Domingo, 15 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1054
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Revista vence concurso de melhor capa do ano

30/10/2006 na edição 405

Uma capa de setembro de 2005 da New Yorker com um cartum que mostra o presidente George W. Bush no Salão Oval inundado após o furacão Katrina foi escolhida por um grupo de editores e designers de revistas dos EUA como a melhor capa do ano. O governo de Bush foi criticado por demorar a responder prontamente ao desastre, ocorrido no ano passado na região da costa do Golfo do México. O desenho é do cartunista Barry Blitt.


O concurso foi realizado pela Sociedade Americana de Editores de Revistas (ASME, sigla em inglês), associação formada por editores de mais de 850 publicações nos EUA, e a organização Editores de Revistas da América, para promover a indústria. No ano passado, para celebrar os 40 anos da ASME, um grupo de editores, designers e fotógrafos escolheram as 40 melhores capas dos últimos 40 anos. Posteriormente, os dois grupos decidiram fazer um concurso anual de capas publicadas entre os dias 1/8/05 e o dia 31/07/06.


Na competição deste ano, outra capa da New Yorker foi escolhida na categoria de melhor capa de notícias: uma ilustração do vice-presidente Dick Cheney e do presidente Bush como caubóis, em alusão ao filme Brokeback Mountain, publicada na edição do dia 27/2. Cheney havia, na ocasião, atirado acidentalmente em um colega de caça e na capa aparece assoprando a fumaça de sua arma. O desenho é de autoria de Mark Ulriksen.


Famosos vendem


A melhor capa de celebridade foi dividida por duas revistas que não são conhecidas tradicionalmente como revistas de celebridades – Harper´s Bazaar, com uma foto da atriz Julianne Moore, e Vibe, com Busta Rhymes. O fato de estas publicações ganharem na categoria de celebridades mostra que os famosos dominaram a indústria de revistas. Muitos editores afirmam que se sentem geralmente compelidos a colocar uma celebridade na capa para competir com o mercado saturado de revistas de celebridades, e que rostos famosos vendem mais que modelos ou pessoas comuns.


A editora da Glamour, Cynthia Leive, que anunciou os vencedores no encontro anual da ASME na semana passada, afirmou que, para uma capa tornar-se icônica, ela deve ter o ‘potencial de viver por décadas e se tornar uma parte indelével da nossa cultura’. As capas vencedoras e as que concorreram em todas as categorias estão disponíveis no sítio da ASME. Informações de Katharine Q. Seelye [The New York Times, 24/10/06].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem