Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

FEITOS & DESFEITAS > COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Ou se liga ou desaparece

Por Paulo Nassar em 06/02/2007 na edição 419

A Fundamento, uma agência de comunicação de São Paulo, produziu em fevereiro um documento, em vídeo e texto, sobre a atualidade e os destinos da comunicação empresarial brasileira, cujo objetivo é refletir, a partir de depoimentos de 10 especialistas em comunicação, sobre esse campo de conhecimentos, suas práticas em qualquer empresa, independentemente de porte e ramo de negócio.

O trabalho Comunicação em dois tempos: uma visão de futuro conta com depoimentos de comunicadores como Allan Finkel, Carlos Roberto Hohl, Fernanda de Carvalho, Heródoto Barbeiro, José Marques de Melo, Marta Dourado, Ricardo Gandour, Sérgio Lapastina, Sidnei Basile e do signatário. Deles, se extrai um panorama atualizado da comunicação empresarial.

Carlos Roberto Hohl, diretor de Relações Institucionais da ABB, destaca que as empresas devem sustentar sua comunicação de marketing numa imagem corporativa forte. ‘Já não bastam mais os atributos de produtos, o consumidor tem que ter identificação com os atributos institucionais da marca.’ Ou seja, as pessoas se interessam por quem faz o produto, como faz e em que condições o produz.

Sentença decretada

O professor José Marques de Melo afirma que é preciso preservar as diferenças entre informação e persuasão, entre informação e opinião e entre interpretação e diversão; e aponta os problemas éticos advindos do cotidiano profissional da comunicação empresarial entre jornalismo, relações públicas e publicidade. Marta Dourado, jornalista e presidente da Fundamento, explica que a atividade de comunicação empresarial deixou de estar apenas voltada para a produção de meios para a difusão de informações.

Sua abrangência se ampliou exponencialmente ao conviver com outras disciplinas, entre elas a antropologia e as ciências sociais. Isso exige um comunicador mais preparado, com experiência de vida e boa visão de mundo. O jornalista Sidnei Basile, diretor de Relações Institucionais da Editora Abril, ressalta a mudança de status da comunicação corporativa ao superar seu complexo de inferioridade, que nutria principalmente em relação à publicidade.

Os depoimentos em Comunicação em dois tempos: uma visão de futuro reforçam a percepção de que o comunicador empresarial saiu da pré-história, de um tempo em que apenas era mercador de imagem, maquiava rostos e defendia práticas empresariais indefensáveis. Quem ainda não se deu conta disso, da complexidade das relações humanas no ambiente empresarial com suas particularidades políticas, comportamentais e tecnológicas, que se ligam aos aspectos sociais, econômicos e ambientais das sociedades em que vivem e atuam, tem sentença de morte por extinção decretada.

******

Jornalista, professor da ECA-USP e diretor-presidente da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem