Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

FEITOS & DESFEITAS > COMUNICAÇÃO SUSTENTÁVEL

O desafio de ideias e práticas sustentáveis

Por Jean Carlos Monteiro em 26/05/2015 na edição 852

Dentre todas as novidades advindas com a modernidade, a sustentabilidade logo sobressaiu e tornou-se um dos temas mais recorrentes em debates, congressos e convenções. Ideias e práticas sustentáveis estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas, mas adotar hábitos sustentáveis ainda é um grande desafio para muitos. Pensando no atual momento, é interessante a compilação desta categoria aos negócios, como um bem comum econômico e social.

Desde o início dos anos 2000, as empresas de todo Brasil passaram por um momento de efervescente transformação institucional e social, adotando valores sustentáveis que buscam maior valorização do corpo de colaboradores, satisfação dos seus clientes, atuação em ações socioambientais e compromisso com o desenvolvimento humano.

Com isso, surgiu uma nova proposta de comunicação social, por meio das assessorias de comunicação e imprensa, que visa influenciar positivamente na imagem corporativa das instituições, tendo como base a opinião pública favorável, que possibilita o alcance dos objetivos propostos pela missão, visão e princípios das empresas com maior agilidade.

A comunicação tornou-se o motor do processo de planejamento e implantação da sustentabilidade empresarial. Executada com eficiência, eficácia e efetividade, ela mantém um bom conhecimento das necessidades e expectativas do seu público alvo, a valorização dos colaboradores e dos serviços prestados por eles, estabelece importantes relacionamentos entre fornecedores, torna transparente as ações que promovem a responsabilidade social e ambiental, o que amplia a gestão colaborativa e a sustentabilidade organizacional.

Redes e mídias sociais

Ao abraçar a comunicação sustentável, as empresas devem adotar três etapas de conscientização dos processos de implantação da sustentabilidade empresarial. Na primeira, deve-se informar o que a empresa faz, como ela realiza e por que promove a sustentabilidade, buscando empatia com seu público de interesse. A segunda etapa apresenta os meios de comunicação que contribuem para gerar uma mudança no comportamento das pessoas, promovendo o diálogo, a mobilização e a educação. Na terceira e última, são gerenciados os procedimentos de incorporação da sustentabilidade nos processos e nas práticas de comunicação corporativa. Essas três etapas ajudam as empresas a terem consciência de que a palavra-chave deste novo momento é a “coerência” entre a realidade empresarial e o que ela comunica como sustentável.

Na atual era da informação e, consequentemente, de pessoas mais informadas, as instituições não podem comunicar a sustentabilidade de forma a gerar “marketing verde”. Ao contrário do que se pensa, ela pode ser um percurso para ações que visam agregar valores éticos, alinhados a justiça social e a liberdade de colaboração por parte de seus clientes. Isso potencializa relacionamentos que geram ganhos em imagem e reputação.

Com o suporte das estratégias e ferramentas de comunicação, as empresas vêm utilizando de forma significativa as redes e mídias sociais para dialogar com públicos de interesse e ampliar o alcance de sua comunicação, que motivam proximidade e despertam a confiança dos seus clientes.

Reconhecimento e valorização

Muitas instituições estão estruturando um setor de sustentabilidade virtual, interligado a diversos departamentos para compartilhar ideias e ferramentas relacionadas com a sustentabilidade e ações estratégicas que atendem as comunidades envolvidas nesse processo. Com esse trabalho surge também a oportunidade de parcerias entre gestores e entidades do terceiro setor, consultorias, empresas e fornecedores capazes de contribuir para o desenvolvimento de ações voltadas à conscientização de comunidades, mobilizando-as sobre as reduções dos impactos ambientais no planeta. Além de fazer conhecer os problemas que ameaçam a sobrevivência humana, a sobrevivência das florestas e da fauna, as ações devem fortalecer valores e atitudes que desenvolvam um ser mais sustentável.

Para isso, é necessário executar tarefas, gerar resultados satisfatórios e depois divulgar, pois o mais importante nesse processo comunicacional é a promoção de diálogos comunicando o que, de fato, está sendo realizado pela empresa.

Além de gerar valor agregado para as empresas, a comunicação com foco na sustentabilidade, bem administrada, passa a ser mais um fator de reconhecimento e valorização diante de seus clientes. A comunicação como ferramenta de transformação social no setor empresarial é, portanto, uma das principais vantagens competitivas deste século. Comunique para a sustentabilidade.

***

Jean Carlos Monteiro é assessor de imprensa

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem