Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

FEITOS & DESFEITAS > BOM-MOCISMO EM QUESTÃO

Mídia blinda governador de Minas

Por Vanderson Freizer em 10/11/2009 na edição 563

A mídia mineira e a imprensa nacional criaram uma espécie de blindagem em torno do governador Aécio Neves, intocável em suas atitudes negativas, tal como o ocorrido em uma festa da Calvin Klein no domingo [25/10], no hotel Fasano. Segundo informações a mim enviadas por jornalistas ligados ao UnBlog (www.vandersonfreizer.zip.net), o governador empurrou sua acompanhante na ocasião e a agrediu com um tapa. Diante do constrangimento causado pelo fato, cada um tomou um lado diferente na festa.

A imprensa brasileira não pode cometer os mesmos erros cometidos com Fernando Collor, que também agredia sua ex-mulher – informações que, na época da corrida eleitoral disputada por Collor, foram omitidas pela mídia. Fernando Collor foi eleito e o caso teve pouca repercussão na mídia até que Rosane Malta resolveu contar tudo sobre o ex-presidente.

A omissão da mídia favoreceu as vitórias de Collor, não só como presidente, mas também como senador pelo estado de Alagoas, além de dar margens à impunidade e tornar desacreditadas a imprensa e a justiça do Brasil.

O estado de Minas Gerais enfrenta problemas graves em várias esferas administrativas. Professores ganham mal, estradas ruins, causando centenas de mortes por ano, problemas na saúde, entre outras coisas. Mesmo assim, os jornais mineiros defendem arduamente o governador e a mídia nacional contribui para a imagem de ‘bom-moço’ de Aécio.

Caráter também deve ser julgado

Não estou aqui querendo denegrir a imagem do governador, apenas espero que a mídia mostre os prós e os contras dos nossos representantes para que os eleitores possam fazer o julgamento correto e escolher bem os políticos deste país. É importante sabermos que nossa imprensa é imparcial e não maquia os fatos.

Diz a frase ‘contra fatos não há argumentos’. É importante termos conhecimento dos fatos para criarmos argumentos necessários para elegermos nossos futuros representantes.

O que os diretores dos grandes jornais precisam ter em mente é que o acesso à internet é feito por milhares de pessoas, existem centenas de blogs, sites, comunidades que vão ter acesso a várias informações e vão publicá-las. Logo os grandes estarão desacreditados, por privilegiarem este ou aquele cidadão. A lei Maria da Penha é tão defendida pela grande mídia nacional e simplesmente deixam passar batido tal ocorrido.

Escrevam, nobres e influentes jornalistas do Brasil, ponham na berlinda os grandes cidadãos do país e eles que se defendam. Mostrem aos brasileiros os fatos, é para isso que servem os meios de comunicação ‘livres’ desta nação.

É importante saber passo a passo tudo o que os futuros presidenciáveis fazem em off e fora da política. O caráter também deve ser julgado quando o assunto é presidência, senado ou outros cargos públicos. Temos que confiar em quem estamos votando e acima de tudo temos que ter certeza de que o que lemos em jornais, revistas, assistimos em emissoras de TV, ouvimos em rádios e encontramos em sites da internet é confiável. É de direito termos todas as informações de nossos representantes.

******

Jornalista, jornal O Divisor Diamantino, MT

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem