Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO > OI NA TV

A imprensa como bode expiatório

Por Alberto Dines em 09/05/2006 na edição 337

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa.


O gás boliviano, a entrevista-bomba de Silvio Pereira e a Operação
Sanguessuga estão dominando as atenções da mídia, mas na sombra, quase às
escondidas, estão acontecendo coisas incríveis. Uma delas está sendo revelada em
primeira mão pelo site do Observatório: o presidente do Senado, Renan
Calheiros, empossou no dia 3 de maio o suplente do senador Delcídio Amaral,
Antônio João Hugo Rodrigues, do PTB. Isto é inconstitucional e ilegal, porque o
novo senador é dono de empresas de TV e rádio em Mato Grosso do Sul. Parlamentar
não pode ser concessionário de serviços públicos. Veja no site do
Observatório da Imprensa todos os detalhes desta aberração.


A imprensa virou o saco de pancadas preferido de políticos e governantes
quando pegos em flagrante delito. Como quarto poder, a função da imprensa é
fiscalizar os demais poderes e servir à sociedade, mas, entre nós, quando a
imprensa cumpre sua função social, paga por isso.


O ex-todo-poderoso José Dirceu bateu na imprensa quando esta revelou a
extensão do mensalão; Tarso Genro, então presidente do PT, bateu na imprensa
quando lhe faltaram outros argumentos para defender seu partido. Quando Severino
Cavalcanti já não conseguia explicar seu mensalinho, partiu para atacar a
imprensa.


O time de detradores da imprensa foi ampliado há 15 dias com a entrada em
campo do ex-governador Garotinho. O Globo desvendou as irregularidades no
financiamento da sua pré-candidatura, a Folha de S. Paulo foi ainda mais
longe, revelando que um dos seus financiadores era um assaltante, e a resposta
de Anthony Garotinho foi começar uma greve de fome como protesto pelo
comportamento da imprensa.


A dieta de Garotinho virou piada e alimenta os cartunistas há exatos 10 dias,
mas é preciso não esquecer que a carreira de muitos caudilhos populistas
latino-americanos começou exatamente assim: fazendo da imprensa o bode
expiatório.

Todos os comentários

  1. Comentou em 22/02/2011 Dirceu Hermes

    Boa Tarde,

    Sou professor da Universidade Comunitária da Região Oeste de Santa Catarina – UNOCHAPECÓ e neste semestre sou responsável pela disciplina Seminário de Atualidade. Neste seminário vamos discutir Estado Laico e os Direitos Coletivos.
    Procuro contato do Prof. Venício A. de Lima e da médica Fátima Oliveira, articulistas do Observatório. Quero convidá-los a serem palestrantes do evento em nossa Universidade.
    Tentei de todas as formas, mas não consegui o contato e o nosso evento acontece já em maio.
    Conto com a atenção de vocês.

    Saudações,

    Prof. Dirceu Luiz Hermes
    Unochapecó – Chapecó – SC
    hermes@unochapecó.edu.br

  2. Comentou em 22/02/2011 Dirceu Hermes

    Boa Tarde,

    Sou professor da Universidade Comunitária da Região Oeste de Santa Catarina – UNOCHAPECÓ e neste semestre sou responsável pela disciplina Seminário de Atualidade. Neste seminário vamos discutir Estado Laico e os Direitos Coletivos.
    Procuro contato do Prof. Venício A. de Lima e da médica Fátima Oliveira, articulistas do Observatório. Quero convidá-los a serem palestrantes do evento em nossa Universidade.
    Tentei de todas as formas, mas não consegui o contato e o nosso evento acontece já em maio.
    Conto com a atenção de vocês.

    Saudações,

    Prof. Dirceu Luiz Hermes
    Unochapecó – Chapecó – SC
    hermes@unochapecó.edu.br

  3. Comentou em 12/05/2006 Sonia Montenegro

    Um Observatório da Imprensa deveria ter uma visão mais crítica da nossa imprensa, que está nas mãos de uma elite, e que de democrática não tem absolutamente nada. O próprio Dines criticou a Veja, e não são poucos os jornalistas de caráter que têm uma visão da imprensa bem mais crítica do que a do Sr. Dines.
    Só para dar um exemplo: a Globo afirmou que o governo tinha reconhecido ter sido um erro a dependência do gás de um só país, e o jornalista perguntou a um comentarista o que o governo ia fazer para corrigir o erro, mas em momento algum disse que o responsável era FHC.
    Como cidadã, eu defendo uma CPI da Mídia já. Não se pode fingir informar corretamente a população com meias-verdades.

  4. Comentou em 12/05/2006 Sonia Montenegro

    Um Observatório da Imprensa deveria ter uma visão mais crítica da nossa imprensa, que está nas mãos de uma elite, e que de democrática não tem absolutamente nada. O próprio Dines criticou a Veja, e não são poucos os jornalistas de caráter que têm uma visão da imprensa bem mais crítica do que a do Sr. Dines.
    Só para dar um exemplo: a Globo afirmou que o governo tinha reconhecido ter sido um erro a dependência do gás de um só país, e o jornalista perguntou a um comentarista o que o governo ia fazer para corrigir o erro, mas em momento algum disse que o responsável era FHC.
    Como cidadã, eu defendo uma CPI da Mídia já. Não se pode fingir informar corretamente a população com meias-verdades.

  5. Comentou em 10/05/2006 jorge damasceno lima

    Por que ninguém pergunta ao crisóstomo senador arthur vergillius se ele já fez caixa dois, quando candidato ao governo do Amazonas?
    O que todos sabem e não mudou-se o nome de Caixa Dois, contribuição não declarada, dívidas de campanha pelo termo MENSALÃO para que somente o PT e aliados ficassem na mira. Aceito respostas e pesquisas

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem