Sábado, 22 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO > JOGOS OLÍMPICOS

A corrida do ouro

Por Renata Noiar em 29/07/2008 na edição 496

Às vésperas de mais uma Olimpíada, a previsão para o comportamento das emissoras de televisão que farão a cobertura dos jogos passa pela velha fórmula do oba-oba, que faz o público acreditar que medalhas de ouro nascem em árvores, colocando no mesmo patamar – o da decepção – pratas, bronzes, quartos e quintos lugares. Não que a cobertura esportiva de televisão seja uma espécie de conto do vigário, sobretudo porque o Brasil está muito melhor organizado no que diz respeito à participação em Jogos Olímpicos e os resultados confirmam esta melhora.

As emissoras de televisão conseguiram identificar muito rapidamente o potencial comercial das transmissões esportivas e buscam fisgar o interesse do público a partir da supervalorização do ouro, o que acaba gerando algumas injustiças, sobretudo em modalidades cuja realidade, para bons resultados, passam longe de medalhas. Contudo, as emissoras tendem a esquecer, no momento em que começam os Jogos, da realidade do esporte no Brasil. Entretanto, interesses comerciais, que fazem do esporte um produto bastante lucrativo, é o motivo da amnésia.

Investimentos públicos e privados

Não que as emissoras não saibam que a coisa é bem diferente em países cujo êxito esportivo é questão de Estado. A Rede Globo vem exibindo uma excelente série de reportagem sobre as potências olímpicas – já foram ao ar Austrália, Rússia e China – que retrata bem a diferença de realidade em que se encontra o Brasil (Esporte Espetacular/Rede Globo).

Mas o Brasil ainda é o país do futebol. Em termos de cobertura esportiva, o futebol centraliza cerca de 80% das atenções. E muito por conta do futebol, as emissoras acabam pecando quando o assunto é cobertura olímpica. O que contribui para episódios lamentáveis, como o comportamento da torcida brasileira com atletas estrangeiros durante o Pan-Americano do Rio de Janeiro, no ano passado. Nem toda competição é Fla-Flu… Fica o recado para um país que deseja ser sede olímpica: um dos alicerces do esporte olímpico é o respeito pelo oponente.

Contudo, os investimentos públicos e privados em esporte aumentam na medida em que o esporte ganha mais visibilidade. E, sendo por esta razão, ponto para as emissoras.

******

Crítica de televisão, Brasília, DF

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem