Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

FEITOS & DESFEITAS > A crise brasileira

Sopa de letrinhas

Por Alberto Dines em 16/02/2017 na edição 934

A Europa está se desintegrando? Num artigo publicado no The New York Review of Books de janeiro deste ano, Timothy Garton Ash diz que se ele fosse submetido a um processo de congelamento em 2005 e só acordasse em 2017, sofreria um choque mortal.

Em 2005, Ash teria ido para seu ano sabático como um cidadão feliz pela expansão da União Europeia, depois da incorporação das antigas nações do bloco comunista no Velho Mundo, e tranquilo por viver numa Europa sem fronteiras que poderia ser cruzada de ponta a ponta com moeda única .

Mas ao acordar em 2017 tudo mudou, viveria num bloco em desintegração, prestes a perder a França depois do Reino Unido, mal segurando nas pernas países como a Grécia , expulsando refugiados para proteger empregos e espaços e voltando a ser como durante s segunda guerra, populista , neonazista, nacionalista. O mundo tinha virado de cabeça para baixo na era Trump.

O mesmo acontece com o Brasil. Na virada para 2005 o Brasil vivia o sonho de Primeiro Mundo com alentadoras promessas de felicidade e conforto para todos e para sempre. Depois estourou o escândalo da corrupção nos Correios e na denúncia de Roberto Jefferson mas se hibernássemos antes, naquele momento de glória , para só acordar em 2017, não resistiríamos aos golpes, que se seguiram.

O fim do sonho

Mudou tudo. A imprensa não tem tempo de refletir. Os furos se sucedem de minuto a minuto, os ídolos caem de podres antes de subir, não se confia em ninguém e nada sobra do que ontem era status.Surreal.

Temos uma Comissão de Justiça no Congresso com nove investigados pela Lava Jato mas seguem firmes no direito de julgar o jurista que vai substituir Teori Zavaski , Alexandre de Moraes, acusado de plágio em sua tese.

Temos ministro um dia, no outro, não. Moreira Franco um dia é investigado na Lava Jato, no outro nada disso importa . Eduardo Cunha continua sustentando a não verdade de que não tinha conta no exterior, só confessa um aneurisma e do alto da sua prisão chantageia e ameaça contar tudo o que sabe.

Não vai sobrar ninguém.

Eike Batista pode pegar 44 anos de cadeia, Sergio Cabral, 50 anos. O Espírito Santo foi saqueado depois do motim dos PMs, o presidente da Câmera e os lojistas perdem milhões de reais por dia.

O presidente da Câmera Rodrigo Maia recebeu  propina , a Odebrecht sumiu, a Petrobrás encolheu, o dinheiro evaporou.

O Rio ex-da Copa e das Olimpíadas, vive dias de inferno, e o cordão dos condenados cada vez aumenta mais.

É uma sopa de letrinhas de fatos avassaladores e desordenados e medonhos, que fazem os brasileiros sonhar não com a Felicidade ou o Primeiro Mundo, mas com a hibernação.

***

Alberto Dines é jornalista, escritor e cofundador do Observatório da Imprensa

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem