Sábado, 25 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

ENTRE ASPAS >

New York Times lidera premiação do Pulitzer

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 21/04/2009 na edição 534

Leia abaixo a seleção de terça-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 21 de abril de 2009


 


PRÊMIO
Associated Press


‘NYT’ lidera premiação do Pulitzer com 5 reportagens


‘O jornal ‘The New York Times’ foi o grande vencedor de ontem do Prêmio Pulitzer, a mais importante premiação jornalística dos EUA, com cinco reportagens agraciadas.


Entre as premiadas, está a que revelou o envolvimento do então governador nova-iorquino Eliot Spitzer em uma rede de prostituição de luxo, que provocou sua renúncia. O caso teve a participação de uma cafetina brasileira de 33 anos.


O ‘Las Vegas Sun’ recebeu o Pulitzer de serviço público por reportagem que revelou os altos índices de mortalidade entre trabalhadores do aquecido setor de construção da cidade.


O ‘Detroit Free Press’ foi premiado por matéria sobre mensagens de texto com conteúdo erótico de autoria do prefeito da cidade, que devido ao caso renunciou ao cargo.


O ‘Times’ foi premiado ainda na categoria internacional ao mostrar o aumento das operações dos EUA no Paquistão a partir do Afeganistão. No ano passado, o jornal nova-iorquino havia recebido dois prêmios e ficado atrás do ‘Washington Post’, que recebeu então seis.


O ‘East Valley Tribune’, do Arizona, foi contemplado por revelar que o foco no combate à imigração ilegal provocou aumento de outros crimes.


Esta foi a primeira vez que veículos somente eletrônicos puderam concorrer, mas nenhum deles foi agraciado.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Aos 40 anos, ‘JN’ fica mais vivo e informal


‘O ‘Jornal Nacional’ começou a mudar na semana passada. As mudanças já apontam um ‘JN’ com mais entradas ao vivo e menos formal. O ciclo se fechará em setembro, quando o jornal completará 40 anos e ganhará novos cenário e bancada.


A principal mudança até agora está nas entradas ao vivo. Antes, os repórteres tinham 30 segundos para relatar as informações. Suas falas eram praticamente decoradas.


Agora, os repórteres têm um minuto ou um minuto e meio para falar. Eles não têm mais que cumprir o tempo à risca, para que suas participações fiquem mais ‘faladas’ e naturais.


A duração do ‘JN’, no entanto, continua rígida. Para compensar estouros, William Bonner, que também é editor-chefe, faz mudanças nos intervalos, ‘derrubando’ notas.


Na semana que vem, Bonner conduzirá um workshop com todas as afiliadas da Globo para ‘azeitar’ as mudanças.


Pelas novas regras, Bonner e Fátima Bernardes podem fazer comentários, mas sempre de caráter noticiosos.


Uma das metas do jornalismo da Globo neste ano é renovar a linguagem, complementando as mudanças de conteúdo feitas nos últimos anos, com coberturas político-eleitorais mais extensas e intensas e ancoragem fora de estúdio. Em setembro, a mudança ficará mais nítida. A nova bancada terá lugar para repórteres comentarem séries especiais.


AUSÊNCIA


O ministro Hélio Costa (Comunicações) não foi à NAB 2009, tradicional feira de televisão que ocorre nesta semana em Las Vegas. No ano passado, Costa levou a mulher, cinco assessores e os sogros. O governo gastou R$ 83.500 em diárias e passagens. Os sogros do ministro viajaram em um pacote promocional da associação das TVs de São Paulo, mas teriam pago suas despesas.


FOI ELE


Com uma reportagem sobre tráfico e escravidão de mulheres, o ‘Repórter Record Especial’, de Roberto Cabrini, estreou anteontem com média de 13,7 pontos na Grande SP. O desempenho explica, em parte, a baixa audiência, para os padrões da Globo, do ‘Fantástico’ -20 pontos. Outro motivo foi o número menor de TVs ligadas.


SANGUE


Já o ‘Domingo Espetacular’, cada vez mais policial, perdeu de novo para o ‘Domingo Legal’, do SBT, por 12,5 a 11,2.


PARECE NOVELA


Foi mal o primeiro episódio de ‘Tudo Novo de Novo’, nova série das sextas-feiras da Globo. Arrastada, deu 14,6 pontos. No ano passado, ‘Dicas de um Sedutor’ dava mais. E morreu na primeira temporada.


MENOS


O novo programa de Adriane Galisteu, o ‘Toda Sexta’, marcou 2,4 pontos e derrubou o ibope da Band. Antes, no mesmo horário, o rifado ‘Terra Nativa’ cravava até 4.


FURADA


Na Globo, o segundo SPFC x Corinthians deu dois pontos a menos do que o primeiro.’


 


 


Fernanda Ezabella


Programa entrevista Mauricio de Sousa


‘Mauricio de Sousa fala de sua vida antes da Turma da Mônica, quando virou repórter policial da Folha, nos anos 50. No programa que vai ao ar hoje, no canal pago Ideal TV, o artista fala do ‘balde de água fria’ que recebeu do jornal ao apresentar suas criações, mas aceitou trabalhar na reportagem até toparem publicar sua tirinha do Bidu, em 1959.


Mauricio de Sousa diz que chegou a ser demitido como desenhista, mas voltou à Folha para ajudar a lançar o suplemento Folhinha e estabelecer as bases de sua empresa, que começou com um estúdio dentro do próprio jornal.


‘Se eu não tivesse passado pela reportagem, talvez eu fosse desenhista de história em quadrinhos, mas não escritor de história em quadrinhos’, diz Mauricio. ‘Fui me habituando a essa concisão [do texto jornalístico], que depois me ajudou a encaixar o texto no balão.’


Ele fala de sua infância, numa família de artistas, na qual costumava rabiscar os livros de poesia do pai. Também comenta de onde tirou inspiração para seus personagens mais famosos e para aonde caminha sua empresa, que conta direta e indiretamente com 150 artistas. De embalagem de goiabada a fraldas, a Turma da Mônica cresceu tanto que hoje tem seu público até na China.


MAURICIO DE SOUSA


Quando: hoje, às 21h


Onde: Ideal TV


Classificação: não informada’


 


 


LITERATURA
Folha de S. Paulo


Livro reunirá textos do blog de Saramago


‘Os textos do blog de José Saramago serão reunidos em ‘O Caderno’. O livro, publicado pela fundação que leva o nome do escritor em parceria com a Editorial Caminho, será lançará nesta quinta. Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, Saramago mantém desde setembro o endereço (http://caderno.josesaramago.org), no qual escreve textos, relatos bem-humorados e tece opiniões sobre políticos como Barack Obama e Nicolas Sarkozy.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 21 de abril de 2009


 


DEFESA
O Estado de S. Paulo


Jornal diz que Sarkozy não ofendeu Zapatero


‘O jornal francês Libération comentou em editorial a reportagem que acusou o presidente Nicolas Sarkozy de criticar outros líderes mundiais. O diário esclareceu que no contexto em que os comentários de Sarkozy foram feitos ele não insultou o premiê espanhol, José Luis Zapatero – chamando-o de ‘pouco inteligente -, mas o defendeu.’


 


 


DESABAFO
Arnaldo Jabor


Carta aberta aos jornalistas brasileiros


‘Prezados jornalistas,


Escrevo estas mal traçadas linhas porque não suporto mais ver vocês perdendo tempo ao criticar o Senado e a Câmara. Está na hora de alguém (no caso, eu) mostrar como vocês são ingênuos, esquemáticos e (por que não dizê-lo?) burros. Ficam reclamando nos jornais e TV que os parlamentares têm verbas sem fim, dezenas de assessores, notas fiscais falsas, aviões para as amantes, roubalheiras com empreiteiras e outras minúcias. Vocês, jornalistas, não entenderam ainda que o mundo de um deputado ou senador é diferente do mundo humano? Vocês não sabem o que é a mente de um deputado.


Nós somos escolhidos entre os mais espertos dentre os mais rombudos e boçais. A estupidez nos fornece uma estranha forma de inteligência, uma rara esperteza para golpes sujos e sacos puxados. Nós somos fabricados entre angus e feijoadas do interior, em favores de prefeituras, em pequenos furtos municipais, em conluios perdidos nos grandes sertões. Nós somos a covardia, a mentira, a ignorância. Nós somos a torta escultura feita de palha e barro, de gorjetas, de sobras de campanha, de canjica de aniversários e água benta de batismos.


Para nós, ‘interesse nacional’ não existe.


Querem o quê? Que pensemos no interesse de um ?grande Outro? que não conhecemos? Ora, poupem-nos! Isso não existe dentro deste Congresso – só na imaginação de um ou outro parlamentar intelectual, que se sente aqui como donzela em puteiro. Estamos aqui para lucrar; se não, qual a vantagem da política? Somos uma frente natural contra o ?progresso?. Defendemos o atraso e a lentidão em todas as siglas, do DEM ao PT e, principalmente, no delicioso paraíso de pecados do PMDB, todos unidos contra o tal ‘interesse nacional’.


Nós temos um tempo diferente do vosso. Sabemos que os brasileiros vivem angustiados, com sensação de urgência. Problema deles: apressadinhos comem cru. Este termo ‘urgência’ quer nos transformar em servidores da sociedade civil. Ela é que nos serve.


Que nos interessa a pressa nacional? Nosso conceito de tempo é outro. É doce morar lentamente dentro dessas cúpulas redondas, não apenas para maracutaias tão ‘coisas nossas’ – é um vago sentimento de poesia brasileira. Queremos saber se nosso curralzinho está satisfeito conosco. Temos o direito de viver nosso mandato com mansidão, pastoreando nossos eleitores, sentindo o frisson dos ternos novos, dos bigodes pintados, das amantes nos contracheques, das imunidades para humilhar garçons e policiais. Detestamos que nos obriguem a ?governar?. Não é preguiça – porque gastamos mil horas em comissões e conchavos -, é por amor ao fixo, ao eterno. E preciso confessá-lo: nós temos a fantasia sexual de ?sermos? a sociedade.


Será que vocês não entenderam ainda que nada nos dobrará? Que nós não combinamos bem com estas cúpulas futuristas do Niemeyer, pois só pensamos em preservar o passado? Futuro para nós é mais grana no bolso e mais ‘pudê’, sempre. Será que vocês não sacaram ainda que nós não estamos na Câmara de Londres, nem na França ou USA? Nossa única ?democracia? é um vago amor pelos amigos, uma poética queda para a camaradagem, a troca de favores, sempre com gestos risonhos, abraçando-nos pela barriga, na doce pederastia de uma sociedade secreta. Vocês não imaginam a delícia de serem chamados de ‘canalhas’, o prazer de sentir-se superior a xingamentos, superior à ridícula moralidade de classe média. Nossa única moralidade é vingar-nos de inimigos, cobrar lealdade dos corruptores ativos, exigir pagamentos de propina em dia. Vocês não conhecem a ventura de chegar em casa, com os filhinhos vendo TV, com a grana quentinha no bolso – uma propina gorda de empreiteira. Vocês não sabem o que é bom…


Me dá muito prazer também, escribazinhos de jornal e tagarelas da TV, me dá grande volúpia rir de vossos rostos retorcidos, no afinco de achar o adjetivo que poderia nos desmascarar… Nada nos atinge.


Vocês são uns rancorosos… Têm inveja de nossos privilégios e imunidades, têm inveja de nosso cinismo, de nossa invulnerabilidade.


Às vezes, até acho que fazemos um desafio proposital ao desejo golpista de muitos, para ver até onde os defensores de uma nova ditadura aguentarão nossa falta de vergonha. Por vezes, alguns fracotes têm uns ‘frissons’ de responsabilidade, uns discursos mais acesos, mas tudo se dilui na molenga rotina dos quóruns, nas piadas dos saguões, nas coxas de uma secretária que passa.


O Lula já entendeu tudo… Ele é mais inteligente que vocês. Ele sacou que não adianta nos contestar. Por isso, ele nos usa gostosamente para seus fins pessoais… Grande Lula! Que bem que ele nos fez… Lula nos fez florescer como nunca antes neste país, desde Cabral…


Nós nos refazemos como rabo de lagarto; vejam o Renan, líder do PMDB, vejam Collor, Roriz, Lobões, Maluf, todos regidos pelo grande timoneiro do atraso, o eterno Sarney.


Ouso mesmo dizer que estamos até defendendo uma cultura! O país não se governa apenas por novos slogans da moda; um país são séculos de hábitos e cacoetes sagrados. Vocês sabem o que é a beleza do clientelismo? Sabem o que são séculos de formação ibérica, onde um amigo vale mais que a dura impessoalidade dos cruéis saxões? A amizade é mais importante que esta bobagem de interesse nacional! O que vocês chamam de irresponsabilidade e corrupção do Congresso é a resistência da originalidade brasileira, é a preservação generosa do imaginário nacional!


Há em nós a defesa de 400 anos de patrimonialismo!


E tem mais: tentem esculachar o Congresso… Cuidado!


Sereis chamados de ‘fascistas’, de amigos da ditadura…


A democracia é para nós apenas um pretexto para a zorra absoluta.


Ha-ha-ha!!! Que ironia: nós somos o símbolo da liberdade! Ha-ha-ha…..!!!


Vocês me dão pena… Acham que podem nos atingir… somos eternos.


Desistam logo, idiotas…!


Cordialmente,


Fulano, Beltrano e Sicrano.


Diretor-geral do Atraso, o diretor do Departamento do Baixo Clero e o diretor-geral de Negócios Escusos…’


 


 


TELEVISÃO
Cristina Padiglione


Para rachar a conta


‘Depois de acertar a compra dos direitos de transmissão da Copa de 2010, a ESPN Brasil pode fechar negócio também para ter a Olimpíada de 2012. Tanto o grupo ESPN como a BandSports estão no alvo da GloboSat, detentora dos direitos de Londres 2012 e da Olimpíada de Inverno de Vancouver na TV paga brasileira.


O acerto com ESPN e BandSports ajudaria a Globosat a cobrir a conta paga à Record pelos dois eventos – a rede de Edir Macedo adquiriu em primeira mão os direitos olímpicos de Vancouver, Londres e do Pan de Guadalajara para todas as mídias brasileiras – TV aberta, web e TV paga. A Globosat jura que pagou por Londres e Vancouver o mesmo que pagaria à própria TV Globo – com a diferença, considerável, que pagar à TV Globo significaria manter o dinheiro dentro do mesmo grupo.


Como já vendeu as seis cotas de patrocínio oferecidas ao mercado para a Copa de 2010, o SporTV não sofre risco de ser afetado pela concorrência da ESPN. Pelo negócio, a ESPN terá direito a exibir o mundial por três canais – além do ESPN e do ESPN Brasil, uma terceira sintonia será negociada com as operadoras, só para o evento.’


 


 


LITERATURA
EFE


Textos do blog de Saramago ganham livro


‘Os textos publicados pelo escritor português José Saramago em seu blog serão reunidos em um livro que tem o título de O Caderno. Desde setembro do ano passado, Saramago, já honrado com o Prêmio Nobel de Literatura, mantém seu blog, onde fala não apenas de colegas escritores e do ofício de escrever, como também de política. ‘O Caderno não é um livro de crônica para jornais, mas, sim, um livro sobre a vida’, disse Pilar del Río, mulher do escritor. A tiragem inicial da edição, parceria da Editorial Caminho com a Fundação Saramago, será de 5 mil livros, que devem chegar às livrarias na semana que vem.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem