Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

FEITOS & DESFEITAS > MÍDIA ELETRÔNICA

Um ano do ‘Jornal de Debates’

Por Fabio de Oliveira Ribeiro em 18/09/2007 na edição 451

Desde que nasceu, a missão do jornalismo tem sido informar os cidadãos. Mas nem sempre os cidadãos têm a oportunidade de meditar sobre o vocábulo informação. É por isto que muitas vezes acabamos sendo desinformados pelos órgãos de comunicação.

Informação é aquilo que reduz nossa incerteza. Nesse sentido, a informação pode provocar equívocos porque um erro também reduz nossa incerteza. Por exemplo:

‘O cidadão tem uma entrevista às 8:30 horas. Após sair de casa, fica em dúvida se deve ou não tomar um café na padaria. Como não tem relógio, pergunta as horas a um transeunte e é informado que ainda são 7:00 horas. Em razão desta informação, segue para a padaria, toma calmamente seu café. Entretanto, acaba chegando atrasado ao compromisso porque o transeunte não havia adiantado seu relógio em razão do horário de verão.’

Não é a toa que a Wikipedia traz a seguinte definição:

‘Informação é a qualidade da mensagem que um emissor envia para um ou mais receptores. Informação é sempre sobre alguma coisa (tamanho de um parâmetro, ocorrência de um evento etc.). Vista desta maneira, a informação não tem de ser precisa. Ela pode ser verdadeira ou mentirosa, ou apenas um som (como o de um beijo). Mesmo um ruído inoportuno feito para inibir o fluxo de comunicação e criar equívoco, seria, sob esse ângulo, uma forma de informação. Todavia, em termos gerais, quanto maior a quantidade de informação na mensagem recebida, mais precisa ela é.’ [http://pt.wikipedia.org/wiki/Informa%C3%A7%C3%A3o]

Virtude inovadora

Em razão do exposto, precisamos desconfiar das informações que recebemos. O melhor é formar uma opinião sobre a qualidade das mesmas. Quando mais refinada for a opinião, menores serão os equívocos produzidos pelas informações inadequadas, incorretas, inverídicas, distorcidas etc.

Para que formemos nossa própria opinião sobre qualquer assunto precisamos debatê-lo. Entretanto, o debate raramente ocorre na grande imprensa. Os jornalistas são especialistas em fornecer informações e opiniões (as opiniões deles). Nem sempre os mídia nos fornecem informações precisas. Muitas das suas opiniões são distorcidas por razões políticas, ideológicas, religiosas e até econômicas.

Nesse sentido, a virtude inovadora do JD tem sido possibilitar o debate entre os participantes sobre todas informações e opiniões. E no final cada qual poderá refinar a sua própria opinião sobre os assuntos debatidos. Uma oportunidade única para construir conhecimento de maneira democrática e aberta.

******

Advogado, Osasco, SP

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem