enquanto na Coréia do Norte, Irã e Cuba a campanha midiática receberá mais investimentos, os programas em cantonês, tibetano e português não receberão mais verba governamental sob a proposta do orçamento fiscal do ano de 2008 enviada ao Congresso dos EUA.


Mais tempo e verba


Em relação ao orçamento previsto para 2007, a quantia a ser investida em 2008 em programas no exterior – que incluem os serviços da Voz da América (VOA) e da Radio Free Asia (RFA) – deve crescer 3,8%, o que totaliza um valor de US$ 668,2 milhões. A Voz da América é o serviço radiofônico oficial do governo americano, e a Radio Free Asia é um serviço radiofônico financiado pelo governo que tem como missão oficial ‘promover e sustentar a liberdade e a democracia ao divulgar informações corretas sobre os EUA e o mundo à audiência no exterior’.


Além de mais dinheiro, a VOA e a RFA passarão a ter 10 horas de programação conjunta na Coréia do Norte; no Irã, a VOA passará a ter 12 horas. Atualmente, o serviço é transmitido durante três horas e meia diariamente na rádio norte-coreana, enquanto a RFA ocupa uma programação de quatro horas por dia. O interesse dos EUA nas duas nações é explicado pelo fato de o país liderar campanhas internacionais para pôr fim ao programa de armas nucleares da Coréia do Norte e para suspender as atividades atômicas no Irã.


Em relação a Cuba, o governo aumentará a capacidade de transmissão e de produção da rádio e TV Marti, com sede em Miami e dirigida aos cubanos. A VOA também ganhará mais um dia de programação, e aumentará a transmissão de seis para sete dias na semana.


O aumento no orçamento também prevê iniciativas para atingir audiências muçulmanas, como transmitir a VOA e programas televisivos na fronteira do Afeganistão com o Paquistão, além de investimentos no al-Hurra Europa, serviço em árabe na Europa destinado a melhorar a imagem dos EUA.


Cortes


Para financiar estes aumentos, algumas regiões sofreram cortes. As transmissões da VOA e RFA em cantonês, uzbeque, ucraniano, tibetano e português [para a África; no Brasil, a VOA já não é mais transmitida desde 2001] serão extintas. Os programas na Romênia, Eslováquia e Cazaquistão receberão menos verba.


‘São propostas que, se aprovadas, passarão a fazer efeito a partir de outubro deste ano’, informou Larry Hart, porta-voz do conselho de governors que monitora programas no exterior financiados pelo governo dos EUA. Em um memorando interno que vazou à imprensa, o conselho alegou que tais mudanças privilegiaram os desafios imediatos e mais importantes à segurança americana. Para tentar amenizar o impacto dos cortes, estariam sendo oferecidas aos empregados demissões voluntárias e oportunidades de trabalho em outras localidades.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem