Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

O que ninguém viu nem está vendo

Por Alysson Oliveira em 28/10/2008 na edição 509

Foram cinco dias de exposição sensacionalista, cem horas de agonia. Tempo suficiente para ficar hipnotizado com as imagens e a disparada de reportagens sobre o desumano seqüestro no ABC paulista. Tanto tempo jogado na ignorância, falta de sentimento, disputa pelo título de herói e principalmente insanidade. Quando todos discutem quem é(são) o(s) culpado(os), esquecem que somos todos nós, que aceitamos os valores que nos são seqüestrados e que matam nossa condição humana. Alguém já parou para pensar nas músicas que escutamos hoje? Que aparência devemos ter para ser valorizado? Quais são as profissões que valem mais dinheiro? Gente, as pessoas estão deixando de ser gente! As músicas que estão nas paradas de sucesso ensinam a beber, cair, roubar, matar, enganar, espancar, rebolar e o resto que se dane. Se não vierem acompanhadas de uma dupla, um trio, ou meia dúzia de mulheres com coreografias de sexo ao vivo, não farão sucesso.

Inversão de valores

O estudo? Esse não vale mais nada! É melhor ser jogador de futebol, dançarino(a), seqüestrador, o mais bonito, a mais bonita, ou seja, o playboy ou a mocinha visualmente linda, perfeita! É ou não é? Pergunte à maioria dos jovens que música eles gostam de ouvir, o que queriam ser ou ‘ter’. ‘Se eu não tiver o que eu quero te mato ou me mato!’ É ou não é? A vida não vale mais nada, nem a morte, porque não estão morrendo seres humanos! Será que o Lindemberg ficaria sensibilizado com pedidos do tipo… ‘Não faça isso que ela é uma moçinha de 15 anos, cheia de vida’. ‘ Pense bem, não vale a pena maltratar uma garota’. E as garotas? Ser o centro das atenções é tudo! Aparecer em tudo quanto é televisão é o sonho da geração beleza. Com 15 anos, o sonho é ganhar uma baita siliconada no corpinho que vai ficar perfeito. Ora, ora, ora!

Será que não dói ligar a TV e ver um rapaz dizendo que matar é o maior barato? E o que dizer da ‘melhor’ amiga sorrindo e dando tchauzinho para as câmeras junto com a mãe, o pai, o advogado, a diretora do hospital e outra dezena de papagaios de pirata que pegam carona na imagem do Jornal Nacional, na foto de capa do jornais? Talvez eu seja o maluco, esteja enxergando coisa que é, mas não é pra ver. O rapaz, a mocinha, o seqüestro, a ação policial, a indenização, o culpado(s), o show, a reportagem, a inversão de valores, a aparência, isso é que é bonito de ver! Aproveitem!

******

Jornalista, Fortaleza, CE

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem