Sábado, 20 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Wood e Stock permite discussão de tabus

Por Wemerson Augusto em 09/12/2008 na edição 515

Sexo, tempo, alucinações, indagações, memórias e rebeldia podem ser algumas das balizas em que caminha o filme Wood e Stock: Sexo, Orégano e Rock n´ Roll, do diretor Otto Guerra. Produção que foi apresentada no cenário alternativo no ano de 2006 e ainda está rendendo muitas reflexões. Muito mais do que gozações, a animação possibilita o debate de entraves da nossa sociedade.

Nesta luta, Guerra contou com o traço marcante de Arnaldo Angeli Filho, o Angeli. O cartunista emprestou os personagens Rê Bordosa, Nanico, Meiaoito, Lady Jane, Rhalah Ricota, Overall, Rampal, Sunshine, Skrotinhos, Purpurina, Wood e Stock. O enredo revela a tentativa dos protagonistas viverem agarrados ao passado. Na trama, os anos parecem ser apenas dias.

Com muita sujeira espalhada, cabelos longos, fantasias e quadros de ícones do rock ´n´ roll, o mundo de Wood e Stock, parece ser muito semelhante. Talvez a diferença fique para as sensações e ilusões dos personagens após o consumo de orégano. A metáfora da erva aromática muito utilizada na cozinha – inclusive brasileira – para referir-se ao entorpecente foi uma grande sacada.

Linguagem dos quadrinhos

Wood e Stock: Sexo, Orégano e Rock n´ roll pode ser uma amostra de que o cinema brasileiro tem artistas talentosos, temáticas interessantes e público ávido. Na trajetória de apresentações, o filme arrebanhou diversos prêmios, entre eles melhor trilha, melhor atriz coadjuvante e melhor longa-metragem.

A sensação filosófica do que será de nós no futuro está muito presente na película. Já na animação, os personagens estão barrigudos, carecas e irritados. Mesmo assim, os hippies persistem em carregar na mente e no coração os símbolos e sonhos que inspiraram uma geração. Apesar das contradições de liberdade e paz, o filme proporciona o pensamento sobre passado, presente, futuro, individualismo, consumo, sociedade, entre outros questionamentos.

Uma pesquisa mais aprofundada poderá contribuir para desvendar inúmeras idéias lançadas pelo filme. Outro aspecto benéfico de um estudo com estas orientações será a análise da construção da transposição da linguagem dos quadrinhos para o cinema.

******

Jornalista, especialista em Linguagem, Cultura e Ensino, Foz do Iguaçu, PR

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem