Segunda-feira, 20 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1037
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Nanodicionário de termos e expressões indevidos, v. 7

Por Mauro Malin em 13/12/2013 na edição 776

São usados equivocadamente na mídia brasileira:

>> “Apócrifo”. Qualquer dicionário, por modestas que sejam suas ambições, dará ao consulente o significado da palavra: inautêntico, cuja autoria não se provou. O adjetivo é usado incorretamente há décadas no lugar de “anônimo” (não assinado, não identificado). A palavra apócrifo vem do grego e foi empregada em latim eclesiástico para designar algo que o cânone religioso não reconhecia. A mídia jornalística pode dizer que os documentos do caso Siemens/Alstom são anônimos, mas não que são “apócrifos”, porque a condição de inautenticidade deve ser estabelecida pela Justiça, não pelo ilustre repórter ou editor.

>> Proliferar(“-se”). O verbo é intransitivo, mas os jornais, que deviam educar o povo, desaprendem com suas parcelas menos letradas. Valor, 12/12: “Os protestos de sem-teto se proliferaram…” (entrevista com Fernando Haddad, pág. A16).  

 

Leia também

Volume 6 e anteriores.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem