Sábado, 15 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

‘Às daquela’, ‘à que’ e ai do leitor

Por Luiz Weis em 01/02/2005 na edição 314

Apontar o que no tempo em que havia revisores nas redações brasileiras se chamava, genericamente, ‘erro de revisão’ é mais velho do que andar para a frente. Com olho de relojoeiro e paciência de Jó, Luiz Garcia faz isso todo dia no Globo e – o que é excepcional na mídia nacional –, o jornal publica.

Mas tanto o leitor apanha daqueles que dele dependem, que de vez em quando registros do gênero se justificam também aqui. Dois, para não cansar.

** ‘Nenhum civil sai às daquela que já foi uma das mais vibrantes capitais do mundo árabe’ (legenda no Estadão de 27/1).

** ‘O petista espera apenas que o público evite atitudes ‘grosseiras ou violentas’, como à que o próprio Genoino foi vítima em 2003’ (texto na Folha de 26/1).



Colunismo sem luvas de pelica

O contexto nem vem ao caso. Mas este leitor fica à espera do dia em que um colunista brasileiro, se tiver motivo para tanto e coragem de encarar o troco, se refira a algum alto executivo da mídia nacional como fez David Aaronovich, no Guardian de 25/1. Suas palavras: ‘No mundo parcialmente criado pelos degenerados morais que dirigem o [Daily] Express e os mentirosos populistas encarregados do [Daily] Mail…’.

[Textos fechados às 16h43 de 31/1]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem