Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

IMPRENSA EM QUESTãO > OI NA TV

Bem-vindos ao apocalipse

Por Alberto Dines em 07/02/2007 na edição 419

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa. Bem-vindos ao apocalipse. Ou ao planeta super-aquecido.


As conclusões do painel da ONU sobre mudanças climáticas é duplamente preocupante: em primeiro lugar, pelas previsões concretas, científicas e, em segundo, pela acusação cabal, insofismável: quem está no banco dos réus é a humanidade, ela é a grande responsável – portanto, todos somos igualmente culpados pelo estado em que ficou o nosso mundo.


O relatório de Paris teve o mérito de socializar a noção de pecado. Em matéria ambiental, pelo menos, ficou constatado que todos somos pecadores, tanto os industrializados como os emergentes. Exploramos a natureza com a mesma insensibilidade, desperdiçamos os seus recursos com o mesmo descaso.


Justamente por isso torna-se tão relevante o papel da mídia mundial para diminuir os efeitos do aquecimento. Se a mídia continuar abdicando da sua função mobilizadora e educadora, grande parte da humanidade continuará produzindo as mesmas agressões. Na véspera de uma débâcle que se assemelha ao dilúvio bíblico, recorta-se com uma nitidez impressionante a tarefa dos meios de comunicação. Este é um dos raros casos em que o sensacionalismo pode ser benéfico. Quanto mais dramaticidade no noticiário e nos debates, melhor para todos.


Mas atenção, esta é uma pauta permanente. Numa emergência dessas proporções espasmos não adiantam – ao contrário, agravam, criam a sensação de rotina, estimulam a resignação. Porém, uma coisa é certa: pela primeira vez em sua história, a imprensa está sendo convocada para salvar os seus leitores e, junto com eles, a si própria.

Todos os comentários

  1. Comentou em 07/02/2011 Rachel Martins

    Olá, depois de saber que Eike Batista destruiu os seis painéis de azulejos de meu pai João Martins, no Hotel Glória, após uma nota que saiu na coluna Victor Hugo, de A GAZETA, venho pedir a força de vocês na campanha que estou fazendo pela não destruição de nosso patrimônio cultural. Meu pai fez muitos trabalhos para a socidade paulistana das décadas de 60 a 80 e também foi diretor artístico de grandes cerâmicas. Escrevi uma carta à assessoria que está circulando na internet, facebook e twitter. Ela pode ser lida também no http://www.giragiramundogira.blogspot.com. Ali, dá para ver as obras e entender um pouco do artista João Martins. Conto com a colaboração de vocês nesta luta, onde sei, claro, que sou apenas uma formiga enfrentando um elefante. Abraços

  2. Comentou em 07/02/2007 Kleber Carvalho

    Dines, aqui jaz o catastrofismo barato, capitaneado pela mídia falaciosa , espero que você não embarque nesta paranóia , ou já embarcou????

  3. Comentou em 07/02/2007 Dante Caleffi

    Salvem os leitores e esqueçam o planeta!Esse já está condenado.
    Aguardem ,em breve uma nova edição,corrigida e ampliada!
    Esse é o assunto do momento,que ocupa as páginas dos principais jornais do hemisfério norte. Com razão.O complexo de culpa é bem acentuado. O que resta fazer?Clamar como muçulmanos alucinados diante
    da Caaba em Meca?Ou escrever quilômetros de inutilidades,transcrever testemunhos pífios,promover seminários, apontar culpados,soluções,miríades de possibilidades inexequiveis.
    Aqui em baixo,no nosso proverbial macaquismo, seguimo-lhes a pauta.
    A mídia nacional,perdeu tempo de sobra com falsos problemas.Crimes forjados.Comprometeu-se em conluio com fraudes e farsas.Equiparou-se em qualidade ao congresso dessa legislatura, em imagem,ética e confiabilidade.Portanto, além dos leitores,salvem os jornais e os jornalistas.Quem sabe ,assim ,o planeta não se reabilite?

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem