Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1006
Menu

FEITOS & DESFEITAS > CASO UNIBAN

Prática semelhante à do Taliban?

Por João Gomes Moreira em 17/11/2009 na edição 564

O caso da estudante de Turismo e seu vestido curto causou celeuma nacional. De um lado, moralistas, conservadores; de outro, progressistas, liberais. As informações vindas dos meios de comunicação de massa dão conta de um conjunto de questões que, penso, devem ser analisadas em separado. Aliás, análise é justamente segmentar o todo em partes para melhor estudo e compreensão e posterior síntese (quiçá, reintegração).

Questões de etiqueta e decoro vieram à baila. Mas não seria uma questão primeiramente de boas maneiras/cortesia? Civilidade? A universidade é o locus ideal para a manifestação/aceitação de diversidade de pensamentos. Diferentes visões coexistindo pacificamente dentro dos muros e salas de aula. Seria isso uma utopia jamais – realmente – realizada na verdade do dia, do corpo a corpo de nossas lutas cotidianas em busca do pão, da sobrevivência neste mundo moderno?

A instituição alega que a estudante causou tumulto não intrinsecamente por usar vestido curto, mas sim, pelo comportamento exibicionista (a evasão de privacidade está em moda desde a inauguração dos programas trash televisivos denominados reality shows). E a ação da reitoria foi baseada nessa premissa (e esta reflexão também parte deste ponto).

Quatro questões básicas

Ora, se estamos falando de uma pessoa que fez um show ou desfile em um ambiente público, ambiente por excelência de difusão de conhecimento, produção de ciência, constatamos que há algo fora do lugar. Há, então, um conflito entre vida privado e vida pública. E a ordem pública como fica? O indivíduo em sociedade precisa ser/estar desenvolvendo suas atividades com um mínimo de harmonia. E a sociedade tem estabelecido leis, estatutos e… usos e costumes que, em linhas gerais, visam ao bem-estar de todos.

Em minha modesta opinião, muitos dos meios de comunicação de massa que deveriam ter o papel informativo, têm, na verdade, se preocupado mais com a exposição do bizarro, do espetáculo puro e simples. Creio que as questões que devem ser consideradas são: a) quais são os espaços públicos e como devemos estar neles; b) o que é cidadania; c) o que havia por trás do comportamento de todos os envolvidos (aluna de Turismo; os ‘alunos-paparazzi‘; os manifestantes contrários); d) quais são os códigos de conduta estatuídos pela direção da universidade.

******

Pesquisador educacional, Ji-Paraná, RO

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem