Terça-feira, 23 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

A renúncia ao debate

Por Alberto Dines em 18/02/2008 na edição 472

Os jornais de domingo (17/2) vibraram com a premiação de Tropa de Elite no Festival de Berlim. Mas preferiram esquecer a má vontade dos críticos e jornalistas quando o filme foi apresentado em setembro passado.


‘Filme fascista’, declarou na ocasião um cronista carioca; ‘elogio da tortura’, pontificou em seguida um comentarista paulista. Bobagem, patrulha ideológica clássica. O grande cineasta Costa-Gavras que presidiu o júri, expoente de um cinema político e humanista, jamais poderia premiar um filme fascista ou mesmo autoritário.


A grande verdade é que a mídia brasileira não sabe discutir nem debater, prefere condenar ou exaltar. Tropa de Elite é principalmente uma denúncia contra a corrupção policial, a mesma corrupção que está nas páginas dos jornais, tanto no Rio como em São Paulo. Pode-se discordar de enfoques ou passagens, mas é impossível negar sua validade como denúncia. Denuncia cabal, contra todos, inclusive contra os intelectuais e estudantes da classe média pesados consumidores de drogas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem