Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

IMPRENSA EM QUESTãO > CPI DO CACHOEIRA

Verdades, mentiras e suposições

Por Fábio de Oliveira Ribeiro em 05/06/2012 na edição 697

No dia em que Carlinhos Cachoeira ficou calado na CPI (22/5), postei um twit com o seguinte conteúdo: "Do Cachoeira para seu amigo Poli voa transmissão de pensamento "-[ ] meu… vocês só me salvarão encurralando Dilma e Lula! Pau neles!"

No dia 28 de maio, a Veja publicou a entrevista em que Gilmar Mendes acusa Lula de ter se reunido com ele na casa de Nelson Jobim para exigir a protelação do julgamento do caso do mensalão no STF. Nelson Jobim negou de maneira enfática e categórica a acusação de Gilmar Mendes e afirmou que esteve presente durante toda a conversa entre ele e Lula. Nada do que Gilmar Mendes disse à Veja foi confirmado por Jobim, mas isto tem sido convenientemente ignorado por uma parte da mídia que parece determinada a destruir Lula.

O ataque feito pela Veja foi antecipado por mim. Explico: por pura diversão, no dia 22 de maio escrevi uma série de twits ironizando o silêncio de Cachoeira na CPI. Não tenho nenhuma informação privilegiada, nem tampouco qualquer remota ligação com Lula, Cachoeira, Jobim, Gilmar Mendes ou o jornalista Policarpo.

Somente três pessoas sabem exatamente o que ocorreu durante a histórica conversa entre Lula, Gilmar Mendes e Nelson Jobim. A versão de Gilmar Mendes só é corroborada pelo seu próprio depoimento à Veja, que tem sido amplificado pela mídia.

Mesmo não tendo qualquer informação, ou justamente por causa disto, farei aqui um exercício de imaginação. Nada do que eu disser deve ser considerado, portanto, verdade. Vou mover-me apenas no campo das hipóteses.

Ahistória ainda não acabou

Não sei se Gilmar Mendes tem qualquer ligação com Cachoeira, mas é fato notório que ele e Demóstenes são intimamente ligados desde os tempos em que trocavam telefonemas e acusaram Lula de um grampo (cujo áudio ainda não é conhecido). Imagino que esta nova patranha possa ter sido inventada por Gilmar Mendes para tentar salvar Demóstenes de uma cassação certa e merecida. Se for este o caso, podemos admitir a hipótese de que Demóstenes tenha cobrado algum favor de Gilmar, mas não que Jobim tivesse conhecimento da armadilha criada para Lula com ajuda posterior da Veja.

A conduta de Jobim até o presente momento pode ser julgada exemplar. Ele negou o que Gilmar Mendes disse. Portanto, podemos supor que o ex-ministro da Defesa foi pego de surpresa e não quis se envolver no complô sórdido urdido para destruir Lula ou para proteger Demóstenes Torres (o grande amigo de Gilmar Mendes). A ação da Veja é previsível. A revista foi colocada no olho do furacão e certamente pretende revidar. Não só não conseguiu recuperar sua credibilidade como afunda no mar de lama que ajudou a criar em razão do depoimento de Nelson Jobim.

Esta história ainda não acabou. Mas só no futuro saberemos exatamente o que ocorreu. Não seria o caso de levar Gilmar Mendes para depor na CPI?

***

[Fábio de Oliveira Ribeiro é advogado, Osasco, SP]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem