Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Revista ouve apenas um dos lados

Por Joca Bastos em 04/11/2008 na edição 510

Em resposta à nota ‘Acordo coletivo no jantar’, da coluna ‘Brasil confidencial’, publicada pela revista IstoÉ nº 2034 (29/10/2008), assinada pelo sr. Octávio Costa, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios, Telégrafos e Similares – FENTECT vem a público repudiar veementemente a irresponsabilidade, a falta de profissionalismo e o mau exercício do jornalismo. É preciso ressaltar que as negociações ocorreram com representantes da FENTECT e da ECT e o sr. Pedro Magalhães era membro da comissão de negociação da ECT, e não o único responsável pelas decisões e propostas da empresa.

Quanto aos referidos jantares com sindicalistas, ocorreram não se sabe quando, nem com quem. A nota cita cinco jantares na casa do sr. Pedro e deveria também dizer quem foram os representantes da FENTECT que participaram destes eventos, que nunca ocorreram. Quanto ao segredo da fonte, sabemos que é sagrado, mas também deve ser sagrada a atitude de ouvir os dois lados. Neste caso, os representantes da federação sequer foram procurados para que pudessem falar. Isso é um exercício de péssimo jornalismo e só pode interessar à presidência da ECT que, por meio da IstoÉ, está fazendo campanha contra o movimento sindical, tentando desestabilizar e desmobilizar os trabalhadores dos Correios.

Telefone não atendeu

Essa estratégia se deve ao fato de esta semana ser o momento crucial das negociações entre a FENTECT e a ECT sobre o plano de carreiras, cargos e salários – PCCS. Serão realizadas na terça (28/10) e na quarta-feira as duas últimas reuniões que decidirão sobre o tema. Na noite do dia 29 ocorrerão assembléias nos sindicatos de todo o país, para avaliar e decidir se os trabalhadores aceitam a proposta da ECT ou entram em greve nacional, a partir de 0h do dia 30 de outubro. O estado de greve foi decretado há cerca de dois meses e continua mantido, como decidido no início deste mês, o que dá o direito à categoria de entrar em greve automaticamente após o final das assembléias.

Mais uma vez é preciso afirmar que da parte da FENTECT e seus membros não houve e não haverá encontros às escuras com o sr. Pedro Magalhães e nem com outro dirigente dos Correios. Os sindicalistas que levaram à frente a campanha salarial 2008/2009 são pais e mães de família honrados, pessoas honestas que deixaram o convívio dos seus e seus lares por mais de três meses, tendo que passar por diversas reuniões sem o mínimo respeito dos negociadores da ECT.

O glamour dos jantares em casa de diretores da ECT, na capital federal, não faz parte da realidade de nenhum dos trabalhadores dos Correios, representados pela Comissão Nacional de Mobilização e Negociação – FENTECT, que suaram a camisa para conquistar os 7,37%, a licença maternidade de seis meses e outras reivindicações da pauta nacional da categoria em sua campanha 2008/2009. Esperamos que o mesmo também se aplicasse ao sr. Octávio Costa. Não que estejamos afirmando que ele tenha jantado com o sr. Pedro Magalhães ou com qualquer outra pessoa, pois não foi possível falar com ele para perguntar – o telefone da sucursal, (61) 3321-1212, não atendeu.

******

Jornalista, Assessor de Imprensa/FENTECT, Comando Nacional de Mobilização e Negociação da Campanha Salarial 2008/2009

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem