Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > OI NO RÁDIO

Prêmios em alta,
rankings em baixa

Por Alberto Dines em 18/10/2007 na edição 455

Enquanto os prêmios de jornalismo estão em baixa, os rankings que medem a liberdade de imprensa estão em alta.


É fácil compreender o desequilíbrio porque todos querem oferecer um premiozinho aos jornalistas porque em troca podem ganhar as boas graças da imprensa. Mas as avaliações sobre a qualidade da informação ou sobre a liberdade no exercício do jornalismo exigem trabalho, critérios, medições e acompanhamento regular in loco.


Não são muitas as entidades que se dedicam ao monitoramento da imprensa no mundo, uma delas, talvez mais credenciada, é a ONG ‘Repórteres sem Fronteiras’ que rastreia a situação da imprensa no mundo faz seis anos consecutivos.


O sexto relatório ontem divulgado não foi favorável ao Brasil. Caímos nove posições em matéria de liberdade de informação, estávamos na posição 54 e caímos para a posição 71.


Na América do Sul fomos empurrados para a quinta pior classificação, à frente apenas de países notoriamente arbitrários como o Paraguai e Venezuela. A avaliação considera um conjunto de violações – quantos jornalistas foram mortos ou presos, quantos foram processados ou censurados.


No nosso caso também foram contadas as ameaças por parte de autoridades, políticos ou partidos.


Esta modalidade talvez seja a grande responsável pela piora da nossa colocação já que sob o pretexto de criticar a imprensa – o que é legítimo – nossos governantes e políticos passaram a intimidá-la.


Isto é ilegítimo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem