Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1033
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Os algozes de Neymar

Por Antonio Carlos Teixeira em 13/07/2011 na edição 650

Dona dos direitos de transmissão de campeonatos organizados pela Fifa, Conmebol e Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a TV Globo tem o hábito (histórico, ressalte-se) de proteger seus parceiros, mesmo que estes estejam, como se diz popularmente, “enfiando os pés pelas mãos”, ou, em linguagem mais adocicada, “infringindo normais legais e morais”.

Quando se trata de divulgar as irregularidades cometidas pela CBF e pelo seu presidente Ricardo Teixeira, a mídia brasileira adota cautela extrema. Há exceções, como Juca Kfouri, alguns profissionais do canal fechado ESPN e dos jornais Folha de S.Paulo e Lance!.

Na segunda-feira (11/7), o programa Bem, Amigos!, de Galvão Bueno, no SporTV, fez campanha aberta e declarada contra o garoto Neymar, de 19 anos. A ele, atribuiu-se o fracasso da Seleção Brasileira nos dois primeiros jogos da Copa América, contra Venezuela e Paraguai.

Galvão Bueno, Paulo César Vasconcelos, Arnaldo César Coelho e Renato Maurício Prado não economizaram nos adjetivos contra o menino, que havia feito apenas dois jogos oficiais com a camisa da Seleção Brasileira.

Ao mesmo tempo em que se colocam como algozes de Neymar, Galvão, PCV, Arnaldo e Renato Maurício são os anjos da guarda de Ricardo Teixeira. Não é a primeira vez que esses mesmos profissionais tentam colocar rótulo no jovem atacante do Santos.

Ex-árbitro, Arnaldo César fez de tudo para construir a imagem de “cai-cai” em Neymar, deixando o menino marcado pelos árbitros brasileiros e sul-americanos. A orquestração sempre ocorreu no mesmo programa, às segundas-feiras.

O único integrante do Bem, Amigos! que sai em defesa do garoto é Alberto Helena Jr, amante declarado do bom futebol e avesso a rótulos contra jogadores habilidosos.

O menino está só

Voz dissonante no Bem, Amigos!, Helena nunca aceitou a pecha que o programa tentou – e ainda tenta – colocar em Neymar, jovem talentoso, que sofre justamente por ter qualidade acima da média.

Mas Helena não está na equipe do SporTV ou da Globo na Argentina. Neymar está sozinho, preso pelos dentes de seus críticos cruéis, os mesmos que fazem vistas grossas às irregularidades na “parceira” CBF.

O atacante santista e da Seleção Brasileira disputou três campeonatos em 2011: Sul-Americano Sub-20, Paulista e Libertadores. O menino simplesmente sagrou-se campeão em todos. E o mais impressionante: foi o melhor jogador em todas essas competições.

Implacável quando quer

Os críticos ferozes de Neymar, repita-se, são os mesmos que amarelam quando têm que falar sobre as falcatruas da CBF. E que já sinalizaram no programa da segunda-feira (11/7) que, caso Mano Menezes continue recebendo-os para um bom vinho, a pressão sobre o treinador da Seleção será menor.

Vai sobrar para Neymar, Ganso, Pato e Robinho.

Mano já percebeu a estratégia de Galvão e amigos. Tanto que, a partir do primeiro encontro com o quarteto, o técnico começou a dar declarações que colocam os meninos na mira de alça da mídia esportiva, para salvar-lhe a pele.

As pessoas que cercam Neymar – pai, empresário e, sobretudo, diretores do Santos Futebol Clube – precisam estar atentas quanto à orquestração de Galvão e amigos para que o peso de eventual fracasso da Seleção da CBF caia sobre os garotos, em especial sobre ele.

A TV Globo, quando quer, sabe ser implacável.

Quem avisa amigo é.

***

[Antonio Carlos Teixeira é jornalista, Brasília, DF; twitter: @actbrasilia]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem