Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

IMPRENSA EM QUESTãO > TROPA DE ELITE

A renúncia ao debate

Por Alberto Dines em 18/02/2008 na edição 472

Os jornais de domingo (17/2) vibraram com a premiação de Tropa de Elite no Festival de Berlim. Mas preferiram esquecer a má vontade dos críticos e jornalistas quando o filme foi apresentado em setembro passado.


‘Filme fascista’, declarou na ocasião um cronista carioca; ‘elogio da tortura’, pontificou em seguida um comentarista paulista. Bobagem, patrulha ideológica clássica. O grande cineasta Costa-Gavras que presidiu o júri, expoente de um cinema político e humanista, jamais poderia premiar um filme fascista ou mesmo autoritário.


A grande verdade é que a mídia brasileira não sabe discutir nem debater, prefere condenar ou exaltar. Tropa de Elite é principalmente uma denúncia contra a corrupção policial, a mesma corrupção que está nas páginas dos jornais, tanto no Rio como em São Paulo. Pode-se discordar de enfoques ou passagens, mas é impossível negar sua validade como denúncia. Denuncia cabal, contra todos, inclusive contra os intelectuais e estudantes da classe média pesados consumidores de drogas.

Todos os comentários

  1. Comentou em 07/05/2011 marcelo gomes jorge feres feres

    O Instituto Metodista Bennett do Rio de Janeiro retirou todos os valores pecuniários de todas as suas contas bancárias para frustrar uma penhora on-line promovida pelo Banco Central, no valor de R$ 14.000,00, para pagamento de uma ação indenizatória (processo n.º 0185555-73.2009.8.19.0001) movida por um ex-aluno que, juntamente com dezenas de outros alunos, foi sumariamente expulso sem maiores explicações. Procedimento ao menos vexatório para quem se intitula como uma entidade educacional sem fins lucrativos, e que possui centenas de estudantes todos pertencentes à classe mais favorecida. Litigância de má-fé e falta de ética, ou está o Bennett a um passo de fechar as suas portas por má administração?

    Marcelo Gomes Jorge Feres
    Rua Visconde de Figueiredo 28, apto. 202 – Tijuca
    20550-050- Rio de Janeiro – RJ
    Tel. 21- 22649326 e 21- 96741320.t

  2. Comentou em 20/02/2008 Pedro Meira

    Os filmes soviéticos, obviamente, eram comunistas, não fascistas. Não é preciso misturar as coisas para dizer que o comunismo é ruim. O fascismo era radicalmente comunista. Apesar dos pesares, alguns filmes soviéticos da décadas de 50, como ‘Quando Voam as Cegonhas’ e ‘A Balada do Soldado’, conseguiram ser bons do ponto de vista cinematográfico, e até retratar, embora de leve, algumas mazelas do regime comunista, como a corrupção.

  3. Comentou em 18/02/2008 Christiane smith

    Se fosse do Tarantino as pessoas iam dizer que e o filme e genial.Na minha opiniao tem um peso maior ganhar um premio na Europa do que nos E.U.A.Com relacoa as drogas se dependesse de mim traficante morria de fome porque nao gosto de drogas.A suprema ironia e passar a noite cheirando todas e na manha seguinte fazer passeata contra violencia.

  4. Comentou em 18/02/2008 Christiane smith

    Se fosse do Tarantino as pessoas iam dizer que e o filme e genial.Na minha opiniao tem um peso maior ganhar um premio na Europa do que nos E.U.A.Com relacoa as drogas se dependesse de mim traficante morria de fome porque nao gosto de drogas.A suprema ironia e passar a noite cheirando todas e na manha seguinte fazer passeata contra violencia.

  5. Comentou em 18/02/2008 José Ayres Lopes

    Tropa de Elite é um filme fascista!

  6. Comentou em 18/02/2008 Antônio Augusto

    Título bastante infeliz da nota escrita pelo Dines, ‘A renúncia ao debate’. Renúncia ao debate é querer ocultar os muitos e graves problemas do filme, sob o pretexto da premiação em Berlim. E, inclusive, não debater tal premiação. ‘Tropa de elite’ exalta a tortura, o Bope, a violência indiscriminada contra os pobres. O cinismo de José Padilha é tão unilateral quanto seu filme: segundo ele, ‘ninguém aplaudiu a violência nem considerou o capitão Nascimento um herói’. Ah!, ganhou o Urso de Ouro em Berlim? Que amigo urso! E logo em Berlim, tão marcada pelo fascismo. Quanto a Costa-Gravas, é merecedor de toda nossa admiração mas, como presidente do júri do Festival de Berlim, se equivocou e ajudou a fazer um gol contra – acontece. Assistiremos agora a um triste espetáculo, reflexo da mentalidade colonizada existente no Brasil: reverência de muita gente a esse filme de extrema-direita; o branco, europeu, alemão, ‘superior’, ao premiá-lo, diz, afinal, segundo a mente colonizada, o que devemos pensar a respeito. Ao ufanismo desavisado: patriotismo só rima com fascismo no som das palavras.

  7. Comentou em 18/02/2008 cleber brasil pinto

    Caro Dines, que bom ver aqui no Ig um comentário sem fundo político… oque muita gente teima em não entender é que o filme é uma ficção, que retratou o submundo da corrupção policial no Rio de Janeiro e no Brasil. Você deveria perguntar ao seu amigo Paulo Henrique Amorim, pelego, capacho petista,oque ele vai falar do filme agora… parabéns tropa de elite, de uma maneira ou de outra, é o Brasil ganhando prêmios.

  8. Comentou em 18/02/2008 Rogério Silva Silva

    Deveríamos insistir num debate amplo. Porém, não antes de haver um plebiscito. De preferencia que ocorrece nas favelas cariocas pra que se saiba a vontade da população sofrida pelo abuso da força policial. Condenaram o filme. A resposta veio imediata. a policia erra; mas quando cumpre seu papel, passa pelo ridículo. Porque mas na frente um Dr. acha brecha na lei pra soltar o vagabundo. Aí começa a corrupçaõ. Porque agir dentro da lei? não dá em nada mesmo. ‘melhor se corromper’.

  9. Comentou em 18/02/2008 Rogério Silva Silva

    Deveríamos insistir num debate amplo. Porém, não antes de haver um plebiscito. De preferencia que ocorrece nas favelas cariocas pra que se saiba a vontade da população sofrida pelo abuso da força policial. Condenaram o filme. A resposta veio imediata. a policia erra; mas quando cumpre seu papel, passa pelo ridículo. Porque mas na frente um Dr. acha brecha na lei pra soltar o vagabundo. Aí começa a corrupçaõ. Porque agir dentro da lei? não dá em nada mesmo. ‘melhor se corromper’.

  10. Comentou em 18/02/2008 Carlos José

    Sr. Alberto
    Brilhante o seu alerta. É revoltante a falsidade, burrice e falta de responsabilidade dos principais veículos da mídia, que não têm a mínima vontade de esclarecer, de educar, de nada positivo. Hoje eu comentava isso com meu pai e quando ví o seu artigo, foi uma coincidência confortante. Peço, se for possível, que traga para o debate uma questão que, a meu ver, é o verdadeiro foco do filme Tropa de Elite, maio ainda do que a corrupção ou violência da polícia. O filme mostra o crime da classe média, que abastece tudo isso. Indiretamente ou até diretamente, esses são os grandes culpados. E ninguém da mídia fala disso. Essa questão não é abordada por medo, pois deve doer o calo de muita gente por aí. Por favor, leve isso adiante… Sem consumidores não há produto, sem produto não há receita, sem receita não há ações. Obrigado pela atenção.

  11. Comentou em 18/02/2008 Carlos José

    Sr. Alberto
    Brilhante o seu alerta. É revoltante a falsidade, burrice e falta de responsabilidade dos principais veículos da mídia, que não têm a mínima vontade de esclarecer, de educar, de nada positivo. Hoje eu comentava isso com meu pai e quando ví o seu artigo, foi uma coincidência confortante. Peço, se for possível, que traga para o debate uma questão que, a meu ver, é o verdadeiro foco do filme Tropa de Elite, maio ainda do que a corrupção ou violência da polícia. O filme mostra o crime da classe média, que abastece tudo isso. Indiretamente ou até diretamente, esses são os grandes culpados. E ninguém da mídia fala disso. Essa questão não é abordada por medo, pois deve doer o calo de muita gente por aí. Por favor, leve isso adiante… Sem consumidores não há produto, sem produto não há receita, sem receita não há ações. Obrigado pela atenção.

  12. Comentou em 18/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Tenho visto a mesma postura em minha área, a da ciência, quando algum jornalista se propõe a veicular alguma ‘informação’. A bem da verdade, raros são os repórteres e analistas que usam a sensatez e a análise crítica numa veiculação de matéria. A enorme e esmagadora maioria vai ao sabor da dança, sem se importar com o assunto e seu conteúdo. Querem é ver páginas vendidas nas bancas. Por que será que todas as vezes que vejo/leio/escuto algo assim me lembro do Sr. Jameson do Homem Aranha?

  13. Comentou em 07/05/2007 Mayra Scocco

    Os jornais querem proporcionar ao cidadão brasileiro, uma nova maneira de enxergar os fatos existentes fora das brigas e violencia em geral que existe na cidade, e como tema em maiores emissoras, apareceu, a violencia na apresentação dos musicos ‘ racionais’ mais não houve nenhum comentario a respeito da reunião de quase 40 mil pessoas na apresentação da trupe independente ‘ O Teatro Mágico no vale do Anhangabaú ás 20h no sabado, eles fizeram com que muitos jovens adultos e crianças saissem de suas casas para apresia-los , então, acredito que um jornal como este, pode proporcionar ao leitor, uma visão do que foi a virada sem violencia

    um incentivo a cultura, obrigado pela atenção

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem