Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Tereza Rangel

11/03/2008 na edição 476

‘UOL preparou-se bem para anunciar o julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a autorização (ou não) do uso de células-tronco de embriões humanos em pesquisas científicas. Texto assinado ouvia pacientes, defensores e detratores da autorização. Trazia infográfico, vídeo, enquete e vários textos correlados.

Na hora do julgamento, porém, o portal ofereceu menos do que a concorrência. Restransmitiu apenas o sinal da TV Justiça com a sessão. Demorou a dar links de reportagens de parceiros com informações sobre o que já havia acontecido no tribunal. Falhou em contextualizar a transmissão, que ocupou a submanchete e manchete do portal durante a tarde de ontem.

Os principais concorrentes de notícias fizeram um ‘placar’ do julgamento, com notícias que permitiam a quem entrasse no meio da transmissão entender o que já acontecera previamente, mesmo que em alguns casos houvesse apenas uma descrição fria, sem análise, da sessão. Alguns davam o ‘placar’ na própria página em que o vídeo era transmitido. Outro preferiu usar um blog para dar o seguimento da sessão do STF.

No UOL, por mais de uma hora, apenas a transmissão, com links para a notícia de apresentação do julgamento, Últimas Notícias gerais, para o blog da redação do UOL News (cujo último post era de 22 de fevereiro) e índice de vídeos. Mais tarde, deu links para parceiros, mas obrigava o internauta a clicar em inúmeras páginas para tentar entender o que de importante já acontecera no STF.

Em outras ocasiões, o UOL já usou transmissão de vídeos com textos correlatos. Sugiro que o portal prepare alguns modelos de páginas que permitam vídeos de eventos ao vivo, textos, gráficos e fotos, tudo junto, contextualizando o evento. E prepare-se, de preferência, para fazer um hora a hora inteligente, analítico, e não apenas uma transcrição literal do que se fala.

UOL responde

O gerente geral de notícias do portal, Rodrigo Flores, escreveu para explicar a decisão editorial. Segue o texto.

‘Tereza,

A redação avaliou que o formato ‘minuto a minuto’ não funcionaria bem para o julgamente do STF. Os ministros estabelecem uma longa linha de raciocínio para embasar juridicamente suas decisões. Pinçar frases ou trechos e tirá-los do contexto poderia distorcer a compreensão do voto. É muito diferente do formato ‘pergunta-resposta’ das CPIs, por exemplo. Por isso, a redação decidiu investir em textos consolidados sobre o voto de cada um.

A redação fará uma discussão interna sobre a cobertura e não descarta revisar suas estratégias para a seqüência do julgamento no STF.

Obrigado,

Rodrigo’

***

Dança dos números (6/3/08)

Hoje é dia importante para o quadro eleitoral norte-americano. A pretensão de Hillary Clinton de disputar a eleição a presidente dos EUA pelo Partido Democrata pode ruir, nas primárias de Ohio e Texas. Ela acumula 11 derrotas consecutivas para seu oponente, Barack Obama, que está à frente da disputa, e pode ficar numa situação irreversível. O UOL cobre o assunto com bastante destaque, com chamadas nas home page e site especial sobre o tema, chamado ‘UOL Eleição Americana 2008’. Acontece que a (falta de?) atualização de uma parte importante (resultados das primárias) indica o contrário e confunde internautas como Julio, que escreveu à ombudsman para se queixar.

‘Não consigo entender o andamento da eleição americana, ou pelo menos a cobertura que o UOL dispensa ao tema. Ora, enquanto a notícia de hoje (‘‘Energizada’, Hillary tenta dar volta por cima no Texas’) informa que Obama está na frente e que Hillary pensa em desistir acaso perca no Texas, mas não informa o número de delegados que cada um conquistou até agora, o infográfico ‘Primárias – UOL Eleição americana 2008’, que é muito bonito mas desatualizado há muito tempo, informa que a senadora lidera com 1.081 a 1.078. Somente consultando a notícia de ontem (‘Após 11 derrotas consecutivas, Hillary diz ainda estar viva na disputa’) é possível entender que as informações estão conflitantes e que o resultado atual indica a liderança de Obama com 1.385 contra 1.276 da senadora. O UOL precisa melhorar isto.’

Para complicar um pouco mais, os números de delegados são uma estimativa. O UOL prestaria um melhor serviço se deixasse claro que critério usa. Seria ótimo, também, que apenas uma fonte fosse adotada, para que não houvesse números díspares. CNN e o jornal The New York Times têm números diferentes entre si, por exemplo. Seria bom, também, que todas as reportagens sobre o assunto trouxessem o número de delegados que cada candidato conquistou até o momento, porque é informação fundamental para a definição da disputa eleitoral num dos países mais influentes do planeta.

***

Bizarrices e erro sob o tapete (3/3/08)

Esta semana há uma decisão importantíssima para a ciência no Brasil. O Supremo Tribunal Federal vai decidir se libera ou não pesquisas científicas com células-tronco de embriões humanos. O UOL perdeu uma grande chance hoje de tratar bem o assunto. Abriu seu bloco de Ciência e Saúde na home page com uma notícia sobre o tema. A seguir, decidiu destacar três assuntos, a meu ver, absolutamente irrelevantes. Deu chamadas para duas ‘pesquisas científicas’ sobre os temas ‘dor de cabeça após sexo’ e ‘relação exercício leve e diminuição de cansaço’ que tiveram por base 170 e 36 pesquisados, respectivamente. Sem falar no release sobre a ‘fantástica’ cápsula de frutas que chegará ao mercado brasileiro em breve. Deveria investir no assunto da semana (que abre o bloco). Poderia editar ali uma enquete para saber se o internauta é contra ou a favor da liberação e trazer opiniões contra e a favor da medida. Seria um serviço muito mais relevante dos que as bizarrices destacadas.

***

Durante horas, a home page do UOL deu manchete para um texto contraditório e com erro de informação: dizia ser possível obter o recibo da declaração de 2007 pela Internet ao mesmo tempo em que afirmava ser obrigatória a ida a uma agência da Receita para tal. (‘Importante saber que neste ano a Receita trouxe mais uma novidade, que é a obrigatoriedade de informar o número do recibo da declaração feita em 2007 no momento do preenchimento dos dados. Este documento pode ser obtido por meio da Internet, no próprio site da Receita, conforme recomendação do Ministério Público Federal.’ ‘Quem perdeu o recibo do ano passado, é necessário ir até uma agência da Receita Federal, munido de CPF e carteira de identidade.’) Alertada pela ombudsman, a redação corrigiu o texto, mas não produziu uma errata. Deveria fazê-lo. Afinal, muita gente pode perder seu tempo, indo desnecessariamente a uma agência da Receita, por um erro do UOL.

Redação responde

O gerente geral de notícia do UOL, Rodrigo Flores, encaminhou a resposta publicada abaixo. Agradeço.

‘A redação concorda que a decisão do STF sobre uso (ou não) de células-tronco de embriões humanos é um dos tópicos mais importantes da semana. Tanto que deu o principal destaque para o tema no bloco de Ciência e Saúde. Como a votação deve começar apenas na quarta-feira, haverá certamente muitas oportunidades de abordar o assunto com o espaço que ele merece na primeira página do portal. A redação considera ainda improcedente a qualificação de ‘bizarrice’ para os assutos destacados no bloco.

Em relação ao texto de economia, havia de fato informações conflitantes, conseqüência de uma alteração nas regras apresentadas pela Receita Federal. Uma errata foi publicada em nossa central de correção de erros.’’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem