Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

FEITOS & DESFEITAS > MÍDIA & MERCADO

Time Warner adia desmembramento

Por Emily Steel em 13/08/2013 na edição 759

Reproduzido do Valor Econômico, 8/8/2013; intertítulo do OI

A Time Warner decidiu paralisar seu plano de desmembrar a unidade editorial Time Inc., que publica as revistas Time, People e Sports Illustrated. O grupo de mídia esperava concluir a separação da unidade de revistas de suas operações de televisão e cinema até o fim do ano, mas informou, ontem, que decidiu suspender o plano até o começo do ano que vem. O adiamento visa a conceder a Joseph Ripp, nomeado diretor-presidente da Time Inc. no mês passado, mais tempo para depurar sua estratégia para a unidade.

“Nossa maior prioridade na cisão é ter certeza de que colocaremos a Time Inc. na melhor posição possível”, disse ontem Jeff Bewkes, diretor-presidente da Time Warner, em uma conferência com analistas. A Time Warner disse que ainda vai estabelecer a estrutura de capital para a nova e independente Time Inc., que segundo acreditam alguns analistas, estará cheia de dívidas. Em junho, a News Corp, de Rupert Murdoch, desmembrou seu braço editorial com um caixa líquido de quase US$ 2,6 bilhões, mas analistas dizem acreditar que a Time Inc. será desmembrada com um endividamento líquido de cerca de US$ 1,5 bilhão a US$ 2 bilhões.

As receitas editoriais caíram 3% no segundo trimestre, para US$ 833 milhões, devido a um declínio de 5% das vendas de anúncios e uma queda de 7% nas vendas de assinaturas. No mesmo período, a Time Warner teve um lucro líquido de US$ 771 milhões, ou US$ 0,81 por ação ordinária, o que representou um aumento de 87% sobre os US$ 413 milhões (US$ 0,42) apurados no segundo trimestre do ano passado. A receita total cresceu 10% para US$ 7,4 bilhões.

CNN “roubou” participação de mercado

Os sucessos de bilheteria O Grande Gatsby e Homem de Ferro alimentaram o crescimento do grupo na área de cinema, na qual as vendas cresceram para US$ 2,9 bilhões no segundo trimestre, uma alta de 13% sobre o mesmo período do ano passado.

As vendas publicitárias vigorosas ligadas às eliminatórias da NBA – a liga americana de basquete – alavancaram os negócios das operações de TV da Time Warner, cujas receitas cresceram 7% no trimestre, para US$ 3,8 bilhões. A receita de conteúdo também cresceu bastante em razão das maiores vendas de programação original da rede HBO, que recebeu 108 indicações ao prêmio Emmy em julho, por séries como Game of Thrones e Girls.

A Time Warner disse que a CNN “roubou” participação de mercado das redes de TV concorrentes, mostrando um aumento de 70% na audiência em suas principais áreas de cobertura.

******

Emily Steel, do Financial Times, em Nova York

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem