Sexta-feira, 22 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

FEITOS & DESFEITAS > OBSERVATÓRIO, 10 ANOS

Novo site, modo de usar

Por Redação do OI em 09/05/2006 na edição 337

O consultor Andre de Abreu planejou ao longo de oito meses, com os editores Luiz Egypto e Mauro Malin, apoiados pela webmaster Andrea Baulé, a nova arquitetura do site Observatório da Imprensa. Jornalista de formação, em seu artigo de apresentação dos resultados, na edição de aniversário, Andre deixou bem claro: a opinião do usuário é imprescindível em todas as etapas do projeto. Ele recorreu a pesquisas e ao contato direto com leitores no processo de planejamento das mudanças.


O OI sempre muda a pedidos. O leitor reclamava muito do ‘peso’ do Índice. Separamos o Índice da home page, deslocamos as cartas para um diretório específico. O leitor reclamou:


– O Índice sumiu! As cartas sumiram!


Novo projeto, estrutura mudada, site bem leve, índice redistribuído entre as várias seções, o leitor reclama:


– As seções sumiram! Meu colunista favorito sumiu! Os blogs sumiram!


Não, leitor. Todas as seções permanecem, como também seu ‘colunista favorito’ e os blogs. Para mostrar o muito simples caminho das pedras do novo site, a Redação do OI preparou uma bula com o passo a passo do projeto.


1) Na capa ou homepage – Destacam-se vários elementos de navegação. Esqueça por enquanto a barra azul – destaquemos primeiramente três elementos: as chamadas, o Índice Geral e a coluna da direita.



** A manchete da edição e as chamadas para os artigos continuam na capa, como sempre, ladeadas pela charge do ilustrador Spacca. Para rolar as chamadas, a fina e elegante barrinha do projeto original foi substituída: a pedido dos leitores, usuários de plataformas como Linux e Mac ou de navegadores como Opera e Firefox, optamos pela velha barra do Windows.


** O Índice Geral continua presente e ativo nos pequenos botões em vermelho-vivo – acima da manchete e abaixo da última chamada. Use e abuse: clicando-se no botão, abre-se o índice de artigos da seção que contém o texto da manchete. Mas observe a figura abaixo: estão expostas logo acima, em azul, todas as demais seções. O leitor pode ir abrindo uma a uma na mesma janela do navegador. Para ler um artigo, basta clicar no título. Para voltar ao índice, basta clicar em ‘Voltar’, na barra do navegador. O índice continua ali, completo: o leitor não se perde na navegação.



** Volte por um instante à imagem da capa, lá no alto, e observe: na coluna da direita há um destaque para um autor, com seu nome em vermelho-vivo – no caso, o do editor-responsável do OI, Alberto Dines, cujos textos geralmente atraem grande número de leitores e comentários. O espaço prevê rodízio com os blogueiros do OI – Mauro Malin, Luiz Weis, Carlos Castilho e Alceu Nader – e demais articulistas. Estão abaixo do destaque a Urna OI, agora em lugar fixo, e links como Fale conosco, RSS e Boletim – este, em construção, virá em breve, para cadastramento de e-mails na lista dos informativos OI.


Observe agora na imagem abaixo que, nas páginas internas – onde ficam os artigos –, o espaço do destaque tem outra função: ali fica o crédito, ou seja, a qualificação do autor do texto: o leitor não precisa rolar a matéria até o fim para ver quem é o articulista – no caso, Venício A. de Lima. O crédito agora se alinha ao título do artigo. Abaixo do crédito ficam os demais artigos da seção – recurso antigo muito prático que o novo projeto manteve.



** No pé da capa, Termos de uso e Política de privacidade, nos quais o OI esclarece que pratica o copyleft, ou seja, permite ‘a reprodução total ou parcial sem autorização prévia dos editores, desde que a fonte Observatório da Imprensa seja citada’, e que preserva os dados dos leitores.


 


2) Na barra azul – Destacam-se seus sete elementos de navegação. Utilíssimo recurso do novo projeto, a barra azul reúne todo o conteúdo do Observatório, com os menus se abrindo à passagem do cursor. Por partes:



 


** O Observatório: História, Objetivos, Equipe – em resumo, quem somos.


** Seções: Quer ir diretamente a uma seção (ou editoria) sem abrir o Índice Geral? Posicione o cursor do mouse numa delas, clique e pronto. Você escolhe:




* Imprensa em Questão (textos críticos de coberturas específicas da mídia);


* Monitor da Imprensa (seleção do que a imprensa internacional publica sobre mídia);


* Circo da Notícia (malabarismos do jornalismo);


* Jornal de Debates (fórum sobre o papel da imprensa na sociedade);


* Armazém Literário (livros de jornalistas ou sobre jornalismo);


* Feitos & Desfeitas (o serviço e o desserviço da informação);


* Interesse Público (fórum sobre a democratização dos meios de comunicação);


* TV em Questão (a qualidade da televisão);


* Marcha do Tempo (a imprensa e sua história);


* E-Notícias (as novas tecnologias da informação);


* Observatório da Propaganda (a publicidade na mídia);


* Diretório Acadêmico (pesquisa em comunicação e formação do jornalista);


* Caderno da Cidadania (fórum sobre liberdades civis e direitos humanos);


* Mural (eventos sobre mídia);


* Entre Aspas (seleção do que a imprensa nacional publica sobre mídia);


* Voz dos Ouvidores (seleção de textos de ombudsmans de imprensa).


** Blogs: Observe de novo a imagem acima, que tem o menu dos blogs aberto – escolha e clique (na barra azul do site, não nesta imagem, prezado leitor!):




* Em Cima da Mídia – Blog de Mauro Malin, com a transcrição dos programas de rádio do OI e crítica da mídia em geral;


* Verbo Solto – Blog de Luiz Weis, crítica do noticiário hardnews;


* Código Aberto – Blog de Carlos Castilho, o impacto das novas tecnologias na mídia;


* Contrapauta – Blog de Alceu Nader, crítica do noticiário hardnews.


** OI na TV: Último Programa, Programas Anteriores, Horários, Compacto da Semana, Resumo dos Programas – informações sobre o programa semanal Observatório da Imprensa na TV ao alcance de um clique.


** OI no Rádio: A transcrição do conteúdo de nosso programa diário de rádio.


** Serviços: Alguns recursos de ajuda ao usuário:




* Edições Anteriores (todas as edições do OI, desde a primeira, em abril de 1996);


* Biblioteca (livros eletrônicos gratuitos para salvar em seu computador);


* Classificados (hotsite de empregos na mídia);


* Netbanca (portais, sites e blogs sobre jornalismo ou de jornalistas);


* RSS links (o que é esse recurso e como usar em seu computador)


* Busca – Ainda em construção, estará em breve disponível, com amplos recursos. Até lá, uma sugestão: instale em seu navegador a Barra de Ferramentas do Google. Estando no site do OI, basta digitar (ou colar) a palavra-chave desejada no campo em branco da barra (use aspas quando houver mais de uma palavra). Vai facilitar sua pesquisa não só no site do OI, mas em toda a web.


** Você no OI: Como entrar em contato com o Observatório? Simples:




* Fale Conosco – Formulário para mensagens diversas. Se quiser comentar artigos publicados no OI use, por favor, o espaço disponível no pé do próprio texto, para publicação automática.


* Endereço e telefone (nossa redação é virtual, mas temos um escritório administrativo);


* Envie seu artigo (o e-mail – canaldoleitor@ig.com.br – pelo qual o leitor nos encaminha textos para publicação).


Fim dos ‘mistérios’ do novo Observatório. Navegar é preciso e fácil!

Todos os comentários

  1. Comentou em 29/09/2009 Eugênio Magela Quintão Quintão

    Olá,
    Bom dia!

    Sou da cidade de Mariana,casado, tenho 45 anos, pai de 02 filhos e trabalho na Mineradora VALE hé 25 anos.
    Estou com uma matéria que pode ser um furo de reportagem.
    Na semana passada a Globo Minas esteve aqui conosco e no dia 25/09 passou em sua edição (primeira) como pode ser visto ainda pelo site na Internet.
    Tenho várias fotos inclusive de 09 meses atras quando tudo começou.
    Tivemos uma reunião ontem na associação de bairro e decidimos abrir de vez o problema para a imprensa pois o descaso da prefeitura com o problema e a planilha de custo nos apresentada pela camara Municipal nos assustou muito (um verdadeiro absurdo).
    Só para ilustar, este o bairro de IPTU mais caro da cidade, fica a 500m do centro e as pessoas estão apavoradas (dá medo ver a cratera foramada) e praticamente nada foi feito neste período.
    Todos os detalhes estão no texto abaixo retirado da edição da Globo Minas.
    Estamos a disposição para detalhes e reuniões se voc6es se interessarem pela materia.
    31 99610257 ou 31 35594214.

    Texto da Globo Minas:

    O MGTV mostra, nesta sexta-feira, imagens impressionantes. Na cidade histórica de Mariana, um buraco aberto numa rua, no início do ano, se transformou em cratera. E ameaça casas e prédios.

    Algumas famílias tiveram que deixar o local, depois que muro, garagem e outras partes dos imóveis foram levados. Um risco para os morado

  2. Comentou em 12/05/2006 Carlos Eduardo Alcânttara

    Nem sempre o que é visualmente mais agradável é melhor funcionalmente. Concordo com todos e imploro: voltem à forma anterior ou coloquem um índice com autores na capa

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem