Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

IMPRENSA EM QUESTãO > CARTÕES CORPORATIVOS

A imprensa na armadilha do dia-a-dia

Por Luciano Martins Costa em 12/02/2008 na edição 472

O noticiário sobre os gastos oficiais com cartões de crédito corporativo é parte de uma síndrome que afeta a imprensa brasileira desde os anos 1990 e que se manifesta por uma persistente incapacidade de conectar os fatos presentes aos correlatos do passado. Algo como uma ‘armadilha do tempo’, para usar o exemplo do filme no qual o personagem de Bill Murray não conseguia fazer amanhecer um dia diferente até que aceitasse a necessidade de conhecer melhor a si próprio e a conveniência de evoluir, de se tornar melhor.

Ao repetir incessantemente um modelo de conversação que parece não considerar a natural evolução da sociedade, da cultura e de tudo que acontece em seu universo – como as coisas da política e da economia – a imprensa se prende a uma visão de mundo que nega a dinâmica das relações humanas e das relações entre o ser humano e o ambiente.

Essa negação fica clara no ponto a partir do qual a imprensa julga todo fato que ameace colocar em xeque os dogmas do chamado liberalismo. Essa síndrome pode ser diagnosticada da mesma forma no noticiário recente sobre os números da devastação da Amazônia, quando toda a imprensa se amarrou ao aparente desencontro de dados e deixou de lado o essencial, que é a necessidade – imposta pelo estado do mundo e pelo bom senso – de transformar o modelo econômico, tornando-o parceiro da diversidade
ambiental, e não seu inimigo.

Tratamento adequado

Mas deixemos a questão amazônica à parte, que nos remeteria a uma complexidade ainda maior, e vejamos o que ocorre quanto ao problema dos abusos na utilização dos cartões corporativos. Claramente, desde a primeira notícia, os jornais e outras mídias apenas repetem o que está publicado para qualquer internauta no Portal da Transparência. Evidentemente, a partir das primeiras ‘revelações’, a imprensa passou a contar com colaboradores dedicados a levantar os aspectos mais grotescos do mau uso desse recurso da gestão pública.

Já se disse neste Observatório que o governo liderado pelo Partido dos Trabalhadores sofre de uma propensão à autofagia – fato que aborrece muitos comentadores deste espaço democrático, mas que pode ser comprovado desde as primeiras divergências públicas no primeiro governo do presidente Lula, que levou ao surgimento do PSOL, e no escândalo que a imprensa chamou de ‘mensalão’. No caso dos cartões corporativos, essa propensão se revela nas reações espontâneas e explicitadoras das divergências internas que conduziram à demissão da ministra Matilde Ribeiro.

Os demais partidos também convivem com dissensões internas, muito claras, por exemplo, no caso da disputa pela prefeitura de São Paulo, que pode desviar do rumo do limbo a carreira política do ex-governador Geraldo Alckmin e criar um obstáculo a mais para os planos presidenciais do governador José Serra. Só que o PSDB procura não levar a disputa interna para o domínio público, e nisso tem contado quase sempre com certa discrição da mídia.

Se o governo do PT não pode contar com tal colaboração, se seus próceres, ainda por cima, manifestam especial talento para trapalhadas de toda ordem, claro que não cabe à imprensa aliviar a mão para preservar a imagem desse governo. Mas também se espera que a imprensa tenha como pressuposto a melhor fundamentação da opinião do público, e as abordagens de temas como a má administração dos recursos públicos e a destruição da Amazônia estão a merecer tratamento mais adequado.

Problema maior

Primeiro, é preciso que os dados de governo sejam confrontados num cenário mais amplo e devidamente ponderados com as realidades de cada período. Comparar números absolutos sobre o painel da economia dos anos 1990 e sobre o atual cenário econômico, sem as ressalvas devidas, não é a melhor prática jornalística. Da mesma forma, não é bom jornalismo citar números sem confrontá-los com variáveis como o tamanho do orçamento em cada época analisada. Além disso, isolar os gastos com cartões corporativos das outras formas de dispêndio do dinheiro público não ajuda a sociedade a mensurar proporcionalmente os desvios da administração.

A imprensa passou a última semana divulgando diariamente novas ‘descobertas’ que estão espontaneamente escancaradas no portal dos gastos públicos, sem informar ao seu cliente, o leitor ou internauta, o peso proporcional das distorções no total de despesas.

Qualquer leitura mais atenta das coleções de jornais dos últimos dez dias revela que se trata de quirera no imenso volume do orçamento. Mas, com o noticiário preso ao varejo e picotado no dia-a-dia – como o personagem do filme O feitiço do tempo – o cidadão e a cidadã ficam impedidos de perceber o problema maior, que é a falta de controle dos gastos públicos, que se perpetua por aqui desde que D. João veio refundar seu reinado.

******

Jornalista

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/02/2008 José RobertoMagalhães

    Rogerio
    Amigo Rogerio, já que você citou o isento Hélio Fernandes, nem te conto o que o isento Diogo Mainardi anda falando do Presidente que você idolatra. Sid Ellias, por que o espanto? Já se esqueceu que toda imprensa é Tucana.Eu acho você o maior barato, sou teu fã. Só fico decepcionado como uma pessoa do teu intecto consegue ser petista.

  2. Comentou em 15/02/2008 Thiago Conceição

    ‘Você acha que a direita brasileira não existe?’ Sim, eu acho. Social democratas nunca foram direita. O demo como o próprio nome diz é equerdista, assim como os democratas nos EUA são. Se essa é a ‘direita’ do Brasil então essa democracia é a mais fajuta de todas que já existiu.

  3. Comentou em 15/02/2008 Thiago Conceição

    ‘Você acha que a direita brasileira não existe?’ Sim, eu acho. Social democratas nunca foram direita. O demo como o próprio nome diz é equerdista, assim como os democratas nos EUA são. Se essa é a ‘direita’ do Brasil então essa democracia é a mais fajuta de todas que já existiu.

  4. Comentou em 14/02/2008 Thiago Conceição

    ‘Veja que você já está influenciando Thiago Conceição, que agora também se classifica como apartidário e independente. ‘ Nunca disse que era tucano e nem demo, e jamais fiz elogios ao FHC ou a nada daquela época. Apenas disse a verdade, que a estabilidade econômica começou no governo FHC e o único mérito do PT foi não ter desfeito o que o governo anterior fizera. Não sou tampouco neutro, sou de direita e me considero orfão de partido nesse pais de esquerdistas safados. Se houvesse um partido de direita de verdade, e não essa esquerdinha-daslu do PSDB e o do Demo, eu certamente os apoiaria.

  5. Comentou em 14/02/2008 Nildo Arcan

    Tem comerciário querendo ganhar uma dentadura nova do Tasso Jereissati. Eu votei no Arruda e no Roriz, também quero ganhar uma. Viva fhc, fora lulla! Viva fhc, fora lulla!

  6. Comentou em 14/02/2008 José Santos Silva Júnior

    Sr. Ivan Morais, sinceramente!
    Enquanto a maioria dos que aqui opinam, o fazem para expor conceitos, idéias sobre o sistema, práticas de governo, práticas políticas e o tratamento dado pela imprensa, Vossa Senhoria se agarra numa suposta razão comparativa ou na falta dessa, para justificar delitos e desmandos dessa atual administração federal com foco na administração anterior.
    O debate deve ser sobre idéias, partindo de premissas verdadeiras, mesmo que essas mostrem vertentes diferentes.
    Idéias não são razão e vice-versa!
    Razões são incontestes, portanto fora do escopo do debate. Pode-se aapenas reclamá-las!
    Idéias são conceitos do pensamento e são subjetivas na maioria dos casos, a não ser que a propagação e/ou doutrinamento as tornem massivas como uma regra.
    Estou esperando sua contribuição ao debate, esperando que venha enriquecer as visões sobre tema, porém Vossa Senhoria parece querer apenas repetir o mesmo chavão e desviar o sentido da proposta para o que quer, para o que conhece, para o que aprendeu a dissertar nas aulas ideológicas do seu partido político. Bela tática, porém é como aquele manjado golpe do bilhete premiado: somente incautos ou anencéfalos ainda se sujeitam a cair nele. Ao debate sério camarada!

  7. Comentou em 14/02/2008 Ivan Moraes

    Tambem estamos todos esperando um DESMENTIDO OFICIAL DA MEDIA IMPRESSA a respeito das informacoes dos gastos do governo de SP estarem na internet porque isso foi ANUNCIADO ONTEM e ate agora… nada.

  8. Comentou em 14/02/2008 Cid Elias

    No meu tempo, engenheiros eram exímios calculistas. Parece que atualmente, por culpa do Lula é claro, alguns se formam sem saber nem ‘regra de três simples’. Não quero dizer com isto que o colega, Dr Maxwell, estaria incluído neste grupo, absolutamente…Mas não nego que estou deveras curioso para saber de onde ele tirou os tais ‘11%’, vocês não estão? Consideremos esta notícia ‘ – O Globo Online – Em 2007, o governo gastou R$ 78 milhões com cartões , sendo que 75% desse total, ou R$ 58, 7 milhões, foram por meio de saques na boca do caixa, …’ Existe a possibilidade real, do nosso calculista ter se baseado em alguma outra informação desconhecida(falo sério), diga-se de passagem, até pela redegrobo. O engenheiro afirma claramente que foram R$ 55 Mi, e não o valor R$ 58,7 Mi publicado pela grobo. Entre a grobo e o Maxwell, fico com o segundo sem pestanejar! Então vamos voltar ao primário e fazer um exercício, cujo grau de dificuldade é ‘médio’: 78 Mi(total dos cartões) = 100% ; 55 Mi(saques em dinheiro) = X(não sabemos ‘ainda’). Podemos prosseguir? Então, 55 vezes 100 = 5500. Até aqui deu pra acompanhar, Max? Legal. Vamos lá, 5500 dividido por 78 = 70,51. O percentual de gastos através de saques em dinheiro foi 70,51% do total. Concluindo: 100% – 70,51% = Tcham!Tcham!Tcham!Tcham! é, É 11%! Parabéns Maxwell! *falando nisso, espero tua resposta na seção Circo da Notícia, ok?

  9. Comentou em 13/02/2008 Ivan Moraes

    ‘O objetivo é dar a notícia antes, na frente do concorrente’: mas com o viez a um minimo de 90 graus de onde deveria estar: chama se ROUBA DA HISTORIA, e muitas pessoas -inclusive Chomski- ja escreveram aa exhaustao a respeito. A TODOS: aonde esta a paulistada toda com o dedinho em riste contra o governo Federal enquanto SP engaveta a CPI dos nao-cartoes que exporia o governo do estado de uma vez por todas pela fraude que sempre foi? Os 8 ou 10 pessoas a quem pedi documentacao de suporte ja a conseguiram? Patricia? Thiago? Oh, aqui esta um deles, sem uma gota de documentacao para o que falou: Jose ‘mostre em que página e qual o jornal que atesta a honestidade da minstra!’ –eu nao acusei a ministra de ser honesta ou de ser desonesta: voce acusou, e muito especificamente. E ainda nao apareceu com documentacao de suporte. E a CPI Das Pretas E Dos Sargentos vai pra frente enquanto Sao Paulo frauda o Brasil mais uma vez.

  10. Comentou em 13/02/2008 Edu mendes

    Dines, vá se fuder velhote. Onde você estava, durante o governo tucano, já sei, era comprado pelo partidão né, safado. Você vai morrer sem ver seu partido novamente no poder, em 2010 é Lula outra vez.

  11. Comentou em 13/02/2008 Ivan Moraes

    ‘A ex-ministra gastou a maior parte dos 170 mil reais com coisas que não dizem respeito ao trabalho’: entao conte nos mais porque voce faz uma afirmacao que nao esta documentada em lugar algum da imprensa. Quanto, exatamente, eh ‘a maior parte dos 170 mil reais’, e o que sao as ‘coisas que nao dizem respeito ao trabalho’? E qual eh a fonte? Voce?

  12. Comentou em 13/02/2008 Ivan Moraes

    ‘A ex-ministra gastou a maior parte dos 170 mil reais com coisas que não dizem respeito ao trabalho’: entao conte nos mais porque voce faz uma afirmacao que nao esta documentada em lugar algum da imprensa. Quanto, exatamente, eh ‘a maior parte dos 170 mil reais’, e o que sao as ‘coisas que nao dizem respeito ao trabalho’? E qual eh a fonte? Voce?

  13. Comentou em 12/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Corroboro plenamente com o Sr. Marco Antonio Leite, especialmente quando escreve: ‘Não podemos e não devemos aceitar essa gente como administradora desta nação, a qual já foi mais que saqueada por governos anteriores, olha que essa prática vem de longa data.’ E este é o ponto: o troço já vem de longa data, mesmo. Por que não se quer revolver o tapete agora? Qual o problema? Vão achar o que, hein? Cartões de débito em SP, ou corporativos no DF diferem em que? Gastos são gastos? Ou gastos são desvios? Quando se diz que a mídia é irrelevante, no sentido de não fazer estas perguntas antes de inciarem suas campanhas eleitorais, meia dúzia de sonsos se enchem de glórias para levantar a velha briga da guerra fria. Tolice! Se fossem honestos, já haveriam duvidado lá no passado dos gastos governamentais, fossem estaduais ou federais. E, fala sério, se indignar porque um sujeito comprou uma lixeira? Por que estes indignados não vociferam contra os resultados da Educação, cada vez piores? Ah, dirão, ‘se não tivessem comprado um lata de lixo, poderiam pagar melhores salários para professores’. Bom, se alguém pensar assim, é melhor se calar, como dizem os fascistas de plantão.

  14. Comentou em 12/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Corroboro plenamente com o Sr. Marco Antonio Leite, especialmente quando escreve: ‘Não podemos e não devemos aceitar essa gente como administradora desta nação, a qual já foi mais que saqueada por governos anteriores, olha que essa prática vem de longa data.’ E este é o ponto: o troço já vem de longa data, mesmo. Por que não se quer revolver o tapete agora? Qual o problema? Vão achar o que, hein? Cartões de débito em SP, ou corporativos no DF diferem em que? Gastos são gastos? Ou gastos são desvios? Quando se diz que a mídia é irrelevante, no sentido de não fazer estas perguntas antes de inciarem suas campanhas eleitorais, meia dúzia de sonsos se enchem de glórias para levantar a velha briga da guerra fria. Tolice! Se fossem honestos, já haveriam duvidado lá no passado dos gastos governamentais, fossem estaduais ou federais. E, fala sério, se indignar porque um sujeito comprou uma lixeira? Por que estes indignados não vociferam contra os resultados da Educação, cada vez piores? Ah, dirão, ‘se não tivessem comprado um lata de lixo, poderiam pagar melhores salários para professores’. Bom, se alguém pensar assim, é melhor se calar, como dizem os fascistas de plantão.

  15. Comentou em 12/02/2008 adhemar gandra

    thiago conceição-campinas>>>>>pergunto a vc ,qual a função de tcu,que ganha milhões p/ fiscalizar,digo mas,se estas dispesas esta no portal transparencia ja não pode ser quaficada como desvio,este é preço de 500 anos sem transparencia,percebe que as coisas começam a mudar,so p/ oxigenar sua memoria,porque agora estão proibindo mudança de partido,antes eram todos do mesmo time não tinha poblema de mudar de camisa,mais agora quem esta em campo é o adversario,nem quer levar gol contra,ou vc acredita que 500 anos passados os politicos eram santos

  16. Comentou em 12/02/2008 adhemar gandra

    thiago conceição-campinas>>>>>pergunto a vc ,qual a função de tcu,que ganha milhões p/ fiscalizar,digo mas,se estas dispesas esta no portal transparencia ja não pode ser quaficada como desvio,este é preço de 500 anos sem transparencia,percebe que as coisas começam a mudar,so p/ oxigenar sua memoria,porque agora estão proibindo mudança de partido,antes eram todos do mesmo time não tinha poblema de mudar de camisa,mais agora quem esta em campo é o adversario,nem quer levar gol contra,ou vc acredita que 500 anos passados os politicos eram santos

  17. Comentou em 12/02/2008 Ivan Moraes

    ‘O gov. de SP tbm está errado. O problema é o PT com seu discurso pseudo-ético querer justificar tamanhas picaretagens’: concordo completamente, se pelo menos o PT fosse tirando o traseiro do governo de Sao Paulo, que ele domina ha 12 anos, todos nos agradeceriamos muito.

  18. Comentou em 12/02/2008 Ivan Moraes

    ‘O gov. de SP tbm está errado. O problema é o PT com seu discurso pseudo-ético querer justificar tamanhas picaretagens’: concordo completamente, se pelo menos o PT fosse tirando o traseiro do governo de Sao Paulo, que ele domina ha 12 anos, todos nos agradeceriamos muito.

  19. Comentou em 12/02/2008 Thiago Conceição

    O PT faz farra com o dinheiro público e a culpa é da imprensa. Só mesmo no Observatório Bolivariano da Imprensa essa conclusão poderia ser alcançada. A imprensa faz o seu papel, e isso o que se espera dela independentemente do partido que esteja atualmente no poder. Se fosse na época do FHC o PT seria o primeiro a usar esse ocorrido como mais uma forma de pedir impeachment, fazem arruaça e passeatas contra a corrupção. Agora que é governo deseja que peguem leve? A cara de pau e bandidagem do PT até que é esperada, mas o engraçado mesmo é ver pessoas defendendendo o indefensável e justificando a corrupção aqui no OBI. É um total descaso com a verdade.

  20. Comentou em 13/09/2007 Eduardo Ferreira de Souza

    Gostaria de saber para o endereço da redação para enviar minha dissertação de mestrado que foi publicada em livro com o título ‘ DO SILÊNCIO À SATANIZAÇÂO : O DISCURSO DE VEJA E O MST

  21. Comentou em 26/07/2007 Paulo Henrique de Noronha

    Caros,

    Na enquete que realizam hoje, sobre a cobertura da mídia no desastre da TAM, faltou uma opção que é a que eu marcaria: Politizada. Na minha leitura dessa cobertura, a mídia está oscilando entre o sensacionalismo (para vender mais e ocupar espaço contra a concorrência) e a ânsia de aproveitar a tragédia para demonizar o Governo Lula, pendendo mais para a segunda opção.

    Em tempo: não sou petista, votei no Lula apenas no segundo turno (votei em branco no primeiro turno), acho esse Governo sofrível e considero ele responsável indireto por mais esse acidente, independentemente das reais causas da queda do avião da TAM.

    Abraços.

  22. Comentou em 26/07/2007 Paulo Henrique de Noronha

    Caros,

    Na enquete que realizam hoje, sobre a cobertura da mídia no desastre da TAM, faltou uma opção que é a que eu marcaria: Politizada. Na minha leitura dessa cobertura, a mídia está oscilando entre o sensacionalismo (para vender mais e ocupar espaço contra a concorrência) e a ânsia de aproveitar a tragédia para demonizar o Governo Lula, pendendo mais para a segunda opção.

    Em tempo: não sou petista, votei no Lula apenas no segundo turno (votei em branco no primeiro turno), acho esse Governo sofrível e considero ele responsável indireto por mais esse acidente, independentemente das reais causas da queda do avião da TAM.

    Abraços.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem