Domingo, 27 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

FEITOS & DESFEITAS > SENSACIONALISMO

O enaltecimento da bestialidade

Por José Valmir Dantas de Andrade em 10/11/2009 na edição 563

‘Meu maior desejo é que haja mais respeito para com o mundo, que começou sem o ser humano e vai terminar sem este.’ (Claude Lévi-Strauss)

Não sou um saudosista, mas uma coisa tem me chamado a atenção nos últimos dias. Me quedo perplexo de como a mídia brasileira tem dado tenta ênfase à bestialidade, e como esta mídia, de forma tão cínica, esquece da sabedoria, daquilo que teria uma relevância para a nossa cultura.

Gostaria de me referir aqui a dois episódios ocorridos recentemente, de duas mortes de pessoas que tiveram ações diametralmente opostas no que se referem ao bem e ao mal para a humanidade. Tivemos a morte de um retardado chamado Michael Jackson, um pedófilo que não deu nenhuma contribuição à cultura da humanidade. Tivemos também, a morte de um grande intelectual de renome internacional chamado Lévi-Strauss, um antropólogo que esteve no Brasil, como professor da USP, nos anos de 1935 a 1939 do século passado dando uma contribuição ímpar à cultura brasileira. O sistema filosófico de Lévi-Strauss foi o estruturalismo, uma análise profunda sobre as estruturas que nos circundam.

Triste conclusão

Onde está a grande incongruência nesta questão? Que me perdoem os intelectuais, por eu está aqui citando o nome de um intelectual junto com um imbecil qualquer! O que eu me quedo indignado é com o comportamento da mídia em relação aos dois episódios, a morte de Michael Jackson e a morte de Lévi-Strauss. Por ocasião da morte daquele, um molestador de menores, a mídia saturou-nos com uma enxurrada de notícias, com um festival de besteirol. Não podíamos ligar a TV que lá estava a figura de Michael Jackson. Esta semana aconteceu a morte deste, um extraordinário intelectual. Faleceu sábado passado, dia 31 de outubro de 2009, e somente terça-feira, dia 03 de novembro de 2009, foi que a mídia notificou. Assisto diariamente, pelo menos a três telejornais e apenas dois canais – a Rede Globo, no Jornal Nacional, e a TV Brasil, no Repórter Brasil – levaram ao ar pequenas notinhas falando sobre a morte do intelectual Lévi-Strauss.

Sem querer ser choramingão, a triste conclusão a que eu chego é a seguinte: para esta mídia tacanha que aí está ser intelectual não significa nada e ser um imbecil é tudo.

******

Filósofo e educador

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/11/2009 Daniela Mendes

    Por favor, eu gostaria mesmo de saber (com base nos pobres argumentos e frases estúpidas expressas no ‘artigo’ acima) se conforme disse Eduardo Alex, o observatório da imprensa, esse espaço supostamente para discussão de idéias entre pessoas bem informadas, sem preconceitos e que não estejam vivendo na era das cavernas, está de fato sofrendo algum tipo de golpe…, ou alguma ‘brincadeira’ para atiçar nossos nervos… eu espero que sim, porque do contrário : ficarei muito triste em aceitar que o observatório agora elege pra a publicação de artigos, não sei o que de tolices com generosas doses de loucura. Francamente! quanto preconceito ( e seria redundante dizer em seguida ignorância né)…sugiro ao ‘autor’ que antes de insultar , e até pasmem ! : caluniar algum artista proveniente da cultura popular, que leia a respeito em fontes seguras, e se possível: imparciais… Pois, como se pode ver: seus argumentos são totalmente embasados nos senso comum e alimentados pela mídia barata. É…ótimo começo para quem deseja expressar alguma opinião no meio acadêmico ou em debates intelectuais, públicos etc…lamentável.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem