Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

FEITOS & DESFEITAS > ECOS DA COPA

‘Jornal Nacional’ corta elogios de Neymar a Messi

Por Mauricio Stycer em 12/07/2014 na edição 806

Reproduzido do UOL Esporte [11/7/14]

Um dos momentos mais inesperados da entrevista de Neymar na tarde de quinta-feira [10/7]  na Granja Comary foi a resposta sobre para qual seleção torceria na final da Copa do Mundo. O jogador driblou com inteligência a rivalidade de brasileiros com argentinos e, elogiando Messi, deu uma contundente declaração de apoio aos “hermanos”. Veja:

“Se você parar para pensar: um brasileiro torcendo pela Argentina? Não, não tô torcendo pela Argentina. Tô torcendo para dois companheiros… Uma pessoa que eu passei a admirar ainda mais por estar ao lado dele todos dias. É um jogador que eu tinha como espelho, um ídolo, admirava de longe, por suas qualidades dentro de campo. E ali (no Barcelona) eu passei a admirá-lo como pessoa, como jogador, e ver que nos treinos ele é tão ou mais especial do que nos jogos. É por isso que minha torcida é sempre pro Messi. Eu sou Messi Futebol Clube. Eu torço por ele. Pela história que ele e o Mascherano têm no futebol, eles merecem.”

O Jornal Nacional editou radicalmente esta resposta à noite. O repórter Tino Marcos falou: “Sobre a final de domingo, (Neymar) não disse que vai torcer pela Argentina, mas pelos companheiros de Barcelona, Messi e Mascherano”. Em seguida, a fala de Neymar foi reduzida a uma linha: “Um brasileiro torcendo pela Argentina? Não, não tô torcendo pela Argentina. Tô torcendo pra dois companheiros.”

Por que este corte? Só vejo uma razão. A fala tão simpática de Neymar em defesa de Messi destoa radicalmente da postura que o próprio Jornal Nacional adotou um dia antes.

Na quarta-feira [9/7], a notícia da vitória da Argentina sobre a Holanda foi tratada pelo telejornal como um fato doloroso. A primeira frase do telejornal, lida por Patricia Poeta, foi: “A dor da nossa derrota é agravada por nossos rivais”. Em seguida, comentando a volta da apresentadora à bancada, William Bonner disse: “É a única noticia boa trazida pela Copa do Mundo nas últimas 24 horas”.

A insistência em lamentar a classificação da Argentina para a final prosseguiu quando Cleber Machado quis saber de Bonner se ele considerava a derrota da Holanda uma má notícia: “E já que você perguntou, Cleber, não, eu não gostei da vitória da Argentina”, disse o apresentador.

“Mas eu gosto muito da Argentina, gosto do povo, é um povo alegre, são nossos vizinhos… Eu só não consigo torcer muito pra Argentina no futebol”, acrescentou Bonner. “É compreensível”, disse Patricia Poeta.

Bonner, então, pela quarta vez retomou o tema: “E você, Mauro Naves, gostou do resultado da Argentina?”. Ao que o repórter, em Teresópolis, respondeu: “Não, não gostei. E por aqui também gostaram pouco.”

Em resumo, Bonner e equipe podem torcer contra a Argentina. Mas os elogios de Neymar a Messi não têm espaço no telejornal.

******

Mauricio Stycer é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem