Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > LEITURAS DE ‘VEJA’

Quando a ‘Veja’ virou PT

Por Claudio Tognolli em 11/11/2014 na edição 824

Reproduzido do blog do autor, 10/11/2014; título original “Sobre o dia em que a revista Veja virou PT (segundo a própria Veja...)”, intertítulo do OI

Imaginem a seguinte situação:

O PSDB faz uma descoberta impactante, na arena internacional.

Autoridades federais fazem uso da descoberta do PSDB para iniciar uma investigação geopolítica. Citam o PSDB como o herói descobridor da mutreta.

O PT pega o documento do PSDB, arranca dele o nome dos tucanos. E publica na revista do partido a história como tendo sido denunciada, em primeira mão, pelo PT.

Qual seria a manchete da revista Veja?

Seria uma capa acusando o PT de estelionato, roubo, má-fé, adulteração de documento público, e mais o escambau a quatro.

Pois bem: a revista Veja desta semana fez tudo isso comigo. Vou dar os detalhes em seguida.

Antes um disclaimer: nada tenho contra a Veja. Iniciei minha carreira de repórter ali, nos anos 80. E, no ano passado, convenci meu velho amigo Romeu Tuma Jr. a que dessa a Veja a exclusividade de nosso livro “Assassinato de Reputações: um crime de estado”.

Lançado pela editora Topbooks, em 11/12/13, nosso livro vendeu 140 mil cópias. E ficou por 17 semanas em primeiro lugar na lista dos mais vendidos de… Veja!

Tuma Jr. e eu escolhemos Veja porque, com todos os graus de octanagem contidos na obra, a revista seria a única a dar o destaque merecido a um livro que reduz o PT a pó de traque. A revista tem um pedigri de “cojones”, não?

Mas quando se tratou de enaltecer “los cojones” alheios, a revista agiu como o mais sórdido petismo: que é a chamada tática da pernada de anão.

Vamos aos fatos.

Sem crédito

Este blog teve seu início a 14 de abril passado. Já nasceu com um rombaço: acusações da família Maksoud de que o patriarca era mantido em cárcere privado pela companheira, uma manicure. Dois dias após a publicação, Henry Maksoud morreu.

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/batalha-da-cut%C3%ADcula-214524192.html

O caso ribombou em todas as mídia, da Veja ao Fantástico, Globo, Estadão etc. Uma colunista da Folha de S.Paulo chegou a me telefonar algumas vezes em busca de dados: para no outro dia publicar o caso como se fosse furo… dela!!!

Normal: jornalismo é a lei da mão gorda. Um dos raros axiomas respeitado por nossos jornalistas, em geral, é o de que, em redação, jamais se entrega o leite ao concorrente…

Vamos agora ao dia em que a Veja virou PT…

Este blog há uma semana noticiou com exclusividade que Elías Jaua, vice-presidente setorial do Desenvolvimento do Socialismo Territorial da Venezuela e titular do Ministério das Comunas, esteve aqui para treinar os militantes do MST.

Trouxemos também a carta que ele foi obrigado a escrever, pedindo desculpas por ter plantado seu revólver em sua babá, para poder invadir o Brasil armado, e assim, quem sabe, dar aulas de tiro ao alvo para o MST.

A mídia reverbera nosso furo uma semana depois informando hoje que o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, chamou na quarta-feira passada o encarregado de negócios da Venezuela, Reinaldo Segóvia, para manifestar a insatisfação do governo brasileiro com as atividades do vice-presidente e ministro para o Poder Popular das Comunas e Desenvolvimento Social, Elías Jaua, no Brasil.

Na Veja dessa semana há várias páginas sobre o caso descoberto por esse blog.

Ótimo! Faz bem ao Brasil.

A revista Veja traz o documento do delegado federal Enio de Paula Salgado, pedindo que se investigue o caso.

Recebi quarto e-mails de jornalistas venezuelanos. Perguntaram-me, neste domingo, se o documento de Veja era falso.

Redargui, indignado:

– Como? A revista Veja tem total credibilidade, é a única mídia que faz oposição no Brasil…

Uma repórter venezuelana me devolve, seca e direta:

– Mas o teu furo do caso no Yahoo data de 29 de outubro passado. E o documento do delegado que a Veja publica este domingo data de 25 de novembro de 2010…

Consultei nesta segunda-feira [10/11] três fontes diferentes na PF: o documento que Veja publicou é verdadeiro. O computador do delegado errou a data. Só isso.

Telefono então para meus amigos venezuelanos. Que me mandam a íntegra do documento da PF. Leia com atenção: as investigações da PF, e do Itamaraty, só foram iniciadas por causa deste blog:

http://www.lapatilla.com/site/wp-content/uploads/2014/11/Jaua-ninera-5.jpg

Maldosamente, os editores de Veja alijaram o documento oficial para, como se diz, não “pagarem um pau” a um jornalista concorrente.

Alteraram um documento oficial, na base do recorte, para não dar crédito a outrem.

Sniff… Snifff… Snifff… Ó vida, ó dor!!!!

Tudo bem: os jornais da Venezuela publicaram o documento sem recortes…Viva los hermanos bolivaristas!!!!

Imaginem agora se o PT tivesse feito o mesmo contra o PDSB? Veja iria pedir uma CPI, não?

******

Claudio Tognolli é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem