Domingo, 26 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

ENTRE ASPAS >

O Estado de S. Paulo

24/04/2007 na edição 430

INTERNET
O Estado de S. Paulo

25 milhões moram em casa com internet

‘O número de internautas residenciais era de 16,3 milhões no País em março, segundo pesquisa feita pelo Ibope/NetRatings. O número de pessoas em domicílios com ao menos um computador com acesso à internet era de 25 milhões, e 32,9 milhões de brasileiros já têm acesso à rede em locais como trabalho, escola e universidade. O brasileiro é quem gasta mais tempo navegando, com uma média de 20 horas e 54 minutos no mês, seguido por franceses (19 horas e 56 minutos) e americanos (19 horas e 8 minutos).’

TELEVISÃO
Adriana Del Ré

De Beatriz Segall: aos mestres, com carinho

‘Desde que as gravações da novela Bicho do Mato, da Record, chegaram ao fim, a atriz Beatriz Segall diz estar se dando férias, coisa de que há anos não desfrutava. Beatriz, aliás, nem gosta de tocar no assunto Bicho do Mato. Prefere passar para outro tema. Passemos, então. Mesmo em férias de televisão e teatro, ela abriu uma exceção e, nos últimos dias, foi aos estúdios da TV Cultura gravar sua participação como apresentadora de Profissão Professor, programa que estréia hoje na emissora.

Uma parceria das fundações Padre Anchieta e Victor Civita, a nova atração terá 26 episódios, que mostram como funcionam, na prática, 52 projetos voltados à educação e que foram vencedores do Prêmio Professor Nota 10. Beatriz assistiu a boa parte dos episódios e conheceu alguns projetos. ‘Além de divulgar o trabalho de professores dedicados, esses programas são uma questão de valorização da função do professor’, defende ela.

E continua: ‘Temos um país onde a educação é extremamente precária, os orçamentos, a tudo que se refere à educação e à cultura, são sempre contingenciados para outras coisas. Essas necessidades básicas da população estão sempre em situação secundária.’

Os pais de Beatriz eram professores. Ela própria não passava dos 17 anos quando começou a dar aulas de línguas no antigo ginasial, substituindo a mãe vez por outra. Ensinava francês, inglês, espanhol e português. Coisa que hoje não é mais exigida nas escolas brasileiras, protesta. Mas como naquela época, jovenzinha de tudo e no início de faculdade, ela conseguia o respeito e a atenção de seus alunos? ‘Não sei o que eu fazia, os alunos morriam de medo de mim, acho que eu era um pouco Odete Roitman’, diverte-se. ‘Eu não era biscoito não, a garotada me obedecia.’

Beatriz lecionava havia cinco anos quando precisou tomar uma decisão. ‘Já no segundo ou terceiro ano que eu estava dando aulas, comecei a fazer teatro e aí as duas coisas não combinavam. Eu acordava às 5 horas da manhã para ir à escola, como ia sair do teatro à meia-noite? Ou era um ou outro. Com muito custo e discussão lá em casa, eu troquei o magistério pelo teatro.’

Fora das salas de aula, a atriz construiu uma carreira sólida, que lhe endossou a condição de dama do teatro e da televisão. Além disso, ao longo dos anos, mostrou-se combativa e engajada em questões relacionadas à classe artística. Segundo ela, desde que se fundou o Ministério da Cultura, nenhum bom ministro ocupou o cargo. ‘Ninguém que realmente desse um impulso em qualquer campo da cultura no Brasil’. Nem o atual ministro Gilberto Gil? ‘Gil não sabe nem o que é teatro.’

Para ela, o teatro é básico. Sem ele, não se tem bom cinema. E sem atores de teatro, não se faz boa televisão. ‘O nível nesse campo está caindo muito, porque as pessoas acham que basta ficar 15 dias na televisão para serem famosas, são o que se chama hoje de celebridades. O barateamento dessa expressão é revoltante, porque celebridade é qualquer garotinha que sai do Big Brother’, observa. ‘Qualquer um tem o direito de se propor a ser ator, mas que seja ator, seja atriz. Não modelo, menina bonitinha para mostrar o bumbum, isso não interessa, não traz nada para a cultura.’

E se sobram papéis para pseudo-atores, faltam para a antiga geração. Com 80 anos de idade, Beatriz nem se lembra mais qual foi o último bom papel que interpretou na TV. ‘É uma questão até de mentalidade das pessoas que preparam os projetos. Acho que, em TV, a gente pode fazer muita coisa até os 65, 70 anos no máximo. Não é pessoal, nem nada contra os mais velhos. Há desconhecimento e, por isso mesmo, um desprezo exagerado com os mais velhos, como se eles não tivessem mais nada para dar.’

Ainda no campo do engajamento, a atriz comenta sobre a Lei Cidade Limpa, em vigor desde o começo do mês, e que prevê a retirada de placas e anúncios fora de padrão de estabelecimentos comerciais da Capital. A lei, uma das bandeiras do prefeito Gilberto Kassab, afetou a classe artística também, uma vez que, num primeiro momento, as fachadas de cinema e teatro foram colocadas no mesmo balaio. Após protestos dos artistas, Kassab admitiu os exageros e que adaptaria as medidas.

Até aí, tudo bem. O problema, alerta Beatriz, é que nem fiscais, nem muitos da própria classe estão a par das modificações. ‘Quando chegar o fiscal, exijam que ele tenha uma ordem de serviço para isso. E eles não vão ter, porque a Prefeitura não vai dar no caso de teatros, cinemas, projetos culturais e prédios tombados’, dá o recado a atriz, que posiciona favorável à lei, excluindo, claro, os devidos ‘excessos de zelo’.

Outro tema que anda em discussão no meio – e repercutido por ela durante a entrevista – é a meia-entrada concedida para quem possui carteirinha de estudante. ‘Há 8 anos, comecei a falar sobre o problema da meia entrada para o teatro. É mais um enorme imposto. É difícil fazer teatro, alugar teatro, manter uma companhia. E ainda por cima, o governo nos taxa com 50% da entrada que precisamos cobrar’, argumenta.

‘Você é onerado por um imposto que deveria ser fornecido, ou pelo menos, ressarcido pelo governo, porque a obrigação de dar cultura, e isso está na constituição, é dos poderes públicos. Nós somos particulares, não temos essa obrigação. Quero deixar bem claro que ninguém é contra a meia entrada. Pode dar, mas não sou eu quem tenho de dar a meia entrada.’

Profissão Professor. TV Cultura. Estréia hoje, às 10 h’

Etienne Jacintho

Fox Life chega à Sky

‘O grupo Fox amplia sua base de assinantes para o canal Fox Life. Desde ontem, os telespectadores da Sky têm acesso ao canal voltado para o público feminino. Anteriormente, somente assinantes da Net Digital contavam com o Fox Life na programação. O novo contrato rende à Fox mais de 1,5 milhão de novos assinantes.

O canal Fox Life exibe séries como How I Met Your Mother, sobre os encontros e desencontros amorosos de Ted, e Modern Girls Guide to Life, com dicas práticas e simples de moda, comportamento, culinária e decoração, entre outros títulos.

Além das séries, o canal possui uma faixa dirigida a mães diariamente, das 8 às 11 horas, a Baby TV, com dicas para estimular as crianças de 0 a 3 anos. Aliás, esse nicho está virando moda na TV paga.

A Fox já tem no Brasil cinco canais: Fox, FX, Fox Life, Speed e National Geographic Channel. Recentemente, o grupo fechou parceria com a Universal para distribuir no País o canal Sci-Fi, só com séries de ficção científica e de fantasia. O Sci-Fi só não está no ar ainda porque não foi fechado acordo com nenhuma operadora para transmitir o sinal.

Glória e Chicória

Chicória Maria, encarnada pelo humorista Hélio de La Peña, e a jornalista Glória Maria se encontraram nos bastidores da Globo. Esta semana, o blog dos Cassetas na Globo.com lança a campanha de doação de silicone para Chicória.

Entre-linhas

O novo queridinho das panelas, Gordon Ramsay, estréia novo programa na próxima quinta, às 22h30. Em Ramsay’s Kitchen Nightmares a missão do chef será ajudar proprietários de restaurantes em crise a reerguer o negócio. No GNT.

Promovido pelo Multishow, o show de Ivete Sangalo no Maracanã, que deu origem ao último CD da cantora, vai ao ar nesta terça pela primeira vez, pelo próprio canal, claro. Às 21h45. A seguir, vem making of da produção.

Ligeiramente desaparecido das últimas novelas, Erik Marmo volta à carga na próxima novela das 7, Sete Pecados, de Walcyr Carrasco.

Depois de percorrer diversas cidades no interior do país, a Caravana do Esporte, da ESPN Brasil, chega a São Paulo na próxima terça-feira.

O projeto social da ESPN Brasil deve receber Ana Moser, Sócrates , Marta Sobral, Wladimir Rodrigues, Patrícia Medrado, Ida e Mário Sérgio na Cidade Tiradentes.

Estréia por Vinhedo, hoje, a comédia Quaquá Pão com Ovo, de Carla Fioroni (vide Marisol/SBT) e Daniel Braggion (Cobras & Lagartos/Globo).

Mal inaugurou seu restaurante no hotel de Antenor (Tony Ramos), o prepotente chef Wagner Alencar (Julio Rocha) logo será dispensado e pelo próprio Antenor. Isso é novela. A cena foi gravada ontem para Paraíso Tropical.’

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – 1

Folha de S. Paulo – 2

O Estado de S. Paulo – 1

O Estado de S. Paulo – 2

Folha Online

Veja

Agência Carta Maior

Comunique-se

Último Segundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem