Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Quando a franqueza incomoda

Por Leticia Nunes em 08/06/2004 na edição 280

Jorge Kajuru é sinônimo de polêmica. Competência e carisma o jornalista esportivo tem de sobra, mas parece que sua franqueza diante das câmeras incomoda muita gente. Seus comentários e críticas costumam coloca-lo sempre em apuros.

No começo de maio, Kajuru foi suspenso por uma semana do programa Esporte Total, na Rede Bandeirantes. Na ocasião, a emissora alegou que estava dando uma folga ao comentarista, que, segundo ela, estaria se queixando de cansaço. O colunista Daniel Castro, da Folha de S.Paulo, deu outra versão para o episódio: Kajuru teria sido suspenso por discutir a lavagem de dinheiro no futebol no programa semanal Show de Bola.

Na sexta-feira (4/6), o comentarista apareceu novamente como destaque da coluna de Daniel Castro. Com o título ‘Band corta Kajuru no meio de programa’, a nota afirmava que Kajuru havia sido tirado do ar quando apresentava o Esporte Total direto do jogo do Brasil contra a Argentina, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, na quarta-feira anterior. Em uma de suas entradas, o apresentador teria comentado sobre o grande número de convidados com ingresso garantido para o jogo, criticando a pouca quantidade de ingressos colocados à venda para o público. Depois de chamar o comercial, Kajuru não retornou à transmissão.

O apresentador diz que não entendeu o ocorrido; a assessoria da Band informa que a emissora não irá se manifestar sobre o assunto. Mas a nota de Daniel Castro afirma que ‘diretores da Band teriam dito a Kajuru que ele não voltará mais ao ar e que seu contrato, que vence em março, será rescindido’.

Mais de 100 processos

Além da confusão com seus empregadores, o comentarista também está em apuros na justiça. Matéria publicada na revista Consultor Jurídico (www.conjur.com.br) em 3/5, assinada por Débora Pinho, dá conta de que Kajuru enfrenta 109 processos judiciais distribuídos entre São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás.

Só em São Paulo, segundo a matéria, o apresentador tem mais de 30 ações criminais. Apenas este ano, ele já foi processado cinco vezes. ‘Kajuru é processado pelo governador de Goiás, Marconi Perillo, pelo presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, pelo empresário de Goiás Jaime Câmara Júnior, e pela apresentadora da Rede TV, Luciana Gimenez, entre outros’, afirma a reportagem. A ação movida por Perillo rendeu uma condenação definitiva por crime contra a honra, que fez com que Kajuru deixasse de ser réu primário.

Em entrevista à Consultor Jurídico, ele diz que ‘virou mania’ processá-lo por causa de seu jeito crítico, e diz que gasta cerca de 27 mil reais mensais com o pagamento de advogados. Ironicamente, o jornalista nunca processou ninguém. Diz que a arma que usa para criticar e se defender é o espaço que tem na imprensa.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem