Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

FEITOS & DESFEITAS > PAUTA AUSENTE

O fim da oposição

Por Luciano Martins Costa em 15/09/2008 na edição 502

A reportagem do Globo de domingo (14/9) sobre o desalento da oposição política no Brasil é uma grande contribuição para o debate sobre a questão partidária e sobre estratégias de governo. Basicamente, o trabalho do Globo é composto por declarações de políticos e analistas, mas ainda assim coloca na agenda nacional um tema que vinha sendo evitado pela imprensa.


A tese apresentada na reportagem é de que a elevada popularidade do presidente Lula fez a oposição sair de moda. Ela foi inspirada num desabafo do senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB, o maior partido de oposição, que se diz angustiado pelo fato de que nenhuma crítica e nenhuma notícia negativa parecem afetar o namoro do presidente da República com a maioria da população brasileira.


Segundo cientistas políticos citados pelo jornal, os modelos de gestão adotados no atual governo e pelos governos imediatamente anteriores são muito parecidos e a oposição tem pouco a inovar. O Globo também lembra que a última pesquisa do Datafolha, divulgada na sexta-feira (12/9), na qual o presidente Lula aparece com a aprovação de 64% dos brasileiros, consolida uma situação que já vinha desanimando a oposição.


Fora de moda


Mas o Globo e seus entrevistados falham ao confundir oposição ao governo e oposição à estratégia de governo.


É certo que o atual presidente e sua equipe criaram uma equação econômica que produz um crescimento vigoroso com estabilidade, mas o Brasil ainda está longe de ter alcançado a trilha do desenvolvimento sustentável.


Embora os programas de transferência de renda, somados ao controle da inflação, à criação de empregos e ao aumento do valor dos salários tenham produzido um ganho social nunca antes observado na História do Brasil, o país ainda enfrenta grandes desafios sociais, como os altos índices de violência nas grandes cidades e o não atendimento dos direitos das crianças e adolescentes. Além disso, a depredação do meio ambiente ainda é uma grande fonte de notícias negativas.


A oposição saiu de moda porque nem os políticos nem a imprensa colocam na mesa a agenda que realmente interessa.

Todos os comentários

  1. Comentou em 15/09/2008 Maria Amália Couto

    Diferenças entre oposição e o governo atual:
    Oposição: emprego em queda e a falácia: se não flexibilizar as leis trabalhistas o emprego formal termina. Lula provou que era mentira.
    Oposição: precisamos do FMI, sem ele o Brasil quebra. Lula provou que era mentira.
    Oposição: se não mudramos as regras de aposentadoria o INSS quebra: Lula não mudou e o defict previdenciário cai ano a ano.
    Oposição: o Estado tem que se retirar e deixar para a iniciativa privada investir e cobrar da população por isso(transporte, água esaneamento básico, energia elétrica, são apenas alguns dos serviços que a oposição dizia que se não fosse privatizados não funcionariam. O governo Lula está ai com as obras do PAC que não custam nada para os beneficiados.
    Oposição: financiamento só pra quem tem dinheiro. Com lula quem tem acesso ao crédito é quem realmente precisa. Os Bilhões emprestados para para os bancos na forma de PROER, os bilhões emprestados para as empresas que compraram as Teles, etc. se transformaram em bilhões em pequenos emprestimos para o populacho comprar casa própria, montar padarias, mercadinhos, plantar suas hortas e pequenas indústrias de fundo de quintal etc.
    Quando vocês falam que a oposição está perdida, eu respondo: basta apresentar propostas fora desta linha ‘acabar com Estado e entregar tudo para a iniciativa privada’ porque quando eles vão a falência quem paga é o povo

  2. Comentou em 15/09/2008 José de Souza Castro

    É muito bom que O Globo tenha se dado conta, finalmente, dos malefícios para uma democracia da ausência da oposição. Vivemos isso há mais de quatro anos em Minas Gerais, sem que isso fosse notado pelo grande jornal carioca e pela imprensa em geral, sobretudo a mineira. A situação em Minas, realmente, é muito pior, pois aqui, como não tem uma imprensa atenta aos atos dos governantes, o público nem ao menos pode saber se Aécio Neves e seus assessores estão de fato fazendo um bom governo, pois os erros nunca vêm à luz. Bem ao contrário do que ocorre em relação ao governo Lula e à chamada grande imprensa.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem