Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

IMPRENSA EM QUESTãO > DOM EUGÊNIO SALES

Jornalista reivindica antigo furo de reportagem

Por Fritz Utzeri em 17/07/2012 na edição 703
Mensagem enviada em 10/7 por Fritz Utzeri aos leitores de seu jornal eletrônico Montbläat.

Caro Leitor do Mont, hoje estou p… da vida pela desonestidade de O Globo, um jornal autocentrado – males do monopólio – que hoje em dia luta “bravamente” contra a ditadura. Hoje [terça feira, 10/7], o jornal noticia a morte de D. Eugênio Sales. Entre outras coisas, sob o título “A discreta ação em defesa dos perseguidos pelas ditaduras“, O Globo conta a história dos perseguidos políticos do Cone Sul que o Cardeal ajudou.

Escreve O Globo: “Essa história veio à tona numa série de reportagens do Globo, assinadas pelo jornalista José Casado em março de 2008”. Na ocasião, O Globo definiu a matéria como “furo de reportagem”. Ora, em 25 de maio de 2000 – quase oito anos antes – o JB publicou uma extensa reportagem minha, entrevistando D. Eugênio, na qual ele, pela primeira vez, contava tudo o que a matéria do Casado contaria depois. O Título era: “Rua da Glória 446, a esperança”. Lá se revelava que nada menos que 5 mil perseguidos políticos brasileiros, chilenos, argentinos e uruguaios foram ajudados por D. Eugênio, que mantinha no Rio uma rede de 80 apartamentos para dar refúgio a esses perseguidos enquanto não iam para o exterior. Nada tenho contra a matéria – aliás muito boa – do Globo, mas “veio à tona” é um pouco demais.

O Mont estará de volta neste sábado. Confiram no site do JB quem “trouxe à tona” a ação de D. Eugênio, com direito a primeira página da edição de 2000 e fac simile da matéria.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem