Terça-feira, 26 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº959

ENTRE ASPAS > COBERTURA DA COPA

Vida longa ao ‘professor’ Dunga…

Por Valacir Marques Gonçalves em 06/07/2010 na edição 597

A Copa do Mundo está nos dando a oportunidade de perceber muitas coisas. Além de falarem (como sempre) do melhor jogador, do melhor ataque, ou da defesa menos vazada, estão falando do Dunga… O ‘anão raivoso’, queiram ou não os seus desafetos, é um ‘herói da resistência’ – às avessas, mas é… É um ‘Dom Quixote’ que não luta contra Moinhos de Vento, mas contra interesses poderosos, principalmente aqueles modorrentos e pré-estabelecidos ao longo do tempo. Confesso que estou preocupado. Triste, assisti a um Dunga cordato pedir desculpas ao torcedor brasileiro. Não precisava. Sou apenas um entre milhões, mas como brasileiro nada tenho a desculpá-lo, muito pelo contrário…

Circula na internet uma matéria que virou ‘clássico’. Ele teria ‘vetado’ uma entrevista exclusiva de alguns jogadores para o canal da TV mais poderosa do país. Falaram bastante sobre esse episódio. Diferente de muitos, gosto da tal TV, mas de uma maneira peculiar. Gosto dela da mesma forma que um pai gosta do filho único que insiste em fazer coisas erradas. Perguntado porque o ama tanto, ele diz que sabe as coisas ruins que ele faz, mas é o que ele tem… Certamente não é a TV dos meus sonhos, mas a concorrência é de doer… Cada vez que tento mudar de canal, volto correndo. De uns tempos para cá, está difícil, acontece de tudo, algumas mostram pessoas ‘em transe’ jogando muletas pro alto, declarando que estão andando novamente, enquanto outras gritam que voltaram e enxergar…

O povo quer é ver a seleção ganhar

Mas, voltando ao Dunga… Diferente de outros, ele tem critérios claros e objetivos e, talvez por essa razão, lidera seus comandados. Considera valores como honestidade, ética e lealdade atributos indispensáveis ao seu comando. Enquanto isso, um setor da imprensa diz que é hostilizado por ele quando vê cortados privilégios que sempre teve. Leio que ‘talvez, por isso, enfrentem um dilema: como reagir ao treinador sem passar a impressão de que estão torcendo contra a seleção brasileira?’ Com centenas de profissionais no país da Copa e dona dos direitos de transmissão, a ‘poderosa’ está sendo tratada como ‘uma qualquer’, sem diferença dos demais veículos na cobertura da seleção brasileira. Lembro, sem nenhum saudosismo, que com outros treinadores conseguia entrevistas e imagens exclusivas, entrava dentro do ônibus dos jogadores e levava atletas para os seus estúdios…

Mas não é só a imprensa ‘televisiva’ que está incomodada. Uma revista semanal de grande circulação não deixa por menos. Com a certeza dos que costumam destruir e construir ‘sólidas’ reputações, decretou em manchete: ‘A Força Expedicionária Brasileira – Trancada, isolada e muda, a seleção parece uma tropa que foi à guerra e esquece que a nação toda quer saber o que ela faz e está pensando’. Com meus direitos de cidadão em pleno vigor, declaro que não quero saber o que os jogadores fazem e no que estão pensando… Afirmo isso porque até o meu cachorro (o ‘Robinho’) ‘sabe’ que eles estão treinando e pensando em ganhar a Copa do Mundo. Se não estiverem procedendo dessa maneira, cabe à imprensa descobrir. O treinador e seus comandados não podem ser obrigados a informar no que estão pensando… Continuo acreditando que pensamento é algo sagrado, inviolável…. Os jornalistas são pagos para descobrir o que precisam saber. Faz parte do ofício que escolheram. Mas eles ficam escondendo que querem (com pouco esforço) notícias que causem impacto, notícias que facilitem a venda dos espaços em seus veículos e assim sejam justificados os milhões que recebem dos seus patrocinadores. Eles não entendem que o povo quer é ver sua seleção ganhar sempre…

Ética e lealdade não fazem mal a ninguém

Este é o mundo do futebol: ganhou, está tudo certo. Perdeu, estava tudo errado, a imprensa tinha razão… Eles vão ter que esperar – faz parte do jogo. Mas podem ficar tranquilos, logo terão a ‘matéria-prima’ de que precisam. Aí, certamente darão o troco para o ‘anão zangado’, ou pior (para eles), vão ter que ‘puxar o saco’ dele como fizeram com o ‘Felipão’, que os encarou e deixou no Brasil um famoso ‘baixinho’. Todos lembram: o Felipe jogou a Copa sem o tal ‘baixinho’, trouxe o ‘caneco’ e somou mais um campeonato e uma estrela no peito da nossa camisa. O resto é história…

Obviamente, ninguém sabe se a seleção comandada pelo Dunga vai ganhar a Copa do Mundo. Se ganhar, acontecerá pela sexta vez. Se não ganhar, acontecerá pela décima quarta vez. Como podemos ver, não será surpresa nenhuma das possibilidades. Mas, mesmo perdendo, considero Dunga vitorioso. Assim o considero pelo seu caráter e pela tentativa de levar ao futebol a mudança que está acontecendo em nosso país. Dizem que o Brasil será, em alguns anos, a quinta economia do mundo. A distribuição de renda está melhorando e já estamos vendo gente poderosa sendo punida, como aconteceu com os que pensavam que esconder dinheiro sujo em cueca era algo normal. Embora as contestações, o ‘ficha limpa’ passou… Essa mudança precisa chegar em todos os setores. Seriedade, ética e lealdade não fazem mal a ninguém – queiram ou não os donos da mídia…

******

Policial federal aposentado, formado em Jornalismo e Direito, Porto Alegre, RS

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem