Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1067
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

O joio e o trigo

Por Valmir Nascimento Milomem em 04/08/2009 na edição 549

Outro dia ouvi um debate interessante sobre mídia e jornalismo. Um dos interlocutores disse o seguinte:

– A mídia não sabe separar o joio do trigo.

O outro, por seu turno, respondeu:

– Sim, ela sabe. Tanto que acaba publicando somente o joio!

Aquela declaração ficou guardada em minha mente. Pensei, então, na forma como os meios de comunicação trabalham, voltados basicamente para a publicação do joio em detrimento do trigo. Em simples palavras, o foco principal é a publicação daquilo que não possui nenhuma utilidade pública; a produção de matérias cujo conteúdo não agrega valor algum para a sociedade, ou que, pior ainda, traz prejuízos para ela.

Um dos grandes exemplos disso é exatamente a abordagem feita pela imprensa secular acerca da Igreja e da fé cristã. É joio, somente joio! As manchetes, com enorme freqüência, são voltadas para denegrir a imagem dos evangélicos. São matérias sobre líderes, ofertas e, inclusive, sobre políticos religiosos que vacilaram na fé.

Obviamente que, em se tratando de fatos os quais a sociedade precisa tomar conhecimento, a publicação se torna necessária. Entretanto, a questão que fica é a seguinte: e trigo, ninguém publica? Por que não são publicadas matérias acerca daquilo que a igreja cristã faz na ou pela sociedade? Reportagens sobre as ações benéficas produzidas pelos cristãos?

Fé e família

Tais perguntas são necessárias ante a evidente importância do cristianismo evangélico para a sociedade. Vejamos, resumidamente, alguns desses benefícios apontados por Charles Colson (O cristão na cultura de hoje, CPAD).

Enquanto o Estado luta e gasta enorme soma de dinheiro em campanhas contra o uso e o tráfico de entorpecentes, e vê o crescimento estupendo da violência em virtude do uso das drogas, as pessoas que tiveram um encontro com Cristo, por outro lado, estão bem longe desse cenário. Inúmeros estudos descobriram uma relação inversa entre o envolvimento religioso, a dependência de drogas e o uso de bebidas alcoólicas. Mas isso é trigo, ninguém publica.

Também existe uma enorme correlação entre atividades religiosas e a não participação em crimes. Mais ainda, enquanto as penitenciárias possuem um sistema falido de reabilitação do criminoso, a conversão às verdades bíblicas promove a sua plena reabilitação para o convívio social. Mas isso é trigo, ninguém publica.

Diversos estudos descobriram que altos níveis de comprometimento religioso resultam em níveis mais baixos de depressão e estresse. Trigo.

A família é a razão de ser da própria sociedade. Se ela vai mal, a sociedade também o vai. Assim, estudos descobriram um forte ligamento inverso entre a freqüência à igreja e o divórcio. A fé cristã promove a união afetiva entre os membros familiares. Trigo.

Separar e publicar

Em conclusão, a fé cristã trabalha para restabelecer, por meio de Cristo, o homem à condição de imagem e semelhança de Deus e com isso minar as maiores causas dos problemas sociais, tais como violência, criminalidade, uso de drogas e desestabilização da entidade familiar, enquanto o Estado tenta remediar os efeitos dos problemas. A fé cristã vai ao núcleo de todas as mazelas o mundo: a alma do homem.

Portanto, trigo existe. E muito. Só falta separar e publicar!

******

Advogado, Cuiabá, MT

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem