Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

GRANDE PEQUENA IMPRENSA > BLENDLE

Será o ‘iTunes do jornalismo’ um sucesso internacional?

Por Aisha Gani em 11/11/2014 na edição 824
Reproduzido do The Guardian, 29/10/2014, tradução e adaptação: Rodrigo Neves

Uma iniciativa holandesa, que se descreve como o “iTunes do jornalismo” e já possui 130 mil usuários registrados, recentemente recebeu investimentos de 3 milhões de euros (cerca de R$ 9,5 milhões) vindos de gigantes da imprensa, como o “The New York Times” e o tabloide alemão “Bild”.

Chamado de Blendle, o aplicativo foi lançado seis meses atrás e mudou a maneira como as notícias são consumidas na Holanda. Na loja digital, é possível buscar em jornais nacionais e estrangeiros artigos individuais e adquiri-los por apenas 20 centavos (em torno de R$ 0,60)

Os fundadores Alexander Klopping e Marten Blankesteijn, ambos ex-jornalistas de 27 anos, tinham o objetivo de tornar a compra de textos jornalísticos algo tão fácil quanto baixar uma música.

“Eu amo longas reportagens e existem revistas que nunca pude ler, mas agora posso facilmente procurar e ler um artigo que me interessa entre diversas revistas. Nós queríamos que fosse extremamente fácil encontrar e comprar artigos, especialmente para os mais jovens”, disse Klopping.

Boa parte do sucesso é atribuída à cultura jornalística da Holanda. Antes do Blendle “havia uma grande barreira entre o jornalismo impresso e digital”, disse Klopping. Assim, anteriormente não era possível ler qualquer notícia na internet sem assinar um dos jornais, o que também dificultava o compartilhamento dos artigos nas redes sociais.

Agora, com o Blendle, usuários podem encontrar qualquer artigo publicado em qualquer um dos jornais holandeses em um único aplicativo e comprá-lo com um único clique. Se você não gostar do que leu, pode receber seu dinheiro de volta. Os jornais ficam com 70% do lucro e o Blendle, com os outros 30%.

Klopping está convencido de que esta é uma maneira de monetizar o jornalismo impresso e chama o Blendle de “laboratório para a distribuição jornalística”, que conta hoje com 25 funcionários.

O Blendle tem grandes ambições e já planeja se expandir para outros países europeus com mercados jornalísticos parecidos. Com o recente investimento milionário de gigantes do setor, a empresa pode dar um grande salto no futuro. É coisa de se observar.

Leia também

‘iTunes’ de reportagens faz sucesso entre leitores e jornais – Carlos Castilho

******

Aisha Gani, do Guardian

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem