Quarta-feira, 20 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

ENTRE ASPAS > SBT

Tela Viva News

06/04/2004 na edição 271

‘O SBT disponibiliza na sexta, 2, seu novo Atlas de Cobertura, no site www.sbt.com.br/comercial/atlas. O novo atlas expressa a capacidade de sinal das 109 emissoras que compõem a Rede SBT, ampliando a partir de maio para 110 com a nova afiliada TVi de Caruaru.

Como fontes para a compilação, o SBT utilizou dados do IBGE e do Instituto Alpha, além do Mídia Dados e o Relatório Target 2003. E, a partir de informações fornecidas pela área técnica de cada emissora da rede, foram feitas pesquisas junto a duas mil prefeituras e entrevistas por telemarketing em cada um dos 5.561 municípios brasileiros.’



Folha de S. Paulo

‘Ratinho ‘peita’ Silvio e cancela gravação’, copyright Folha de S. Paulo, 2/4/04

‘Carlos Massa, o Ratinho, ‘peitou’ Silvio Santos e cancelou a gravação do novo programa que iria estrear domingo no SBT. A estréia do programa, com o título de ‘Gente que Brilha’, foi adiada.

Silvio Santos comandou pessoalmente a gravação do piloto (teste) de Ratinho na semana passada. Imprimiu ao apresentador, cuja marca é a anarquia, uma linha mais leve e ordenada.

Ratinho não se sentiu à vontade com a nova orientação. Na quarta-feira, falou por telefone com Silvio Santos, que está em Orlando (EUA). Segundo a assessoria do apresentador, o dono do SBT teria aceito as mudanças sugeridas por Ratinho. Um novo piloto deve ser gravado quarta que vem.

Espécie de show de calouros, o ‘Gente que Brilha’ irá durar até três horas, no início da tarde. Terá a missão de alavancar a audiência para o ‘Domingo Legal’, de Gugu Liberato, que não vem se sentindo confortável com a novidade.

Entre as mudanças impostas por Carlos Massa, estão a exibição de calouros ruins, e não apenas bons. As atrações não serão mais apenas musicais, mas de qualquer ‘habilidade’. O programa terá um gongo e quatro jurados. Candidatos ruins serão esculachados.

A assessoria de Ratinho diz que o apresentador sugeriu a Silvio Santos quadros em que pudesse brincar e ‘ser ele mesmo’. Achava que não estava natural, misturando estilos de Chacrinha e até Gilberto Barros.’



METAMORPHOSES
Leila Reis

‘‘Celebridade’ não cresce em cima da gente’’, copyright O Estado de S. Paulo, 2/4/04

‘E nem poderia: a novela da Globo concorre com ‘Metamorphoses’ por menos de cinco minutos

Del Rangel, diretor artístico da Rede Record, enfrenta aos 48 anos o maior desafio da sua carreira: provar que é possível produzir novela fora de emissora. Ele, que já dirigiu novelas, seriados e minisséries na Globo, chegou à Record há três anos e acabou com a produção de novelas. Hoje está empenhadíssimo em fazer Metamorphoses, produção da Casblanca, atingir ‘dois dígitos’ no Ibope. Nesta entrevsita, Del gaba-se de ter saído na frente da Globo ao exibir imagens em alta definição e diz que vai mostrar que a produção independente é a saída para a TV.

Estado – A novela ‘Metamorphoses’ estreou com média de 11 pontos no Ibope e hoje registra a metade dessa audiência. Você está decepcionado?

Del Rangel – Não, nós mostramos todo nosso poder de fogo porque tudo que dissemos aconteceu. Vendemos quatro cotas de patrocínio antes de estrear.

Conseguimos aumentar o ibope da emissora em 2 pontos, mesmo tendo fortes concorrente no horário: a Globo e o SBT. 48% dos nossos telespectadores são das classes A e B, que é a que consome. Meu trabalho agora é conquistar o público C, D, E e o infantil, além de manter a A e B. Daqui uma semana, quando acabarem os grupos de discussão, vamos ter claro como fazer isso. E em um mês vamos passar dos 10 pontos de média.

Estado – O que as pesquisas com telespectadores estão mostrando?

Del – Que o público está gostando do formato. A qualidade técnica – imagem em alta definição – está impressionando. As tramas inusitadas – a máfia japonesa e cirurgias plásticas – atraem especialmente as classes A e B.

Estado – Como a cúpula da emissora está vendo a novela que, em alguns momentos, exibiu seios e cenas sensuais?

Del – O Bispo Gonçalves (Honorilton, Superintendente da Record) viu tudo antes e não levantou problemas. A nossa responsabilidade é muito grande porque a censura é de 12 anos. Os cortes são feitos por mim.

Estado – Como a direção da emissora está avaliando o desempenho da novela?

Del – O Bispo Gonçalves está apostando na novela, ele sabe que para um gênero se firmar leva seis, sete anos. Tem de ser um investimento a longo prazo. Faz três anos que a Record não tem novelas, o público vai descobrindo aos poucos que voltou a ter. Como aconteceu com o futebol que, depois de três anos, chegou a marcar 19 pontos de média no ibope no sábado. A Record quer a liderança do mercado e sabe que tem que investir para isso. Não existe emissora com uma grade tão diversificada como a da Globo como a nossa. Temos jornalismo, show, novela, futebol.

Estado – é consenso que o maior problema de ‘Metamorphoses’ é o texto.

Concorda?

Del – A Casablanca contratou vários autores e pagou para apresentarem uma sinopse e dez capítulos. A partir desses textos a trama foi estabelecida e coordenada pela Arlete Siaretta (dona da produtora Casablanca). Quatro autoras estão escrevendo a novela. O texto tem problemas que vamos resolver a partir do resultado da pesquisa com telespectadores. O bom de trabalhar com a Casablanca é que, por ser uma produtora independente, nos deu um diferencial sobre a Globo: saímos na frente com a tecnologia da alta definição. E me possibilita chegar ao mercado internacional com o preço do capítulo duplicado. Como não precisamos comprar a tecnologia, podemos investir no conteúdo.

Estado – Qual é o seu envolvimento na produção da novela?

Del – Acompanho de perto todas as fases da produção: leio os textos, acompanho a gravação, edição. Sou o representante da Record, o cliente que toma as decisões na hora. Essa proximidade dá mais agilidade à produção.

Estado – Você não fica tentado a dirigir?

Del – Meu lado diretor vibra com o fato de a Casablanca fazer toda a novela em locações, usar os melhores equipamentos. Mas estou em outro momento, estou no plano macro, preocupado em abrir mercado e solidificar o produto.

Além do mais, Tizuka Yamasaki é uma grande diretora.

Estado – é verdade que ela vai deixar a novela?

Del – Ela foi contratada para dirigir os primeiros 24 ou 36 capítulos porque está querendo finalizar o filme dela (Gaijin 2). Esse contrato é renovável, ela nem sabe se vai querer sair porque depende de arranjar o dinheiro do filme. A equipe que está trabalhando é toda da Tizuka.

Estado – Por que você acabou com as novelas quando chegou à Record?

Del – Porque tínhamos de exibir novelas decentes. Quando cheguei, a novela dava 2 pontos. A produção independente é a saída, porque a emissora transfere a produção e se concentra na exibição.

Estado – Você está satisfeito com a audiência?

Del – Estou, mas ficarei mais daqui um mês quando passarmos dos 10 pontos de média. O telespectador está aumentando o tempo de permanência na novela: de 19 para 22 minutos. Nos últimos momentos do capítulo chegamos a 9 pontos.

Celebridade (que começa menos de 5 minutos após o fim da novela da Record) não cresce em cima de Metamorphoses.’



PEGADINHA DO FELIPÃO
Zero Hora

‘Felipão demitido: o 1º de abril da imprensa portuguesa’, copyright Zero Hora, 2/4/04

‘O Brasil iniciou a manhã de ontem com sites esportivos e rádios anunciando a demissão do técnico da seleção portuguesa, Luiz Felipe Scolari, após a derrota de 2 a 1 para a Itália, na tarde de quarta-feira. A ‘notícia’, divulgada pelo Correio da Manhã, não passava de uma pegadinha de 1º de abril, o Dia da Mentira. Em Portugal, inclusive os jornais pregam peças nos leitores, hábito não adotado pela imprensa brasileira.

– No Brasil não se tem esse costume. Mas aqui em Portugal, principalmente em jornais esportivos, é muito comum publicar pegadinhas nesse dia – diz o jornalista gaúcho Alcides Gonçalves, que trabalha no jornal Record, de Lisboa.

Na edição de ontem, o Correio da Manhã afirmou que o técnico gaúcho havia pedido demissão por estar decepcionado com os resultados da seleção portuguesa e por estar com os salários atrasados já há seis meses. A derrota para a Itália teria sido o fator determinante para que Felipão tomasse a decisão. Em seguida, o jornal esportivo A Bola também anunciou o fato, mas dizendo que o real motivo para a saída do técnico era a interferência do presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madail, em seu trabalho.

– Na verdade, dá para dizer que a brincadeira deles foi a melhor de todas, porque combinava a informação à derrota – completa Gonçalves.

Acostumados com esse tipo de brincadeira, os portugueses não se espantaram. Na verdade, a surpresa ficou por conta da reação brasileira à mentirinha de um dos jornais de maior circulação do país. Ainda na manhã de ontem, o assessor de imprensa de Luiz Felipe, Acaz Fellegger, teve de negar a informação às agências de notícias do Brasil.

– Não há a menor possibilidade disso acontecer. O Felipão estará com Portugal na Eurocopa – disse Acaz.

No ano passado, a pegadinha que causou mais impacto foi a suposta contratação do atacante finlandês Litmanen, do Ajax, pelo Benfica. Além da saída de Felipão da seleção, outras notícias falsas foram divulgadas ontem. O jornal A Bola disse que a final da Copa da Uefa do próximo ano, marcada para o Estádio Alvalade, do Sporting, em Lisboa, foi trocado para o estádio dos Dragões, do Porto.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem